Seu erro foi querer voltar para casa

vivianny-crisley

Dirão os machistas de plantão: o que quer uma mulher sozinha num bar, até de madrugada? Dirão outros: como pode se acompanhar de pessoas com as quais não tinha intimidade?

Sou filho de uma mulher, casado com uma mulher e tenho duas filhas, e sempre me inspirei nelas para tomar as principais decisões da minha vida. Sabe por que? Porque elas têm a força intrínseca das que carregam a fertilidade e a capacidade de gerar dentro de si.

Desde a pré-história que nos acostumamos a ver homens cultuando a imagem feminina pela sua força e capacidade criadora, pela sua capacidade de aglutinar e, sobretudo, pela dignidade de fazer o bem.

Coloco-me na pele da família de Vivianny Crisley e tento viver a compaixão junto com eles. A compaixão é a capacidade que os humanos, e somente estes, tem de viver a dor do outro.

A dor de uma espera sem fim, a dor das noites insones a busca de uma notícia, a dor de imaginar o pior, e a derradeira dor: encontra-la brutalmente assassinada pelas garras de um machismo impregnado em nossa cultura, que cultua o estrupo e desrespeito às mulheres como regra.

É preciso que a nossa capacidade de nos indignar se avolume neste momento para gritarmos que as mulheres têm o direito de serem protagonistas de suas vidas e de exercerem de forma livre a escolha de suas decisões.

Mais uma mulher é morta, e precisamos nos mobilizar para que as autoridades, as leis e a sociedade como um todo gritem contra essa violência que amedronta e oprime as nossas mulheres.

É preciso que os nossos corações sangrem junto com o de Vivianny, que os seus algozes sejam exemplarmente punidos e que busquemos viver uma cultura de paz.

Que você, Vivianny, não seja mais um número na estatística, não seja esquecida como tantas outras que ainda hoje suas almas clamam por justiça.

Que os seus gritos a pedir para voltar pra casa sejam ouvidos e sirvam pra acordar aqueles que desejam um mundo mais justo, humano e fraterno.

  • (Texto de Karamuh Martins, Educador em João Pessoa)

17 Comente Seu erro foi querer voltar para casa

  1. Alexandre Vale (Piancó) Disse:

    Sábias palavras, meu professor Karamuh Martins (fui seu aluno no Geo-Patos). Muito triste saber que a sociedade se limita em acompanhar um caso desses como uma simples reportagem desses programas lixo que expõem a violência e não vivenciam o caso como se fosse um ente familiar. Estamos entregues não apenas pela incompetência do Estado Brasileiro, mas pela omissão e indiferença da própria sociedade.

  2. Felipe Campos Disse:

    han???? amigão, até onde eu sei, ela era uma mulher casada, com uma filha de 8 meses.Nada justifica a barbaridade que fizeram, mas a pergunta que eu faria era: o que uma mulher casada e com uma filha recém nascida estava fazendo num bar até 3 da manhã, traindo o marido, acompanhada de 4 vagabundos? Ela deveria estar em casa com o esposo e sua filha.

    • Luciana Costa Disse:

      Se fosse um homem casado e com filho (como existem muitos que saem pra festas e deixam a família em casa e voltam em segurança), não existiria esse tipo de pergunta. Como vc falou nada justifica. O motivo dela estar ali não interessa a ngm,pois cada um sabe dos seus atos, mas interessa a todos ela ter sofrido um crime tão violento e brutal. Os responsáveis tem que pagar! Pois a impunidade gera mais crimes. Como muitos outros que já aconteceram aqui na Paraíba, mas a memória do povo é fraca. Só a família e amigos, que se importam. Deixo como exemplo o caso de Rebeca Cristina #lutopelasmulheresdaparaiba

    • Emelly Disse:

      Problema dela se tava lá até às 3:00, 4:00 ou 5:00, se era ou não casada, se tinha ou não problemas, cada um faz o que quer da vida e nem por isso merece ser abusado e assassinado!

    • Larissa Lins Disse:

      E se fosse um homem que tivesse sido assassinado nas mesmas circunstâncias? Duvido que sequer vc pensasse nessas indagações.

      • Maria do socorro lims Disse:

        Com certeza. O homem pode tudo a mulher nada pode. Ela estará sacralizado a viver a sombra de um homem. Nessa sociedade machista e preconceituosa. Os homens não toleram a mulher independente. A mulher tem que ser aquela santinha, que vive a sombra de um homem.

    • Sonia Castro Disse:

      Por existir pessoas machistas e ignorantes Como o senhor, é que a nossa sociedade afunda num mar de lama e hipocrisia! Quanto preconceito!!!!!

    • Maria do socorro lims Disse:

      Isso é preconceito meu amigo. Se ela estava em um bar, sozinha onde estava o cretinismo do marido. Que deveria estar com outra. Isso é machismo brabo, e a mulher é livre como qualquer pessoa de sair e voltar na hora que lhe bem quiser. O que vc sabe da vida da mulher. Ela é livre e vive como bem quiser. Vivemos numa democracia. Deixe o machismo de lado, direito são iguais, se o machismo assim como o seu, desses assassinos chegam ao país de matar a menina, isso tem outras questões:falta de justiça, de respeito e estinto assassino. Certos homens precisar sair da saia da mamãe, e respeitar a sociedade da época, nos mulheres conquistamos a liberdade, que nos era garantida pela constituição, de igualdade de direitos.

    • Rômulo Disse:

      Que fique claro o seguinte:
      1 – Sim, ela tinha uma filha e, claro, o pai de sua filha. Ela não estava com o pai da filha, estavam brigados e ela saiu pra se distrair com sua amiga enquanto o pai de sua filha estava em outra cidade se distraindo à sua maneira!
      2 – A filha dela estava em ótimas mãos, ela foi responsável e deixou sua filha com os pais enquanto foi se divertir. E a hora que alguém, quando sai de casa, volta não é motivo nem a se questionar (no quê, de fato, isso faz diferença?).
      3 – Digamos que você estivesse certo, que ela estava traindo seu marido e abandonando sua filha (como já expliquei, isso não ocorreu), por qual motivo isso deveria ser questionado agora? estamos lidando com um ato de crueldade sem tamanho. Uma mulher que foi morta com pancadas de chaves de fenda na cabeça e teve seu corpo queimado (fora o que mais fizeram e não sabemos de fato). Tem certeza que seus questionamentos são os que merecem ser, de fato, abordados?
      Vamos abrir a mente, gente. Viver num mundo do jeito que tá e com gente de mente pequena como essas, certeza que um bom final não teremos!

  3. Fernando Dutra Disse:

    Tempos de barbárie esse que estamos atravessando. As leis precsam ser duras e inflexiveis. Infelizmente temos que escolher os locais e as pessoas com quem nos relacionamos no dia a dia…

  4. geraldo santos Disse:

    E o pior é que as nossas leis são frouxas e daqui 10 anos, esquecidos pela sociedade, esses meliantes voltarão às ruas e, adivinhem… praticarão novas barbaridades para voltarem ao cárcere, acostumados que estarão de comer e viver na sombra sem trabalhar.
    São necessárias penas mais duras como nos EUA, Indonésia e China.

  5. Ana Carla Disse:

    O motivo da jovem mãe estar em uma balada
    Não interessa a ninguém,o que deveria realmente interessar é a covardia,mostrualidade de por ser mulher estar sujeita a tamanha violência por mostros ,que tiram a vida das mulheres.

  6. Juliane Cunha Disse:

    O machismo e misoginia impregnados na nossa sociedade resulta nisso. A moça só teria responsabilidade e, ainda assim, talvez, sobre sua morte se fosse suicídio, já que atentar contra a própria vida é resultado de diversas circunstâncias. Sou uma jovem mulher e mãe de um bebê de 07 meses (só se considera recém-nascido até os 28 dias de vida) e me alegraria MUITO sair pra espairecer, mesmo que fosse com “desconhecidos”! Parem de romantizar a maternidade! Parem de ditar regras nas vidas alheias! Cada um sabe onde o calo aperta, sabe de suas próprias dores. Parem de culpabilizar a vítima, pois estão sendo tão cruéis quanto os próprios criminosos.

  7. Jorge Disse:

    Sempre caminhamos para o limite da vida. Voçe tem obrigaçao de ensinar seus filhos o perigo. A moça ingenua quando percebeu a gravidade em que se meteu , tarde demais pra voltar.

  8. Esse comentário de Felipe Campos é de mente vazia do mesmo jeito que o homem casado com filhos pequenos pode sair e chega de madrugada a mulher tem o mesmo direito. Agora esses mzr do mundo que ofende verbalmente,espanca,estrupa e mata tem que ser pago na mesma moeda…!!!

  9. ceysa Disse:

    A verdade é
    As mulheres são desproteginas abusadas discrinadas pela sociedade em sua maioria e o pior por muitas mulheres que são as primeiras a julgar… A mulher estar passivel de sofre a abuso de diferente formas independente da hora que sai de casa da hora que chega se estar dentro de uma igreja ou em uma festa. Para os que discordam me respondão por favor :UM HOMEM SAI DE CASA E TEM MEDO DE SER VIOLENTADO ABUSADO? Conclusão a mulher tem que ficar dentro de casa para que nada lhe aconteça…certo…e muitas são mortas pelos seus maridos. Gente vamos refletir parar de julgar e se por no lugar do outro pois o que fazemos aqui se certo ou errado iremos prestar contas só a Deus .

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *