Paraíba eleva qualidade de vida, mas ainda é 22º colocado no país

info-idhm

Embora venha melhorando devagar, mas gradativamente, a qualidade de vida de seus habitantes há duas décadas, a Paraíba ainda ocupa a 22ª posição no ranking nacional do Radar IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O índice da ONU é elaborado no Brasil em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro (FJP).

Os dados mais recentes foram divulgados nesta terça-feira (22) e apontam uma desaceleração da taxa de crescimento do índice, no país. Entre 2011 e 2014 ficou em apenas 1% contra taxa média anual de 1,7% entre 2000 e 2010.

Em âmbito estadual, mesmo lenta, a evolução alcançada elevou o Estado da faixa de desenvolvimento médio – quando a pontuação varia de 0,600 a 0,699 – para o nível alto. Em 2010, a Paraíba tinha IDHM de 0,658  e ocupava a 23ª posição entre as 27 unidades federativas.

Entre o anterior e o atual levantamento, o Estado subiu um degrau no ranking nacional ao ficar com índice geral 0,701. Tanto em 2010 quanto para definição do índice atual foi o item Longevidade que mais contribuiu para o IDHM da Paraíba evoluir.

Num ranking em que os três primeiros colocados são, pela ordem, o Distrito Federal (0,839), São Paulo (0,829) e Santa Catarina (0,817), a Paraíba ficou à frente apenas de Sergipe (0,681), Maranhão (0,678), Piauí (0,678), Pará (0,665) e Alagoas (0,667).

info-idhm-tabela

Ganha melhor e vive mais

Para o resultado divulgado nesta terça-feira, a menor contribuição foi da Educação, que pontuou 0,631, seguida da Renda (0,678) e a maior, Longevidade, com 0,794. A propósito, se considerado o índice atribuído à renda, isoladamente, a Paraíba ocuparia a 19ª posição no ranking nacional, à frente de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe, Piauí, Ceará, Pará e Maranhão.

Tudo isso significa, em resumo e numa tradução livre dos números da tabela de medição para a linguagem cotidiana, que a Educação no Estado ainda precisa melhorar bastante, mas o paraibano aos pouquinhos vem ganhando melhor e vivendo mais.

O que é e como é medido

O Índice de Desenvolvimento Humano é definido sob a perspectiva da melhoria da qualidade de vida em três dimensões: longevidade, educação e renda. O mesmo ocorre com o IDH Global, mas no Brasil a metodologia é adequada ao contexto nacional e à disponibilidade de seus indicadores.

A medição varia de 0 a 1 e, quanto mais próximo de 1, maior é o desenvolvimento humano de um país, estado ou município. A escala classifica as faixas de desenvolvimento como muito baixa (0 a 0,499), baixa (500 a 599), média (600 a 699), alta (700 a 799) e muito alta ( a partir de 800).

A definição do índice de cada dimensão obedece uma fórmula. O IDHM Educação é obtido pela média geométrica do subíndice de frequência escolar (com peso de 2/3) e do subíndice de escolaridade (peso de 1/1). O IDHM Longevidade é obtido a partir do indicador Esperança de Vida ao nascer e o IDHM Renda é obtido a partir do indicador de renda per capita, calculado mediante uma fórmula onde os valores mínimos e máximos são R$ 8,00 e R$ 4.033,00 (preços de agosto 2010).

  • (Com informações do Ipea e do Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil)

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *