Coleta de esgoto só atende 337 mil paraibanos no Semiárido

Lixo em estação de tratamento de esgotos de João Pessoa (Foto: SecomPB)

Lixo em estação de tratamento de esgotos de João Pessoa (Foto: SecomPB)

Divulgado nesta segunda-feira (24) pelo Instituto Nacional do Semiárido (Insa), o panorama do esgotamento sanitário em nove estados nordestinos, mais o Norte de Minas Gerais, demonstra que apenas 243 municípios – de um total de 1.135 da região – possuem sistema de coleta de esgoto sanitário. Na Paraíba, são apenas 22, ou, sejam 10% do universo de 223 cidades.O Insa adverte, porém, que a existência do serviço não constitui  garantia de atendimento à toda a população urbana dessas localidades, onde residem nada menos de 7,3 milhões de pessoas. Somente 43,7% dessas são efetivamente atendidas. Em território paraibano há 1,4 milhão de pessoas morando em 170 municípios de região semiárida, das quais 710 mil em municípios onde existem sistemas de coleta de esgotos, mas só 337 mil destes são, de fato, atendidos pelo serviço.

tabela-4-do-panorama-do-insa

No geral, conforme estimativa do Instituto, cerca de 10,9 milhões de habitantes das áreas urbanas do Semiárido brasileiro não dispõem do serviço de coleta de esgoto. Daí, diz o instituto, serem as fossas, sumidouros, valas a céu aberto e/ou lançamento direto nos corpos hídricos, os principais destinos dos dejetos gerados. Uma situação, de acordo com o órgão, que evidencia a ausência de investimentos e a exposição dos habitantes a diversas doenças infecciosas e parasitárias.

Ao analisar a abrangência estadual do sistema de coleta de esgoto sanitário, o Insa constatou que apenas nos semiáridos cearense (45,3%), mineiro (41,2%) e potiguar (27,2%) os percentuais de sedes atendidas são superiores à do Semiárido (21,4%), enquanto os demais estados ficam bem abaixo, como é o caso do semiárido piauiense, que apresentou apenas 3,9% das sedes beneficiadas.

Já quanto ao índice de atendimento urbano de esgoto, os menores percentuais foram observados nos semiáridos piauiense (32,0%), cearense (34,3%) e pernambucano (43,2%). Considerando a variação desse índice nas 243 sedes municipais da região semiárida, que contam com o serviço de esgotamento sanitário, constatou-se que em apenas 20,6% das sedes os valores foram superiores a 80% .

(Fonte: Instituto Nacional do Semiárido)

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *