Médica de Campina e empreendedora do Sertão ganham prêmio nacional

claudia-melo-premio-claudiarozimere-premio-claudia

Adriana Melo, a especialista em Medicina Fetal que comprovou a relação entre infecções por Zika e malformação em bebês, é a vencedora do Prêmio Cláudia 2016, na categoria Ciências, recebido ontem (4) à noite em São Paulo, capital, com direito à dedicatória “às mães que continuam a ser tratadas como números”. Rozimere Santos Oliveira Souto, que trabalha com empreendedorismo envolvendo mulheres no Sertão da Paraíba, venceu na categoria Consultora e Incentivadora.

O reconhecimento ao trabalho de Adriana Melo – agora reforçado por uma premiação com credibilidade e visibilidade nacional- chegou após haver conseguido, com participação de outros profissionais da área, alterar inclusive um protocolo do Ministério da Saúde. Antes, o MS só exigia a notificação do problema depois do parto. A médica mudou o foco do problema, chamou a atenção das autoridades do país e ganhou notoriedade.

A médica, que dirige um centro de pesquisa sobre zika e microcefalia em Campina Grande, dividiu também o palco do Prêmio Cláudia, no Teatro Santander, em São Paulo, com Rozimere Santos Oliveira Souto, que organiza a produção agrícola e o empreendedorismo entre as mulheres no Sertão da Paraíba. Ela venceu na categoria Consultora e Incentivadora, e dedicou o prêmio “às agricultoras e às mulheres que batalham por uma vida melhor”.

Adriana Melo, por sua vez, chamou atenção, na ocasião, para o fato de que mais importante do que o simples acompanhamento do registro de novos casos no país é o apoio que ainda falta às pesquisas. “Essas famílias tem nome e rosto, não podemos continuar tratando-as assim”, disse.

Recentemente, ela fez um desabafo que o blog registrou e repete, pela importância do objetivo e palavras da médica.“Tenho investido dinheiro do próprio bolso para continuar com as pesquisas, mas os equipamentos dos quais disponho não são suficientes para o grau de detalhamento que o problema exige”, disse.

Organizado pela Abril Comunicações S.A, em sete categorias e com 22 finalistas em sua 21ª edição, o Prêmio Cláudia “busca valorizar histórias memoráveis de mulheres excepcionais e atuantes na sociedade brasileira”.  Adriana e Rozimere, ao lado das vencedoras das outras cinco categorias, terão suas histórias publicadas na edição do mês de novembro da revista Claúdia.

(com informações do portal mdemulher.abril.com.br)

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *