Filme rodado na Paraíba e diretor paraibano premiados no Festival de Brasília

Guilherme Weber e Lima Duarte (Foto: Arquivo/Portal Catingueira)

Guilherme Weber e Lima Duarte (Foto: Arquivo/Portal Catingueira)

Filmado em São Mamede, interior da Paraíba, o longa metragem ‘Deserto’ ganhou ontem à noite (27) o prêmio de Melhor Direção de Arte do FestBrasília. O cineasta paraibano Vladimir Carvalho levou dois prêmios (Troféu Câmara Legislativa) na categoria curta-metragem: Melhor Direção e Melhor Roteiro por ‘Cícero Dias – O Compadre de Picasso’.

Vladimir Carvalho (Foto: José Varela/G1.Globo)

Vladimir Carvalho (Foto: José Varela/G1.Globo)

‘A Cidade Onde Envelheço’ foi o grande vencedor da 49ª edição do festival, obtendo quatro dos 14 troféus Candangos, principal premiação do evento. O longa mineiro, de Marília Rocha, trata da amizade de duas portuguesas em Belo Horizonte, e ganhou os prêmios de Melhor filme, Direção, Melhor Atriz (dividido entre Elizabete Francisca e Francisca Manuel) e Melhor Ator Coadjuvante (Wederson Neguinho).

Deserto‘ é livremente inspirado no romance mexicano “Santa Maria do Circo”, de David Toscana, que conta a história de uma trupe circense que funda uma sociedade no deserto do México. No filme, Weber e a roteirista Ana Lúcia Maia transpuseram a narrativa para o sertão nordestino. O filme, que tem o veterano Lima Duarte no elenco, foi locado na pequena Vila dos Picotes, zona rural de São Mamede e deu, na quarta-feira passada (21), ao diretor curitibano Guilherme Weber, o prêmio de melhor diretor no Los Angeles Brazilian Film Festival. A disputa, na categoria, foi com oito longas-metragens.

Os demais premiados em Brasília

O documentário ‘Martírio’ (PE) ganhou o prêmio de Melhor Filme pelo Júri Popular, enquanto a animação ‘Quando os Dias Eram Eternos’ (SP) foi eleita o Melhor Curta.

‘O Último Trago’ (CE), de Ricardo Pretti, Pedro Diogenes e Luiz Pretti, também foi destaque, conquistando três prêmios: Montagem, Fotografia (Ivo Lopes Araújo, que também venceu o Candango da categoria pelo curta ‘Solon’) e Melhor Atriz Coadjuvante (Samya de Lavor).

‘Martírio’, de Vincent Carelli, venceu o Prêmio Especial do Júri, terminando a cerimônia com dois troféus. O longa gaúcho ‘Rifle’ também conquistou duas categorias: Roteiro e Som. O filme de Davi Pretto saiu da cerimônia como o favorito da crítica, menção entregue pela Abraccine.

Os demais Candangos foram distribuídos para ‘Elon Não Acredita no Amor’ (o ator brasiliense Rômulo Braga) e ‘Vinte Anos’ (Trilha Sonora).

Antes da premiação, o festival prestou homenagens a dois símbolos do evento. A edição 2016 marcou os 20 anos do filme ‘Baile Perfumado’, de Paulo Caldas e Lírio Ferreira, exibido na cerimônia. O crítico e ator Jean-Claude Bernardet recebeu a medalha Paulo Emílio Salles Gomes, criada para esta edição da mostra.

(Com informações do FestBrasília e www. metropoles.com/entretenimento)

Comente Filme rodado na Paraíba e diretor paraibano premiados no Festival de Brasília

  1. Maria José Nicandro Disse:

    adorei onde vejo esses filmes?

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *