Premiado nos EUA, filme feito em São Mamede compete em Brasília

(Ilustração: cartaz do filme)

(Ilustração: cartaz do filme)

A pequena Vila de Picotes, zona rural de São Mamede, no Seridó paraibano, foi o cenário para Deserto, filme que deu o prêmio de melhor diretor ao curitibano Guilherme Weber no Los Angeles Brazilian Film Festival. Reconhecido como um dos mais importantes festivais de cinema brasileiro fora do Brasil, o evento promove mostras competitivas e paralelas, além de palestras e workshops.

A disputa envolveu outros  oito longas brasileiros inscritos nesta categoria. Só participam da seleção oficial filmes produzidos a partir de 2014 e que não tenham estreado nos Estados Unidos até a data da edição que está sendo realizada. A de 2016, ocorrida de 17 a 20 deste mês de setembro na Califórnia, teve a premiação divulgada na madrugada da última quarta-feira (21).

O longa será exibido na segunda -feira (26) na mostra competitiva do Festival de Brasília. Recentemente, antes da premiação internacional, chegou a ser exibido num evento em João Pessoa. Agora premiado, não tem data certa ainda para nova exibição na Paraíba. Nem, particularmente, em São Mamede.

Mas o diretor já fez, publicamente, seu agradecimento: “Feliz com esta homenagem ao meu trabalho e a de todos da equipe do filme! O cinema é uma arte de irmãos!”, escreveu em suas redes sociais após saber que tinha vencido o prêmio.

O filme é a primeira experiência atrás das câmeras de  Guilherme Weber, que é mais conhecido por sua carreira como ator de teatro — durante anos, ele foi um dos sócios da Sutil Cia. De Teatro e na televisão, na Rede Globo.

Deserto é livremente inspirado no romance mexicano “Santa Maria do Circo”, de David Toscana, que conta a história de uma trupe circense que funda uma sociedade no deserto do México. No filme, Weber e a roteirista Ana Lúcia Maia transpuseram a narrativa para o sertão nordestino.

“Quando li o livro fiquei fascinado e quis fazer uma adaptação. Mas não poderia ser no teatro, onde é difícil trabalhar os simbolismos de maneira concreta. Então decidi escrever um roteiro para cinema”, contou Weber.

A trilha sonora foi composta pelos músicos Luiz Ferreira e Rodrigo Barros, das bandas Beijo AA Força e Maxixe Machine, também concorreu a prêmio na noite. Já o elenco de ”Deserto” conta com o ator curitibano Claudinho Castro, além de nomes como Lima Duarte, Cida Moreira, Everaldo Pontes, Magali Biff.

Confira os longas-metragens com os quais Deserto concorreu no Los Angeles Brazilian Film Festival 2016:

A Esperança é a Última que Morre, dirigido por Calvito Leal
Cartas de Amor são Ridículas, dirigido por Alvarina Souza Silva
Cromossomo 21, dirigido por Alex Duarte
Jonas, dirigido por Lô Politi
Mais Forte que o Mundo – A História de José Aldo, dirigido por Afonso Poyart
Órfãos do Eldorado, dirigido por Guilherme Coelho
Tábuas com História, dirigido por Marcantonio Del Carlo
Travessia, dirigido por João Gabriel

(Fontes: maispatos.com/cinevitor.com.br/culturaemercado.com.br)

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *