Denúncia de nepotismo na PMJP. Cartaxo acusou o golpe?

Luciano Cartaxo e Cida Ramos (Fotomontagem: blogs Jornal da Paraíba)

Luciano Cartaxo e Cida Ramos (Fotomontagem: blogs Jornal da Paraíba)

Toda campanha eleitoral que se preze tem a sua ‘central de boatos’, disse hoje (6) um experiente jornalista que ‘joga nas onze’ quando se trata de avaliar desempenho de poderosos e empoderados. Analista e consultor político, marqueteiro e publicitário, além de comunicador de projeção no rádio e na tevê, o colega mostrou como funcionam as fábricas de fofocas, armações e factoides que entraram em operação neste ano da graça de 2016 e das eleições.

Professoral, começou dissertando sobre o enorme crescimento das centrais de boato nas duas últimas temporadas de disputa por voto, dinheiro e poder. Atribui o aperfeiçoamento e o avanço que a ‘ferramenta’ teria alcançado na peleja em cartaz à força das ‘redes sociais’. Facebook, Twitter, Instagram, WhatsApp e aplicativos do gênero seriam os grandes responsáveis pelo sucesso de embaraços criados aos adversários por usuários mais competentes no manejo de tais instrumentos.

Um ‘caso de sucesso’

Para validar sua tese, o jornalista-consultor-marqueteiro-publicitário citou o que ele chama pomposamente de “case de sucesso”. Remete à campanha em curso na Capital, onde Luciano Cartaxo (PSD), candidato à reeleição, estaria em apuros porque não consegue explicar como encheu todo um vagão de um suposto trem da alegria com parentes próximos que embarcaram na Estação Prefeitura com destino aos bons salários e gordas gratificações da folha de pessoal do município.

A história do nepotismo cartaxista, ampla e intensamente divulgada pela campanha da candidata Cida Ramos (PSB), aparentemente tem como lastro dados pretensamente irrespondíveis, indesmentíveis. Concorrem para essa impressão dois fatores bastante perceptíveis no comum dos mortais: o prefeito não conseguiria responder nem explicar convincentemente as nomeações e contratações de pessoas que ostentam o mesmo sobrenome dele. Daí por que toca apenas de raspão a denúncia quando cuida publicamente do assunto, que bota na conta do ‘desespero’ e da ‘falta de respeito’ dos adversários.

Prefeito na defensiva

A forma como Luciano Cartaxo trata a questão seria prova de que ele acusou o golpe. Permanece na defensiva e leva ao rádio e à televisão uma resposta que não responderia coisa alguma. Especialmente depois que o pessoal de Cida iniciou a Fase 2 da Operação Nepote, tendo como alvo uma irmã do prefeito por ele nomeada para a área de Saúde da PMJP. De acordo com as peças denunciativas, graças à nomeação assinada pelo irmão ela virou servidora efetiva, estável, apesar de ter obtido o 33º lugar num concurso público que a gestão anterior (Luciano Agra) abriu e realizou para preencher apenas dez vagas.

Confesso que pessoalmente, inicialmente, não acreditei nem faço fé no rendimento eleitoral do ‘nepotismo’ contra o prefeito. No meu juízo, de tão banal o procedimento nas administrações estaduais e municipais, o eleitorado já não reagiria mais com a indignação de antes. Mas o colega especialista nessas manhas e artimanhas de campanha garante que “o bicho pegou”. Tanto, emenda ele, “que depois do bombardeio contra Cartaxo no guia eleitoral a central de boatos girassol foi acionado para devastar de vez o inimigo”, garante.

“Pesquisa devastadora”

Segundo ainda o mesmíssimo multitalentoso profissional, a central de boatos mandou a campo uma tropa de choque armada até os dentes de uma exterminadora ‘pesquisa interna’ do PSB cujos resultados apresentariam ascensão vertiginosa da candidata do governador de um lado e, do outro, o prefeito em queda livre. Se é verdade ou não, as pesquisas regularmente realizadas e registradas na Justiça Eleitoral vão confirmar ou desmentir.

Enquanto isso, o QG cidista-ricardista já estaria preparando um ‘tiro de misericórdia’. O ataque final viria na forma de boato a ser espalhado sobre a vinda do deputado Eduardo Cunha (PMDB) para fazer discurso em palanque cartaxista e também gravar depoimento recomendando aos eleitores da Capital que votem no prefeito. Um boato de pouca verossimilhança e nenhuma chance de ser acreditada por pessoas minimamente inteligentes. Mas boateiro quer nem saber. O importante é dizer que o homem vem. E vem porque Cartaxo tem como candidato a vice o também deputado peemedebista Manoel Júnior, aliado de primeiro hora do ex-presidente da Câmara.

 

4 Comente Denúncia de nepotismo na PMJP. Cartaxo acusou o golpe?

  1. Italo Disse:

    Proposta para a cidade de João Pessoa nenhum dos dois quer dar. Por isso que até agora não tenho um candidato para votar. Infelizmente.

  2. Acredito que o atual prefeito de João Pessoa so chegou ao poder graças o apoio do saudoso prefeito Luciano Agra , que inclusive fez uma boa Gestão como prefeito não sei se ele realmente foi grato a luciano Agra , mas que teve o apoio dele teve sim……….essa é a verdade

  3. João Sousa Disse:

    Nepotismo foi o irmão de Ricardo na prefeitura de João Pessoa ocupando cargo na Urban ou Setor de Limpeza urbana…

  4. Edinaldo Lima Disse:

    Para mim, isto é muita sujeira. Golpes baixos. Oportunismos.
    Afinal, não sou político e, por isto é assim que entendo toda esta contenda.
    Acho que os candidatos deviam mostrar psra o que vieram. Dizer seus propósitos.
    Afinal, desconheço existir qualquer político que não pratica seus nepotismo em algum momento, em algum lugar.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *