Evento debate investigações e aumenta expectativa para ‘batismo’ do Gaeco/MPF na Paraíba

Foto: Ascom

Uma videoconferência, programada para a tarde da próxima sexta-feira (10), vai reunir num mesmo debate o promotor Octávio Paulo Neto, coordenador do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e o coordenador do Gaeco do Ministério Público Federal (MPF) no Estado, o procurador da República Tiago Misael.

A webinar promovida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) vai discutir o papel da instituição em investigações de combate a escândalos de corrupção e o crime organizado em todo o país.

Octávio é referência nacional, há anos, nesse tipo de investigação. Já Tiago Misael tem ganhado notoriedade após coordenar a ‘Operação Recidiva’, que apura desvios em 15 cidades da Paraíba em contratos que ultrapassam R$ 36 milhões. Também irão participar integrantes de Gaecos da Bahia e do Rio Grande do Norte.

Nos bastidores, tem crescido a expectativa para o ‘batismo’ (primeira operação) do Gaeco do MPF na Paraíba. O grupo foi criado em fevereiro e de lá para cá tem se dedicado na análise de casos envolvendo corrupção e desvio de recursos públicos.

Quem estiver ‘metendo a mão’ no dinheiro público já pode procurar ajuda para longas noites de insônia. O ‘batismo’, pelo visto, está sendo meticulosamente preparado.

Romero mantém planejamento para São João e estuda implantar protocolo sanitário em evento

Festa pode ter layout alterado para atender medidas de prevenção ao vírus. Prefeito aposta na diminuição da pandemia

Foto: Ascom

A possibilidade de realizar o Maior São João do Mundo este ano, mesmo com a pandemia do coronavírus, ainda não saiu dos planos do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD). Ele espera uma redução nos casos da covid-19 nos próximos meses e estuda a implantação de protocolos sanitários durante o evento, para diminuir os riscos de transmissão da doença.

Entre as medidas, que poderão ser adotadas, estão a diminuição do público no Parque do Povo e modificações no layout da festa. Ontem o prefeito se reuniu com representantes da empresa que promove o evento. O São João deste ano foi adiado para o período entre 9 de outubro e 8 de novembro.

“A expectativa é de que no início de agosto possamos, se os índices da doença continuarem sendo reduzidos, apresentar uma proposta com um novo layout do evento. Claro que sem esquecermos dos cuidados que devemos ter com a doença. Mas tudo depende dos rumos da própria pandemia”, disse Romero ao blog, hoje pela manhã.

A festa movimenta milhões na economia da cidade todos os anos. Ano passado, de acordo com uma pesquisa encomendada pelo setor de bares e restaurantes, o evento foi aprovado por 94% das pessoas e 98% dos turistas que visitaram a cidade se mostraram dispostos a voltar. Naquela época, claro, não havia o mínimo sinal de que agora estivéssemos vivendo uma pandemia.

Campina reabre shoppings, mas continua com bandeira laranja no mapeamento do Estado

Levantamento do Estado mostra ‘piora’ na cor da bandeira em 12 cidades da Paraíba. PMCG questiona posição

Foto: reprodução

Os shoppings e galerias comerciais de Campina Grande voltam a funcionar a partir de hoje. A reabertura faz parte da segunda etapa de flexibilização feita pela prefeitura e será acompanhada de protocolos de segurança para tentar prevenir a transmissão do coronavírus. Praças de alimentação, cinema e salões de jogos continuarão fechados. Mas a cidade, no novo mapeamento feito pelo Governo do Estado, continua na bandeira laranja, que indica a manutenção de restrições de muitas atividades e isolamento social.

Na última sexta-feira, inclusive, o prefeito Romero Rodrigues (PSD) questionou a posição. Na avaliação dele o município poderia estar com uma bandeira amarela, menos restritiva.

O município recuou da ideia de abrir, também hoje, bares, restaurantes e academias. Mas seguindo os indicativos da bandeira laranja, do Governo estadual, não seria permitida a abertura de shoppings e lojas comerciais não essenciais.

Foto: reprodução

Com números diferentes em mãos, que indicam uma duplicidade de 1.226 registros de confirmação da covid-19, a prefeitura parece estar aos poucos conseguindo ‘driblar’ os parâmetros estabelecidos pelo Estado. A flexibilização tem sido vista com bons olhos pelos segmentos empresariais e divide a população.

Novo mapeamento na Paraíba

A nova avaliação constatou que 136 (61%) municípios possuem bandeira laranja; 79 (35%) bandeira amarela; e oito bandeira vermelha (4%). Nenhum município da Paraíba obteve a bandeira verde.

Na prática, municípios sinalizados na bandeira vermelha, a exemplo de Bayeux, Santa Rita, Cruz do Espírito Santo, Barra de São Miguel e São Domingos do Cariri, devem permanecer com o funcionamento apenas de atividades essenciais, com restrição de locomoção de pessoas.

Já os municípios que estão em bandeira laranja, como João Pessoa, Conde, Guarabira, Campina Grande, Mari e Patos podem manter os serviços essenciais, porém sem restrição de locomoção.

Para os municípios que estão em bandeira amarela será permitido o funcionamento de hotéis, pousadas, comércio, shoppings, e serviços em geral, além de ser permitida a prática de esportes sem contato físico (natação, tênis, corrida).

UEPB aprova resolução que regulamenta aulas remotas a partir de 3 de agosto

Ainda não há previsão de retorno das aulas presenciais. Estudantes carentes poderão receber ajuda

Foto: Ascom

Após dias de discussão, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) aprovou hoje uma resolução que regulamenta o ensino remoto durante a pandemia do coronavírus, a partir do dia 03 de agosto. Até lá a universidade vai promover cursos de capacitação para os professores que tiverem dificuldade em utilizar as ferramentas tecnológicas e tentar garantir o acesso às aulas de alunos carentes –  que comprovem não ter equipamentos e internet.

Nas contas da Pró-Reitoria de Graduação da UEPB, 25% das turmas já implementaram o ensino remoto. “E nessa segunda etapa, que começa dia 3 de agosto, nós vamos dar continuidade a esse trabalho para alcançarmos os 100%”, disse ao blog o pró-reitor Eli Brandão.

Uma das possibilidades, que está sendo avaliada, é a utilização da mesma plataforma virtual implantada pelo Governo do Estado para a realização de aulas da Educação Básica.

A 3ª Etapa, aprovada pela resolução, estabelece o retorno das aulas presenciais. Mas ainda não há uma definição de quando elas voltarão a acontecer.

As aulas presenciais na UEPB, assim como em outras instituições públicas e faculdades particulares de Campina Grande, estão suspensas desde o dia 17 de março.

STTP identifica queda de 79% no fluxo de pessoas nas ruas de Campina mesmo após reabertura do comércio

Dados da STTP mostram queda no número de passageiros do transporte coletivo. Multas e câmeras de monitoramento também indicam redução

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

Dados da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) de Campina Grande identificaram uma situação curiosa, no que se refere ao fluxo de pessoas na cidade nos primeiros dias de reabertura do comércio. O movimento nas ruas, quando comparado ao período anterior ao início do isolamento social, diminuiu em torno de 79%. Os números são um reflexo, aparentemente, de dois pontos fundamentais: da cautela que as pessoas têm tido em sair às ruas durante a pandemia e, sobretudo, dos efeitos econômicos provocados pelo coronavírus – que têm ‘apertado’ o bolso dos consumidores.

Conforme os levantamentos, no período entre 9 e 11 de março foram aplicadas 664 multas por agentes de trânsito em Campina Grande. Já entre os dias 15 e 17 deste mês (primeiros dias da reabertura) esse montante foi de 154 infrações, uma queda de 77%. Já o quantitativo de passageiros no transporte público também está em baixa. Mais de 338 mil passageiros circularam nos ônibus no primeiro período, enquanto pouco mais de 68 mil utilizaram o serviço essa semana. Uma diminuição de 79%.

“Através das câmeras de monitoramento também temos registrado esse índice. Um sinal de que as pessoas continuam mantendo parte do isolamento social e tomando cuidado na hora de sair de casa”, assinalou o prefeito Romero Rodrigues, hoje pela manhã, na Rádio CBN.

Campanha da CDL-CG

Para tentar impulsionar as vendas e ajudar o consumido a identificar os estabelecimentos que estão adotando medidas de prevenção ao coronavírus a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-CG) de Campina Grande lançou a campanha ‘Loja Segura’. Estão sendo distribuídos para os lojistas kits com máscaras e outros produtos usados na higienização dos ambientes e colocados adesivos verdes nos locais que têm seguido as orientações de prevenção à doença.

A iniciativa é boa. Diante de um cenário de ‘escassez’ de clientes, tudo é válido para estimular o retorno, seguro, das atividades e das compras.

UEPB vai implantar ensino remoto e auxílio para alunos carentes durante pandemia

Propostas serão analisadas pelo Consepe na próxima quinta-feira. Aulas já estão suspensas por quase 90 dias

Foto: Ascom

Com as aulas suspensas há quase 90 dias, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) estuda adotar o modelo de ensino remoto a partir de agora, com o prolongamento da pandemia do coronavírus. A instituição está realizando uma consulta pública até hoje à noite sobre o tema. As sugestões serão analisadas na próxima quinta-feira, numa reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe). Entre as propostas que serão analisadas está a criação de um auxílio para ajudar estudantes carentes que não têm acesso à internet em casa.

Os alunos que comprovarem não ter acesso à internet e a computadores (ou equipamentos eletrônicos) nas suas casas, poderão receber uma bolsa ou o empréstimo dos equipamentos durante a pandemia – para poderem assistir às aulas remotas.

Para isso, a Pró-Reitoria Estudantil (PROEST) está fazendo uma pesquisa, até o dia 19 deste mês, para identificar o perfil e a necessidade dos alunos que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

As aulas à distância já estão em funcionamento em faculdades particulares paraibanas há muito tempo. A UEPB está tentando preencher esse ‘vácuo’ das instituições públicas e tem demonstrado preocupação com um ponto fundamental: a garantia de que as aulas chegarão para todos, independente das condições financeiras dos estudantes. É um bom sinal. A universidade pública tem o dever de encurtar desigualdades.

Mesmo com Corpus Christi ‘antecipado’ no feriadão, bancos serão fechados em Campina Grande amanhã

Anúncio foi feito pela Febraban e vale para todas as cidades do país que fizeram ‘feriadão’ por conta da pandemia

Foto: Walter Paparazzo

A data de Corpus Christi foi antecipada em Campina Grande por conta do ‘feriadão’ do coronavírus, no início do mês, mas amanhã os bancos estarão fechados na cidade. O anúncio foi feito pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A entidade informou que mesmo nos municípios onde as datas foram antecipadas por conta da pandemia, não haverá expediente nas instituições bancárias.

Com as agências fechadas, o pagamento de contas e boletos com vencimento em 11 de junho, incluindo de concessionárias, fica prorrogado até o dia útil seguinte. Já o calendário de saques do Auxílio Emergencial será pausado: amanhã não haverá novas liberações para transferências e retiradas. Aniversariantes em novembro e dezembro poderão movimentar as contas a partir de sexta e sábado, respectivamente.

O presidente do Sindicato dos bancários de Campina Grande, Esdras Luciano, disse que o sistema dos bancos (que é nacional) já havia sido programado para suspender as atividades no dia de Corpus Christi. Por isso não haveria como liberar o funcionamento fracionado das cidades onde houve a antecipação da data.

UEPB e UFCG decidem prorrogar suspensão de aulas até 12 de julho por conta da pandemia

Videoconferência entre reitores e representantes de instituições aconteceu na manhã desta sexta-feira

Foto: Ascom

Diante do avanço dos casos da covid-19 na Paraíba os reitores das universidades Estadual da Paraíba (UEPB) e Federal de Campina Grande (UFCG) decidiram prorrogar a suspensão das aulas até o dia 12 de julho. A medida foi tomada numa reunião, por videoconferência, na manhã desta sexta-feira. O debate também teve a participação de representantes do IFPB e de faculdades particulares de Campina Grande. O retorno das atividades estava previsto para o dia 14 deste mês.

Os reitores acertaram que irão fazer uma nova reunião no dia 3 de julho, para novamente discutir o assunto. No caso das faculdades particulares elas irão seguir as recomendações do Ministério da Educação, que estabeleceram a substituição das aulas presenciais por aulas em plataformas digitais.

Já o IFPB, embora a instituição tenha participado do encontro e venha seguindo as medidas conjuntas adotadas nas últimas reuniões, só decidirá sobre prorrogar a suspensão das atividades após uma discussão com órgãos internos. Na última vez que deliberou sobre o tema a instituição manteve as aulas suspensas até dia 30 de junho.

Estudo da UFPB estima subnotificação de 69% da covid-19 em Campina Grande e pico da doença para 4ª semana de junho

Análise feita por pesquisadores da UFPB aponta que quantitativo de casos na cidade pode estar perto de 6 mil registros

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

Um estudo feito pelo Laboratório de Inteligência Artificial e Macroeconomia Computacional (Labimec) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) traçou um panorama sobre os casos de covid-19 em Campina Grande. Com base na incidência da doença, nas taxas de recuperação e nos índices de isolamento social da população os pesquisadores estimam que há, na cidade, uma subnotificação de casos de aproximadamente 69%. O ‘pico’ de casos no município, conforme o levantamento, está previsto para o período entre a 4ª semana de junho e o início de julho.

“Observa-se que pode existir uma subnotificação de 69% dos casos de covid-19 19 no município de Campina Grande, com isso, o número real de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) pode chegar a um total de 5.835 pessoas”, destaca o documento, que considerou os dados do dia 3 de junho, quando a cidade tinha 1.809 casos confirmados da covid-19.

Hoje Campina Grande tem 2.006 casos confirmados da doença e 36 mortes, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. O índice de ocupação dos leitos de UTI na cidade é de 52%. A análise feita pelos pesquisadores também inclui dados sobre a mortalidade e o quantitativo de leitos disponíveis na cidade para o combate à pandemia.

Confira os dados da análise na íntegra

PMCG promove audiência pública para discutir contrato de R$ 45 milhões com Cagepa

Audiência remota está prevista para 14h e deverá ser transmitida pelo site da prefeitura

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

Está marcada para às 14h de hoje uma audiência pública que vai discutir a possibilidade de manutenção da Cagepa na exploração dos serviços de abastecimento de água e tratamento de esgotos de Campina Grande. A reunião acontecerá de forma remota e será transmitida no site da prefeitura. A minuta do Contrato de Programa entre os dois órgãos, publicada na semana passada, estabelece o pagamento de R$ 45 milhões pela outorga dos serviços.

Pelo documento os recursos serão pagos pela Cagepa em duas parcelas: uma de R$ 30 milhões e outra de R$ 15 milhões – até o fim deste ano. E a  Companhia teria o direito de continuar com a concessão por 35 anos – podendo ser prorrogada por igual período.

É importante que as pessoas acompanhem as discussões e cobrem, posteriormente, melhorias na qualidade dos serviços prestados, independente da empresa ou instituição que ficará com a concessão das atividades.

As negociações entre a prefeitura e a Cagepa avançaram em paralelo ao processo de licitação iniciado pelo município para contratar uma nova empresa/instituição para explorar os serviços. Os estudos foram iniciados em julho do ano passado e chegaram a habilitar empresas interessadas. Um edital, publicado pela prefeitura no início dos estudos para a realização da licitação, projeta que a outorga dos serviços estaria avaliada em, no mínimo, R$ 100 milhões (numa eventual licitação).

 

Foto: reprodução