Água da Transposição volta a ser bombeada, mas sem previsão de chegada na Paraíba

Canais já estão com água até a EBV6, em Sertânia. Rachaduras no Canal não devem atrapalhar passagem da água

Foto: Edvaldo José

As águas da Transposição do Rio São Francisco, no Eixo Leste, voltaram a ser bombeadas pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). A notícia é boa, já que desde fevereiro o bombeamento estava suspenso, mas ainda não há previsão de quando as águas voltarão a chegar em solo paraibano. Os canais estão com água até a Estação de Bombeamento EBV6, em Sertânia. Lá, técnicos do Ministério estão fazendo testes para colocar o sistema em atividade.

Após isso, de acordo com o presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA), Porfírio Loureiro, os canais irão levar a água para as barragens de Campos e Barro Branco, ainda em Pernambuco, para depois seguir para a Paraíba – no município de Monteiro.

“Dependendo da vazão que vai ser liberada, no Portal Monteiro, aí sim podermos ter um prazo para que a água passe pelo açude de Poções, pelo reservatório de Camalaú e chegue ao Açude de Boqueirão”, explicou Porfírio.

Problemas no Canal

No mês passado moradores da cidade de Monteiro denunciaram a existência de rachaduras ao longo do canal da Transposição. O problema foi alvo de uma inspeção realizada pelo Ministério Público Federal (MPF), que identificou que as fissuras não foram provocadas por fatores climáticos. As suspeitas são de que problemas na estrutura do canal teriam provocado o surgimento das imperfeições.

O Ministério do Desenvolvimento Regional informou que serviços de recuperação no canal estão sendo realizados, mas que a existência das rachaduras não compromete a passagem da água pelo canal. O que os paraibanos esperam, sobretudo quem mora no Cariri do Estado, é que as águas do Velho Chico voltem a ‘lubrificar’ terras paraibanas e tragam a esperança de dias melhores no convívio com a seca.

Prefeitura de Campina vai fazer vistoria coletiva de beneficiários no Aluízio Campos

Objetivo das visitas é fazer com que futuros donos dos imóveis possam conhecer as casas e apartamentos do Complexo

Foto: Codecom

Faltando menos de dois meses para a inauguração e entrega da obra, a prefeitura de Campina Grande vai fazer vistorias coletivas dos beneficiários no Complexo Aluízio Campos. A ideia é fazer com que todas as famílias, pelo menos 4,1 mil, conheçam as novas moradias. O Aluízio Campos deverá ser inaugurado no próximo dia 11 de Outubro, com a presença do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Os mutuários vão em grupo acompanhados de assistentes sociais. Irão lá fazer a vistoria e a análise dos imóveis. No caso das mudanças, elas apenas serão feitas após o dia 11, quando efetivamente for feita a entrega do equipamento à sociedade”, explicou o secretário de Planejamento do município, Diogo Lyra.

As vistorias técnicas do Banco do Brasil aos imóveis começariam na última segunda-feira (12), mas foram adiadas. Hoje representantes da prefeitura irão se reunir com a instituição, para definir novas datas. No caso das visitas coletivas, dos futuros donos das casas e apartamentos, ainda não há uma data marcada para que elas sejam iniciadas.

O Aluízio Campos

Com 4.100 imóveis, postos de saúde, três creches, dez praças com academias populares e uma área maior que dezenas de cidades da Paraíba, o Complexo Aluízio Campos será maior do que dezenas de cidades paraibanas. No local, inclusive, haverá uma subprefeitura, que irá administrar o espaço.

Na obra Estão sendo investidos cerca de R$ 330 milhões, sendo a maior parte dos recursos do Governo Federal. A prefeitura investiu R$ 30 milhões com recursos próprios e construiu uma adutora para abastecer a área. Os serviços tiveram início em 2015 e hoje estão praticamente concluídos.

Bolsonaro confirma presença na inauguração do Aluízio Campos e anuncia ações para CG

Presidente participou de transmissão pela internet com o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) confirmou, nesta quinta-feira (01), que participará da inauguração do Complexo Aluízio Campos, em Campina Grande, no próximo dia 11 de Outubro. Ao lado do ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, o presidente disse – durante transmissão pela internet – que visitará também as instalações da universidade Federal de Campina Grande (UFCG), onde estão sendo implantados centros para aprimoramento de tecnologias no tratamento de água.

“Desenvolvemos um centro de testes em tecnologias de dessalinização. A ideia é de trazer tecnologias para o Brasil e testar tecnologias nacionais e internacionais. Vamos criar nesse segundo semestre o Centro de Tecnologia de Águas, que vai incluir uma incubadora de empresas e escritórios de projetos e patentes. A ideia é criar empresas para uso de várias tecnologias ligadas à água”, explicou Marcos Pontes.

O Aluízio Campos

O Complexo Aluízio Campos possui 4,1 mil imóveis, entre casas e apartamentos, além de creches, postos de saúde e praças públicas. Desde o início, os serviços já se prolongam por quase cinco anos e passaram pelas gestões de três presidentes: Dilma Rousseff (PT), Michel Temer (MDB) e, agora, Jair Bolsonaro (PSL). No total foram investidos cerca de R$ 330 milhões no Complexo, sendo a maior parte dos recursos do Governo Federal.

Para aquecer economia, Romero anuncia festival gastronômico no PP após o São João 2020

Objetivo é atrair turistas para a festa e aproveitar a estrutura montada no Parque do Povo

Prefeito Romero Rodrigues fez anúncio das novidades na manhã desta terça-feira (16)

O São João de Campina Grande em 2020 já tem data marcada para acontecer. A festa será realizada entre os dias 5 de junho e 5 de julho do próximo ano e, depois disso, o Parque do Povo sediará um festival gastronômico e de inverno. O anúncio foi feito pelo prefeito Romero Rodrigues, durante uma coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (16).

O objetivo do festival é aquecer a economia da cidade no ‘pós-festa’ e aproveitar a estrutura montada no Parque do Povo. “Depois da festa nós faremos uma pausa de vinte dias para que ajustes sejam feitos na estrutura montada no Parque do Povo. Depois disso voltaremos com o festival gastronômico”, explicou Romero Rodrigues.

A proposta do festival recebeu o apoio de entidades ligadas ao comércio, da rede hoteleira e também dos hotéis da cidade, que têm no período junino um dos melhores do ano em termos de vendas e ocupações.  Em 2020 a festa vai homenagear o cantor Gabriel Diniz, que estudou em Campina Grande antes de se tornar famoso no Brasil inteiro.

Trem do Forró

Este ano o trem do forró, que leva turistas para o Distrito de Galante, descarrilou por conta de problemas na linha férrea. Mesmo assim, a intenção da prefeitura é manter o trem em funcionamento para o próximo ano. “E teremos também a padronização das barracas no Distrito de Galante, o que certamente vai atrair e encantar ainda mais os turistas que visitam o Distrito”, comentou Romero.

Água da Transposição só chegará no Sertão da Paraíba no fim de 2020

Previsão é do Ministério do Desenvolvimento Regional. Obra física está 98,7% concluída

Porfírio Loureiro, presidente da AESA. Foto: Pleno Poder

Depois da denúncia de abandono nas obras do canal da Transposição do São Francisco no Eixo Leste, feita ontem por moradores da cidade de Monteiro, no Cariri do Estado, uma informação divulgada nesta terça-feira (16) pelo presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA), Porfírio Loureiro, deve abalar a esperança de milhares de paraibanos do Sertão do Estado. Ele revelou que a previsão do Ministério do Desenvolvimento Regional é de que a água do Eixo Norte só chegue na Paraíba em novembro de 2020.

Caso essa estimativa se confirme, não havendo novos atrasos, a água do Velho Chico chegará ao Açude Engenheiros Ávidos, na região de Cajazeiras, mais de 14 anos após o início das obras – iniciadas em 2006.

A obra do Eixo Norte está 98,7% concluída e a previsão é de que seja concluída até o fim deste ano, mas o caminho percorrido pela água nos canais deverá ser bem mais demorado do que no Eixo Leste. “É que no caminho do Ceará até aqui a gente tem reservatórios grandes, que demandam tempo para estarem com um bom nível de água”, explicou Porfírio Loureiro. Depois de passar pela Paraíba, as águas seguirão para o Estado do Rio Grande do Norte.

Convívio com a seca

Enquanto as águas da Transposição não chegam, milhares de paraibanos continuam tendo que conviver com a seca e com os baixos volumes nos reservatórios da região. No caso do Açude Engenheiro Ávidos, o manancial está hoje com pouco mais de 20% de sua capacidade. Já o açude de Coremas, o maior da Paraíba e responsável pelo abastecimento de dezenas de cidades, está com apenas 16,2%. Na barragem Mãe D’Água, de acordo com dados da AESA, a situação ainda é pior. Hoje o reservatório está com pouco mais de 10% de sua capacidade.

UEPB estuda adotar novo sistema de ingresso na instituição

Proposta será discutida no Consepe no próximo semestre

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) vai discutir, no próximo semestre, um modelo alternativo para ingresso de estudantes na instituição. Hoje todas as vagas oferecidas são preenchidas pelo Sisu e a proposta é de que a universidade possa adotar também, para parte das vagas, a nota do Enem ou mesmo realizar um vestibular próprio.

O tema ainda vai ser discutido no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da universidade, com representantes de todos os setores que compõem a instituição. A busca por um novo modelo, de acordo com o reitor Rangel Júnior, ocorre devido à “instabilidade” no Ministério da Educação, o que pode provocar insegurança e modificações no sistema do Sisu.

“A instabilidade acaba pondo em dúvida a segurança do sistema. Então vamos discutir isso com toda a comunidade universitária. Se continuamos com 100% das vagas do Sisu ou se apenas parte delas”, comentou o reitor.

Caso adote um novo modelo de ingresso, o sistema deverá ser implantado gradualmente. Para o próximo semestre a expectativa é de que a universidade oferte cerca de 2,8 mil vagas. A crise no orçamento nos últimos anos não deverá comprometer a entrada de novos estudantes na instituição.

45,2 mil servidores da Paraíba podem ter salários bloqueados

Servidores do Estado ainda não fizeram a atualização cadastral obrigatória. Prazo termina dia 30 deste mês

Faltando menos de uma semana para o término do prazo para a atualização cadastral dos servidores públicos estaduais da Paraíba,  45,2 mil deles ainda não fizeram o procedimento. Os servidores ativos e inativos podem ter os salários do próximo mês bloqueados, caso não façam a atualização cadastral. De acordo com dados da Secretaria de Administração do Estado, na Paraíba 113 mil servidores devem atualizar os dados. Até agora, porém, apenas 60% deles já fizeram.

O anúncio para a atualização cadastral  foi feito pelo Governo do Estado desde o dia 21 de maio, através de uma portaria publicada no Diário Oficial. O procedimento está sendo realizado, pela internet, desde o dia 1º deste mês e vai até o dia 30 (próximo domingo). O receio da Secretaria de Administração é de que os servidores deixem para a última hora. “A nossa recomendação é de que os servidores façam o procedimento o quanto antes”, lembrou a secretária de Administração do Estado, Jacqueline Gusmão.

Na internet

Para fazer a atualização basta acessar o portal do Governo do Estado (www.paraiba.pb.gov.br). Lá, o servidor vai clicar num banner, localizado na parte superior da página principal, que será direcionado para o link da atualização. O servidor poderá realizar o procedimento usando inclusive um celular ou um tablete que tenha acesso à internet.

Após entrar no site, o servidor vai preencher os seguintes campos: matrícula, CPF, nome que está no contracheque e o valor do pagamento do mês de abril (o valor deve ser o líquido). Neste campo, onde o servidor vai digitar o valor do pagamento, os números devem incluir os dois dígitos finais (centavos).

Para quem ainda tem dúvidas sobre como deve preencher os dados, o Governo do Estado da Paraíba disponibiliza o canal 0800 083 9800. A ligação é gratuita e os servidores poderão tirar dúvidas com os atendentes, de segunda à sexta-feira, das 8h às 16h30, inclusive em horário de almoço.

Outro canal de tira dúvidas

O Governo do Estado também disponibilizou um ambiente artificial de tira dúvidas. Pelo site www.tiraduvidas.pb.gov.br a pessoa pode digitar qualquer palavra-chave que o sistema localiza a resposta correta para a dúvida. Neste ambiente artificial é possível, inclusive, se comunicar com uma atendente virtual, chamada de Sofia. Ao acionar esse atendimento desenvolvido com inteligência virtual, o servidor poderá também ter acesso aos vídeos que mostram o passo-a-passo de como preencher os campos da Atualização Cadastral.

No embalo do São João, Campina poderá ter 120 horas de ‘feriadão’

Comércio abrirá normalmente no dia 20. No dia de São João, 24, lojas do Centro da cidade deverão ficar fechadas

Foto: Artur Lira

No embalo do Maior São João do Mundo, quem mora em Campina Grande poderá ter, nos próximos dias, 120 horas ininterruptas para arrastar o pé no forró. A cidade terá dois feriados municipais, dias 20 e 24, aprovados recentemente pela Câmara de Vereadores e sancionados pelo prefeito Romero Rodrigues. Na sexta-feira (21), há a possibilidade (ainda não confirmada) de ser decretado ponto facultativo nas repartições municipais.

O ‘feriadão’ campinense coincide com o ápice do Maior São João do Mundo, que este ano terá como principal atrativo a gravação do DVD da cantora Elba Ramalho, no domingo dia 23, véspera de São João. Os feriados de Corpus Christi e do Dia de São João foram aprovados no fim do mês de maio.

Nos restaurantes e hotéis, o ‘feriadão’ é sinônimo de ‘casa cheia’ e lucratividade, já que cidade é rota certa para turistas nesse período do ano. Mas para o comércio o ‘feriadão’ pode não ser tão interessante. É que o São João é o segundo período mais importante do ano para os lojistas e, claro, eles precisam aproveitar a euforia dos consumidores com a festa.

A Associação Comercial e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade dizem que o comércio abrirá normalmente na próxima quinta-feira (20), mesmo sendo feriado municipal. Na sexta (21) e no sábado (22) as lojas também estarão abertas, independente da sexta ser considerada ponto facultativo ou não.

“É importante esclarecer que a abertura das lojas é facultativa aos comerciantes. Portanto, aqueles que optarem em atender os consumidores terão que pagar o abono, a cada trabalhador escalado para o trabalho, e oferecer uma folga de acordo com os direitos previstos na convenção coletiva dos empregados do comércio”, explicaram em nota as entidades.

O que os empresários esperam é que o embalo dos festejos juninos deixe, também, em ritmo acelerado a economia local. É, aliás, o que todos nós, indistintamente, esperamos.

Casas do Aluízio Campos serão entregues até 11 de outubro

Obra iniciada em 2014 passará pelas gestões de Dilma Rousseff (PT), Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PSL)

Complexo tem casas, apartamentos, escolas e postos de saúde. Foto: PMCG

Já são quatro anos e oito meses desde que a Ordem de Serviço para o início da construção do Complexo Habitacional Aluízio Campos, em Campina Grande, foi assinada. De lá para cá muitas visitas, inspeções, reuniões e listas com contemplados foram divulgadas, mas as casas e apartamentos ainda não foram entregues aos beneficiários. A data limite para a entrega, porém, já existe: 11 de Outubro deste ano, dia em que a cidade completará 155 anos.

O prazo para a entrega das casas é uma determinação do prefeito Romero Rodrigues, que há meses aguarda o fim do processo burocrático de liberação dos imóveis por parte do Banco do Brasil para os futuros moradores.

Na obra estão sendo investidos cerca de R$ 330 milhões, sendo a maior parte dos recursos do Governo Federal. A expectativa é de que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) participe da solenidade, em uma obra que foi iniciada no Governo Dilma Rousseff (PT) e passou pela gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB).

“Estamos correndo para deixar tudo pronto. Vamos fazer os sorteios das casas assim que o banco do Brasil liberar e não chegaremos a ultrapassar o dia 11 de outubro. É uma data que estamos tomando como deadline, último instante possível”, comentou o secretário de Planejamento da Prefeitura de Campina Grande, Diogo Lyra.

Entraves na documentação

As obras físicas do Aluízio Campos estão há meses praticamente concluídas, mas questões burocráticas junto ao Banco do Brasil têm tornado lento o processo de liberação dos imóveis para os futuros moradores. Hoje 139 pessoas que foram contempladas com as casas e apartamentos ainda possuem pendências ou inconsistências na documentação exigida pelo banco.

Na semana passada a prefeitura divulgou uma nova lista para cadastro de reserva contendo 150 vagas. O objetivo é agilizar a entrega dos dados, caso as pendências dos 139 beneficiários não sejam resolvidas.
“A medida que essas pessoas não conseguirem resolver esses entraves a gente já vai encaminhando essas pessoas do cadastro. Com isso a gente ganha tempo”, comentou Diogo.

A prefeitura quer evitar que a demora na entrega dos imóveis se transforme em desgaste para a gestão municipal. No total, 11,6 mil pessoas se inscreveram e estavam aptas a receber os imóveis. O sorteio aconteceu no dia 31 de janeiro de 2018 e foi acompanhado pelo Ministério Público Federal.

Aluízio Campos já é bairro

Embora não tenham sido entregues, as casas e apartamentos do Complexo Aluízio Campos já são, legalmente, um novo bairro de Campina Grande. A área e o número de casas são maiores, inclusive, do que a maioria das cidades paraibanas. Em março deste ano a Câmara Municipal de Vereadores aprovou um projeto de lei que instituiu o novo bairro. A expectativa é de que 15 mil pessoas irão morar no Complexo.