Por conta do coronavírus, prefeitura prorroga prazo para pagar IPTU em Campina Grande

Prefeitura espera arrecadar aproximadamente R$ 40 milhões com imposto. Parte dos recursos será destinada ao combate ao coronavírus

Foto: Ascom

Conforme tinha antecipado o blog, o prefeito Romero Rodrigues anunciou na tarde desta sexta-feira (27) a prorrogação do prazo para pagamento do IPTU, em Campina Grande. O imposto agora poderá ser pago em cota única até 30 de abril. A medida teve por base as dificuldades financeiras enfrentadas diante da pandemia do coronavírus, que têm apertado o orçamento familiar dos paraibanos.

Boa parte dos recursos que serão arrecadados com o IPTU será utilizada em ações de prevenção e combate à doença. Hoje a cidade confirmou dois casos de coronavírus. Um com a Covid-19 e outro do tipo Corona NL-63, que é menos agressivo.

As estimativas da Secretaria de Finanças do município são de que aproximadamente R$ 40 milhões sejam arrecadados este ano com o imposto. Para quem optou por dividir o pagamento, a primeira e a segunda parcelas podem ser quitadas sem multa e sem juros também até o próximo dia 30 de abril. Em tempos de crise, qualquer ajuda é sempre bem-vinda.

Prefeito Romero Rodrigues confirma 2º caso de coronavírus em Campina Grande

Uma mulher de 36 anos também está com a doença, diz gestor. O outro caso é um homem de 42 anos

Foto: Blog Pleno Poder

Após a confirmação do primeiro caso de coronavírus em Campina Grande pela Secretaria de Saúde do Estado, o prefeito da cidade Romero Rodrigues (PSD) usou as redes sociais para confirmar um segundo caso. Uma mulher, de 36 anos, também está com a doença. “Que Deus nos proteja, estamos trabalhando muito, mas precisamos da união de todos”, escreveu Romero.

O primeiro caso confirmado do novo vírus é um homem de 42 anos, atendido na Clínica Santa Clara. Ele passou por exames e está em isolamento domiciliar. O segundo caso é de um outro tipo de vírus, o Corona NL-63, que tem menor gravidade do que o Covid-19. As informações foram complementadas, posteriormente, no perfil do gestor.

As confirmações ocorrem no mesmo dia em que um grupo de empresários da cidade articula, através das redes sociais, uma carreata pedindo a reabertura do comércio. O evento está marcado para às 15h, no bairro do Catolé.

O fechamento das lojas atendeu a uma recomendação das autoridades de saúde, que alertam para a necessidade de isolamento social nesse período. A determinação vale até o dia 13 de abril.

 

No dia em que grupo articula carreata para reabrir comércio, Campina confirma 1º caso de coronavírus

Homem foi atendido em clínica particular, passou por exames e está em isolamento domiciliar

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

A Secretaria de Saúde do Estado confirmou, nesta sexta-feira (27), o primeiro caso de coronavírus em Campina Grande. Um homem de 42 anos, atendido na Clínica Santa Clara, passou por exames e está com a doença. Ele está em isolamento domiciliar. A confirmação ocorre no mesmo dia em que um grupo de empresários da cidade articula, através das redes sociais, uma carreata pedindo a reabertura do comércio. O evento está marcado para às 15h, no bairro do Catolé.

O fechamento das lojas atendeu a uma recomendação das autoridades de saúde, que alertam para a necessidade de isolamento social nesse período. A determinação vale até o dia 13 de abril.

Foto: reprodução

Na manhã de hoje, representantes da promotoria da Saúde do município e do Ministério Público do Trabalho (MPT) manifestaram preocupação com a proposta de reabertura dos estabelecimentos comerciais. Apesar de reconhecerem os danos provocados à economia, eles alertam que o instante é de ouvir os especialistas em saúde pública. E eles são claros ao afirmarem que evitar a aglomeração de pessoas é fundamental para diminuir a transmissão da doença.

A pandemia na Paraíba

A Paraíba chegou ao número de nove casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19). Além da inclusão do primeiro caso confirmado em Sousa, no Sertão paraibano, o novo boletim da Secretaria de estado da Saúde, também contabiliza dois homens, um de João Pessoa e outro de Campina Grande.

O homem de João Pessoa tem 56 anos e segue em isolamento domiciliar acompanhado pela vigilância municipal, segundo a SES. O novo boletim também revelou que 384 casos suspeitos de coronavírus foram descartados após a realização de exames. Dentre as amostras analisadas pelo Lacen-PB e Instituto Evandro Chagas divulgadas nesta sexta, foram descartados 57 casos. A Paraíba não tem mortes por Covid-19.

Força-Tarefa vai fazer ‘varredura’ para evitar aglomerações em Campina Grande

PM e Vigilância Sanitária irão fazer rondas para garantir cumprimento de decretos que previnem propagação do coronavírus

Foto: Ascom

Uma força-tarefa formada pela Vigilância Sanitária, Polícia Militar e outros órgãos vai tentar ‘barrar’ a aglomeração de pessoas e a abertura de bares, restaurantes, academias e outros estabelecimentos durante o período de pandemia do coronavírus. Os comboios irão percorrer as ruas de Campina Grande a partir desta terça-feira (24), passando por pontos específicos da cidade, para evitar o descumprimento das medidas preventivas adotadas (por meio de decretos municipais e estaduais) para inibir a propagação da doença.

O funcionamento de feiras e mercados públicos, por exemplo, deverá ser monitorado pela força-tarefa, assim como a realização de quaisquer eventos que provoquem a aglomeração de pessoas. No fim de semana, a Justiça determinou a suspensão de um casamento num hotel da cidade. Missas, celebrações, encontros e cultos religiosos estão suspensos, por conta da pandemia.

A criação da força-tarefa surge num momento em que o isolamento social pode significar a diminuição expressiva dos casos da doença. A fiscalização do cumprimento das medidas é extremamente necessária para que os decretos, que têm força de lei, não funcionem somente no papel ou no universo da pedagogia. A população precisa saber e sentir, na prática, isso.

Por conta da pandemia do coronavírus, prefeitura de Campina Grande adia São João para outubro

Maior São João do Mundo será realizado entre os dias 9 de outubro e 8 de novembro

Foto: Ascom

A edição deste ano do Maior São João do Mundo acontecerá entre os dias 9 de outubro e 8  de novembro. O anúncio do adiamento da festa, que estava prevista inicialmente para ser realizada entre 5 de junho e 5 de julho, foi feito no início da noite desta segunda-feira (23) pelo prefeito Romero Rodrigues (PSD). A decisão de alterar a programação do evento foi impulsionada pelo crescimento de casos de coronavírus no país – inclusive na Paraíba nas últimas semanas.

“Uma decisão que não é fácil, uma decisão difícil. É um evento com mais de 35 anos de existência, que sempre foi realizado em junho”, assinalou Romero, ao anunciar a nova data. Como parte da estrutura da festa já estava montada no Parque do Povo, os equipamentos poderão ser usados em ações de atendimento a pessoas vítimas da doença.

A nova data escolhida considerou ainda a realização das eleições deste ano. A prefeitura preferiu escolher um período posterior ao pleito, marcado para ocorrer no dia 4 de outubro.

Efeito do coronavírus: Romero vai anunciar nova data para o São João de Campina Grande

Decisão acontece por conta do avanço dos casos da doença e diante da necessidade de isolamento social da população

Foto: Blog Pleno Poder

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), decidiu fazer mudanças na programação do Maior São João do Mundo, por conta da pandemia do coronavírus. Ele anunciou que divulgará, no início da noite desta segunda-feira (23), através de uma live transmitida por suas redes sociais e pelos perfis oficiais da prefeitura, a nova data da festa.
Em nota, a prefeitura ressaltou que “a decisão do prefeito campinense levará em conta todas as circunstâncias e consequências da realidade imposta pela pandemia do Covid-19”. O São João deste ano estava previsto para começar no dia 5 de junho.
Romero vinha tratando com cautela o tema, mas com o avanço dos casos em todo o país e as perspectivas divulgadas pelo Ministério da Saúde, que indicam a manutenção da pandemia até pelo menos o mês de agosto, o anúncio foi antecipado.

Restaurantes e bares serão fechados em Campina Grande a partir de segunda-feira

Ônibus funcionarão com 30% da frota. Medidas fazem parte de ‘pacote’ para prevenir coronavírus e estimular o isolamento social

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

A partir da próxima segunda-feira (23) os restaurantes e bares de Campina Grande serão fechados e o transporte coletivo de passageiros, feito por ônibus, funcionará com uma frota reduzida de apenas 30%. A determinação é do prefeito Romero Rodrigues (PSD), após uma reunião com empresários do setor, e valerá até o dia 13 de abril. As medidas fazem parte de uma série de ações de prevenção ao coronavírus na cidade.

No caso dos restaurantes, os serviços de delivery continuarão sendo realizados. Pela manhã a prefeitura campinense já havia determinado o fechamento dos shoppings a partir da próxima segunda e à noite foi feito o anúncio de fechamento das lojas do Centro da cidade. Os parques da Liberdade e da Criança também serão fechados.

No caso do shopping popular Edson Diniz, localizado no Centro, a prefeitura também decidiu suspender as atividades, mas isentará os comerciantes do pagamento dos alugueis nesse período.

Prefeitura decreta fechamento de academias em Campina Grande por 15 dias

Objetivo é diminuir os riscos de proliferação do coronavírus em ambientes fechados

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

A prefeitura de Campina Grande determinou o fechamento de todas as academias da cidade como medida preventiva ao coronavírus. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira (18) pelo prefeito Romero Rodrigues (PSD), após uma reunião com os donos dos estabelecimentos. As academias deverão permanecer fechadas por 15 dias.

O objetivo é evitar aglomerações e reuniões sistemáticas de pessoas em ambientes fechados. O decreto que vai instituir e regulamentar o fechamento está sendo elaborado pela Procuradoria Geral do Município.

Foto: Ascom

O documento será assinado pelo prefeito e publicado no Semanário Oficial do município. As aulas e o funcionamento do teatro e da biblioteca municipal já tinham sido suspensas temporariamente.

Famup recomenda suspensão de aulas e aglomerações nos 223 municípios da Paraíba

Governo do Estado e prefeituras de João Pessoa e Campina Grande já suspenderam as aulas

Foto: Ascom

A Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (Famup) está recomendando que as prefeituras de todos os 223 municípios paraibanos adotem medidas semelhantes às anunciadas hoje (17) pelo Governo do Estado e por prefeituras como João Pessoa e Campina Grande, na prevenção ao coronavírus. As aulas foram temporariamente suspensas, assim como a realização de eventos que provoquem a aglomeração de pessoas.

“Vamos divulgar uma nota em que pedimos que os gestores sigam as orientações e as medidas já tomadas no Estado, para que a população tenha um aprendizado de como nos prevenirmos da doença”, observou o presidente da Famup, prefeito George Coelho.

Além disso, a recomendação da entidade é de que as prefeituras suspendam as férias concedidas a servidores da área da saúde e adotem medidas para implantar o atendimento por meios alternativos, como por email e telefone. Os atendimentos presenciais devem ser reduzidos.

As aulas em universidades públicas e privadas também foram suspensas nas maiores cidades do Estado.  Na Paraíba não há casos confirmados de coronavírus, mas 48 pacientes estão sendo monitorados por autoridades da Saúde.

UEPB, UFCG e faculdades particulares de Campina Grande suspendem aulas até 12 de abril

Decisão foi tomada em conjunto por reitores das universidades. UFCG vai definir funcionamento da parte administrativa e HUAC

Foto: Ascom

Em uma decisão conjunta, as universidades Estadual da Paraíba (UEPB), Federal de Campina Grande (UFCG) e o Instituto Federal da Paraíba em Campina Grande (IFPB) decidiram suspender as aulas e atividades acadêmicas até o dia 12 de abril. Além delas, faculdades particulares da cidade também adotaram a medida, que tem por objetivo prevenir a proliferação do coronavírus.

Representantes das instituições participaram de um encontro com o reitor Rangel Júnior, da UEPB, e assinaram o documento na manhã desta terça-feira (17). No caso das faculdades particulares, estão na lista a Unifacisa, Uninassau, Unesc, Rebouças, Cesrei e CEAS (Curso Técnico). Na UFCG, o funcionamento da parte administrativa e do HUAC será definido hoje à tarde.

Uma medida semelhante já havia sido adotada pela UFPB e pelo IFPB em João Pessoa. Ainda sobre a UFPB, o funcionamento do Restaurante Universitário (RU) será mantido até sexta-feira (20). Até lá, a instituição vai discutir se mantém o serviço ou se os estudantes receberão o benefício em dinheiro, para custeio da alimentação.