Opinião 10:36

Classe política precisa assumir ‘mea-culpa’ pelo agravamento da pandemia na Paraíba

Foto: reprodução

Não todos, mas boa parte da classe política paraibana precisa assumir a sua ‘mea-culpa’ pelo agravamento da pandemia no Estado. Ontem vi nas redes sociais vários agentes políticos apelando para que a população colabore com o combate à doença, mas alguns desses estavam, nas ruas – meses atrás – em aglomerações e passeatas informais durante a campanha eleitoral.

Naquela época, inclusive, já havia o ‘Plano Novo Normal’ do Governo do Estado e todos os critérios estabelecidos em bandeiras para os municípios.

Mas, na campanha, ninguém preocupou-se em exigir que o plano e as medidas fossem cumpridas.

Passado o período eleitoral, vieram as festividades carnavalescas. E é necessário reconhecer: o poder de polícia do Estado e de prefeituras falhou ao não coibir, como deveria, as aglomerações em praias e ruas.

Agora, após a constatação de que o ‘relaxamento’ desses critérios fez a população quase esquecer que estamos em pandemia, os poderes públicos estudam restringir atividades econômicas e querem o engajamento das pessoas.

O quadro é preocupante e requer medidas enérgicas, é verdade. Dos 223 municípios, 138 estão enquadrados na bandeira laranja. Algumas regiões estão diante de um risco iminente de colapso de leitos públicos e particulares.

Mas, além disso, alguns gestores e políticos deveriam assumir que contribuíram para esse cenário.

Às vezes diretamente, como no caso da campanha eleitoral; em outras situações, fechando os olhos para o problema.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *