Investigação 12:28

Cozinheira, motorista e agente de limpeza foram usados como ‘laranjas’ para desvios na Educação

Foto: Ascom

As novas fases da Operação Calvário, deflagradas hoje, revelam um ‘modus operandi’ semelhante a outros escândalos de corrupção descobertos no país recentemente. De acordo com o Ministério Público, o grupo acusado de fraudar licitações e desviar recursos da Educação da Paraíba utilizou empresas, com contratos milionários, em nome de ‘laranjas’.

Alguns desses ‘sócios’, conforme as investigações, mantinham uma vida simples, em bairros periféricos de Campina Grande.

Uma dessas pessoas, conforme o MP, é a cozinheira Sonaly Dias Barros. De acordo com as investigações, ela já figurou como sócia nas empresas L & M Lojão do Escritório LTDA, Alpha & Beta Construções e Soluções AP LTDA, esta última citada pela Revista Época por supostas irregularidades no fornecimento de livros para a prefeitura de João Pessoa entre os anos de 2007 e 2010 – quando o ex-governador Ricardo Coutinho era prefeito da Capital. Mais de R$ 1,7 milhão foram pagos na aquisição de livros, de acordo com o MP.

Os empreendimentos seriam administrados, conforme o MP, pelo empresário Pietro Harley, alvo de um mandado de prisão preventiva hoje pela manhã.

Sonaly não foi denunciada pelo MP nessas fases, nem alvo de mandados judiciais. Ela foi uma das beneficiárias em Campina Grande do Auxílio Emergencial do Governo Federal, conforme o MP.

A mãe de Sonaly, Josefa Dias Barros, também mantém uma vida simples. Mas aparece nas investigações por já ter figurado como sócia da empresa Construindo Conhecimento Editora LTDA. Ela foi denunciada pelo MP nessa fase.

Uma outra sócia dessa empresa, conforme a denúncia, é Ednazete Raulino da Silva. Ela já manteve vínculos como agente de limpeza, na prefeitura de Bayeux, e também como supervisora de ensino, na mesma prefeitura. Ednazete também foi denunciada pelo MP.

O esposo de Josefa Dias e pai de Sonaly, José Wamberto de Lima Barros, que seria motorista, também foi denunciado por envolvimento com o grupo.

As novas fases

Além dos mandados de prisão cumpridos hoje, as 11ª e 12ª fases da Operação Calvário, do Ministério Público, apresentaram à Justiça mais duas denúncias apontando a existência de um suposto ‘esquema’ de fraudes e desvios na Educação do Estado. No total são 31 denunciados, entre eles o ex-governador Ricardo Coutinho.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *