Denúncia 12:14

CRM-PB aponta falta de sedativos e antibióticos em UTI de hospital que trata pacientes com Covid-19

Inspeção foi feita após denúncia de médicos. Além dos medicamentos, um gasômetro estaria sem funcionar em Patos

Foto: Ascom

Os resultados de uma inspeção do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) apontam para uma realidade preocupante: estaria faltando medicamentos “básicos” – como antibióticos e sedativos – para o tratamento de pacientes que estão na UTI do Hospital Regional de Patos. A unidade é referência no Sertão do Estado no tratamento de vítimas da covid-19.

Médicos do hospital denunciaram à entidade que, além da falta de remédios, o gasômetro da unidade está quebrado há quase um mês, ou sem reagente – o que tem impossibilitado a realização do exame de gasometria arterial ou venosa, necessário para a condução adequada do paciente grave ou com ventilação mecânica.

Patos é quarta cidade do estado com o maior número de casos registrados de Covid-19. O município já registrou 2.109 casos e 62 óbitos pela doença.

“Sabemos que há um desabastecimento mundial de determinados medicamentos usados por pacientes que estão intubados. No entanto, o CRM-PB vem fazendo visitas constantes em hospitais paraibanos e tem encontrado situação satisfatória no estoque de medicamentos de unidades de saúde estaduais, inclusive. Os hospitais de Piancó, Itaporanga e Pombal, por exemplo, possuem essas drogas. Além disso, em Patos, não estão faltando apenas medicamentos sedativos e vasoativos, faltam remédios básicos como analgésicos e antibióticos”, ressaltou o presidente do CRM, Roberto Magliano de Morais.

Outro lado

Em nota, a direção do Hospital informou que “em função da atual conjuntura de pandemia e da instabilidade do próprio mercado abastecedor, a aquisição de alguns insumos, entre os quais, determinados medicamentos, está com suas entregas atrasadas”. Ainda conforme o hospital, “já havia um entendimento com outra unidade de saúde do Estado para a cessão de remessa de medicamentos, caso houvesse demora na entrega dos itens pelos fornecedores para o Complexo de Patos, o que já acontecerá nesta sexta-feira (17)”.

Análise
O fato é que é inadmissível que isso aconteça. Se havia essa previsão de escassez e de remanejamento, admitida na própria nota, o estoque dos materiais já deveria ter sido ‘socorrido’ pelas demais unidades – antes mesmo da inspeção realizada pelo CRM.
Confira a nota na íntegra da direção:
NOTA DE ESCLARECIMENTO
Sobre auditoria que o Conselho Regional de Medicina (CRM) realizou na noite desta quinta-feira (16), sendo representado pelo médico Bruno Leandro de Sousa, para averiguar uma denúncia de falta de alguns medicamentos na unidade, a direção do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) declara que:
• O Setor de Compras já havia feito o pedido dos medicamentos que estavam com estoque crítico, em caráter de urgência, especialmente, de Norepinefrina, Adrenalina, Lasix, Clopidrogrel, Atenolol, Propanolol e Cefritiaxona;
• Que em função da atual conjuntura de pandemia e da instabilidade do próprio mercado abastecedor, a aquisição de alguns insumos, entre os quais, determinados medicamentos, estão com suas entregas atrasadas;
• Que se antecipando aos fatos, já havia um entendimento com outra unidade de saúde do Estado para a cessão de remessa de medicamentos, caso houvesse demora na entrega dos itens pelos fornecedores para o Complexo de Patos, o que já acontecerá nesta sexta-feira (17);
• Por fim, reiteramos o compromisso com nossos pacientes no sentido de nos esforçarmos cotidianamente para manter a normalidade dos serviços prestados à população de Patos e região.
Patos, 17 de Julho de 2020
Direção do CHRDJC

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *