Pesquisa 14:21

Pesquisa indica que população de Campina está dividida quanto ao fechamento do comércio durante pandemia

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

O movimento de pessoas nas ruas de Campina Grande, muitas vezes descumprindo as regras de isolamento social, revela que parte da população é contrária à manutenção do fechamento do comércio da cidade durante a pandemia. Os números de uma pesquisa, feita pelo Instituto DataVox e divulgada hoje, indicam que a população campinense está dividida quanto ao tema. De acordo com o levantamento, 48,4% dos entrevistados estão de acordo com a manutenção do comércio fechado. Já 35,9% querem a abertura de mais alguns setores e 12,9% defendem a abertura total das atividades. Ainda conforme a pesquisa, 2,8% não opinaram nesse item.

Quanto à antecipação dos feriados, feita pela prefeitura, 70,7 % concordaram com a medida, enquanto 27,1% não avaliaram bem a iniciativa. A pesquisa foi realizada por telefone, entre os dias 5 e 6 deste mês. Foram realizadas 351 entrevistas em 38 bairros e dois Distritos da cidade.

Os números mostram que parcela da população, embora diante do crescimento de casos da covid-19 no município, pressiona por uma reabertura das atividades econômicas diante das dificuldades financeiras impostas pela crise e do prolongamento do isolamento social (quase 80 dias na Paraíba). A retomada das atividades poderá ocorrer a partir do dia 15 deste mês, conforme o Governo do Estado. Mas um dos critérios, proposto pelo Governo, é que o número de casos na localidade esteja em queda durante 14 dias.

Em Campina Grande o cenário é de crescimento dos casos. São 2.473 registros confirmados da doença, conforme a Secretaria de Saúde do município. Depois do dia 15, contudo, Estado e prefeitura – juntamente com outros órgãos – serão chamados a avaliar se está na hora de manter as portas fechadas ou promover uma reabertura gradual das atividades. A decisão não é fácil. O assunto em Campina Grande divide, inclusive, a parte mais importante nesse debate: a população.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *