Coordenador do Gaeco avisa: “investigações não irão parar por conta do coronavírus”

Investigadores trabalham na análise de documentos apreendidos na 8ª fase da Calvário, mas outras ações estão em andamento

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

Escolas, academias, eventos com grandes aglomerações e até mesmo alguns procedimentos do Judiciário foram temporariamente suspensos por conta do avanço dos casos suspeitos de coronavírus na Paraíba nos últimos dias. Mas as investigações que têm como alvo a prática de corrupção não irão sofrer interrupções.

Pelo menos é o que garante o coordenador do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), promotor Octávio Paulo Neto. “As investigações não irão parar por conta do coronavírus nesse período. Já elaboramos algumas estratégias, que incluem o teletrabalho, e tudo continuará normalmente”, assinalou ao blog.

Na última terça-feira equipes do Gaeco cumpriram um mandado de busca e apreensão contra um grupo acusado de planejar as mortes de um delegado e de um promotor do Mato Grosso do Sul.

Com relação aos casos da Paraíba, os investigadores estão aprofundando a análise de provas colhidas durante a 8ª fase da Operação Calvário, que investiga desvios milionários na Saúde pública do Estado. Outras fases da investigação poderão surgir em breve.

Mas há, também, outras operações em andamento e, quem sabe, elas provocarão prisões e buscas ainda sob o período de ‘quarentena’ do coronavírus.

Tudo é possível. Ao que parece, empenho não vai faltar por parte do Gaeco – mesmo com a pandemia do ‘corona’.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *