Sousa tem 1.740 imóveis tombados e FCDL denuncia dificuldades para comércio

Entidade diz que excesso de tombamentos atrapalha comércio da cidade. 44 ruas e terrenos também estariam tombados

Foto: Beto Silva

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas da Paraíba (FCDL-PB) está denunciando uma situação, no mínimo, inusitada na cidade de Sousa, no Alto Sertão do Estado. A entidade diz que por lá existem hoje 1.740 prédios públicos e privados tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (IPHAEP).

O excesso de imóveis nessa condição, conforme a entidade, tem dificultado o comércio e a atração de novos investimentos para o município. É que os empresários ficariam impedidos de promover modificações nas fachadas dos imóveis, por exemplo, por conta dos tombamentos.

“A gente sabe muito bem que existem alguns prédios e residências que têm braço histórico em Sousa. Porém, nosso pleito maior não é retirar a importância de todos os imóveis, mas sim destacar apenas os que realmente tenham algum traço histórico”, defendeu o presidente da FCDL, José Lopes da Silva Neto.

A FCDL estima que Sousa possui mais prédios tombados do que a cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais, agraciada pela UNESCO como patrimônio cultural da humanidade. Além dos prédios, o levantamento aponta que 44 ruas e vários terrenos também foram tombados pelo IPHAEP. O Blog procurou o órgão estadual, mas ainda não conseguiu respostas sobre o assunto.

Diante do problema, os empresários formaram uma comissão para debater a questão. Eles pedem que o IPhaep faça uma revisão dos imóveis. Até porque, em tempos de crise, o que menos se espera é o distanciamento de investidores dos municípios paraibanos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *