Em encontro com sertanejos, Bolsonaro recebe pedido pelo fim da meia-entrada

Pedido foi feito pelo presidente da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape). Proposta retiraria direito de estudantes e idosos

O presidente Jair Bolsonaro foi homenageado ontem por cantores sertanejos, em uma cerimônia no Palácio do Planalto. Uma carta de apoio, lida no evento, diz que Bolsonaro realizou “notáveis feitos” em “diversos setores produtivos” e é um “um governante que trabalha em prol de seu povo”. O presidente, por sua vez, agradeceu ao apoio que os sertanejos lhe deram durante a campanha eleitoral.

O que ‘roubou’ a atenção no evento, porém, não foi a homenagem ao presidente. Mas sim o pedido feito pelo presidente da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), Doreni Caramori Junior. Ele pediu o fim da meia-entrada em eventos culturais. “Meio livro não existe, meia bicicleta não existe. Não pode o Estado brasileiro intervir na economia e tomar 50% sem nenhum tipo de compensação”, defendeu.

A meia-entrada é regulamentada no Brasil pela Lei Federal 12.933, de 2013, que dispõe sobre “o benefício do pagamento de meia-entrada para estudantes, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes em espetáculos artístico-culturais e esportivos”.

A legislação possui como fundamento a necessidade de democratização da cultura, uma vez que facilita o acesso de grupos que, em tese, teriam dificuldades em participar de eventos – algo imprescindível em um país onde os ‘bens culturais’ e os ‘bons espetáculos’ ainda estão longe do poder aquisitivo da maior parte dos brasileiros.

O presidente ouviu o pedido e preferiu não se comprometer com o pleito, mas disse que os presentes poderiam enviar sugestões de leis e decretos. A esperança é de que, pelo menos nesse caso, ele não tenha aderido à ideia.

*** Com informações de O Globo

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *