Após nova impugnação, STTP adia para 31 de janeiro a licitação da Zona Azul de Campina Grande

Procedimento pretende contratar empresa, ou entidade, para administrar o serviço na cidade

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

Depois de denúncias de falta de transparência na prestação de contas dos recursos da Zona Azul de Campina Grande, a prefeitura tem tentado fazer uma nova licitação no setor, mas não tem sido fácil. Mais uma vez o procedimento teve que ser adiado. A realização do pregão eletrônico estava marcado para a semana passada, mas uma nova impugnação adiou o procedimento para 31 de janeiro.

Foto: Reprodução Semanário Oficial

O processo licitatório atende a uma recomendação do Ministério Público. Com a licitação o município vai contratar uma empresa especializada no serviço de Zona Azul digital, “com locação de software e equipamentos de gerenciamento necessários para solução integrada para a operação, gerenciamento e fiscalização das atividades”.

A Zona Azul

Atualmente a Zona Azul em Campina é administrada por três associações: a União Campinense de Equipes Sociais (UCES), a Rede Nacional de Pessoas Vivendo e Convivendo com a AIDS (RNP) e a Cooperativa Paraibana de Pessoas com Deficiência.

Juntas elas arrecadam, segundo estimativas da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), cerca de R$ 180 mil por mês. Por ano, considerando um período de doze meses, os recursos ultrapassariam a cifra de R$ 2 milhões. Desde 2002, de acordo com o MP, a escolha das entidades que administram a Zona Azul tem sido feita por meio de convênios de cooperação – sem procedimento licitatório.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *