O bom senso recomenda que Romero não recorra da decisão que suspende doação ao Sítio São João

Em nota, prefeitura de Campina Grande diz que vai avaliar decisão após ser notificada

Foto: Blog Pleno Poder

O bom senso recomenda que o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), não recorra da decisão judicial que suspendeu a doação do terreno público de 24,8 mil m² para a empresa que promove a Vila Sítio São João. E não somente pela decisão judicial, mas por uma série de circunstâncias que envolveram a tramitação do projeto.

A primeira delas é a falta de discussão com a sociedade. O projeto, enviado em caráter de urgência ao Legislativo, foi discutido e aprovado em 43 minutos pela Câmara. A segunda é o fato de o argumento usado para sedimentar a doação, a proteção ao Sítio São João das intempéries políticas, não ser razoavelmente suficiente para justificar a doação de um patrimônio público a um espaço que cobra para receber visitação.

A contrapartida social, a entrada gratuita de crianças da rede municipal de ensino, sequer foi expressa no ‘corpo da lei’ aprovada – ficando para ser regulamentada posteriormente.

E o mais importante: a opinião pública não viu com bons olhos a doação. As críticas foram desencadeadas em série. Entidades importantes, como a OAB, se manifestaram. Até mesmo aliados e membros da gestão municipal, nos bastidores, tiveram dificuldade em defender a ideia.

Romero, que está prestes a concluir o segundo mandato à frente da prefeitura campinense, deve seguir o bom senso e não recorrer da decisão judicial. Deve ouvir as vozes das ruas, das redes sociais e da cidade, que desaprovaram de forma massiva o projeto. Não será nenhum demérito desistir do projeto. É o que lhe resta, diante do desgaste político provocado pela proposta.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *