Após ser preso na ‘Famintos’, Renan Maracajá anuncia que será candidato à reeleição em 2020

Vereador foi denunciado por fraudes pelo MPF, mas diz que candidatura terá apoio popular

Depois de passar quase um mês preso por conta das investigações da ‘Operação Famintos’ e ser denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por envolvimento em fraudes, o vereador de Campina Grande Renan Maracajá (PSDC) anunciou que vai disputar a reeleição em 2020. Renan foi eleito pela primeira vez em 2016, sendo o vereador mais votado da cidade.

De acordo com ele, a decisão de concorrer à reeleição é um pedido da população campinense. “É um pedido do povo, é um pedido dos meus amigos, dos eleitores. Então o compromisso é o mesmo, a vontade é dobrada e se Deus quiser em 2020 vamos fazer um trabalho do jeito que foi feito em 2016”, comentou.

Embora tenha sido denunciado pelo MPF, por envolvimento nas supostas fraudes investigadas na ‘Famintos’, Renan diz estar tranquilo. “Sei dos atos, confio na Justiça. Todos os amigos estão cientes e a resposta é quando eu saio às ruas”, avaliou Maracajá.

Do ponto de vista legal, não há hoje qualquer impedimento de uma possível candidatura do vereador. Para ser impedido de concorrer ele teria que ser condenado pela Justiça (e a sentença transitar em julgado) ou, pelo menos, em segunda instância – o que dificilmente acontecerá até outubro do próximo ano. O maior desafio dele vai ser convencer os eleitores, após todas as acusações feitas pelo MPF na ‘Famintos’.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *