Governador dá ultimato ao PSB e decide até o fim do ano se fica ou sai do partido

Com agenda intensa em Brasília, à procura de recursos, João voltou a falar sobre a crise interna no PSB paraibano

Foto: Secom/Divulgação

Diante do impasse no PSB paraibano, o governador João Azevêdo (PSB) pediu “paciência” aos filiados. Ele disse que até abril as questões partidárias podem ser resolvidas, mas deu um ultimato à legenda: “até o fim do ano só teremos duas alternativas. Ou ficar no partido ou sair do partido. Não existe outra alternativa”, afirmou. A declaração surge em um momento em que os ânimos internos dentro do PSB estão acalmados, mas os resquícios do ‘distanciamento’ entre as duas alas da legenda ainda não foram totalmente superados.

“Evidentemente que não vamos esperar abril para tomarmos uma decisão. Até o fim do ano estaremos definindo essa questão. Quem gerou o problema que resolva. E caso não haja condição de permanência,
não terei problema nenhum de colocar minha posição de mudar de agremiação”, comentou João Azevêdo.

Com uma agenda intensa em Brasília, à procura de recursos e emendas no orçamento da União, o governador disse que não manteve contato com a direção nacional do PSB para tratar sobre o tema. Ele lembrou, porém, que a dissolução do diretório e a retirada de Edvaldo Rosas do comando da legenda no Estado criaram o ambiente de instabilidade na legenda.

“É importante que o partido demonstre se tem interesse de ter um governador no partido ou não. Existem coisas que precisam ser colocadas. A forma como foi feita a dissolução do diretório, a forma como foi tirado o companheiro Edvaldo da presidência, não foi uma forma democrática. Não foi a forma correta”, pontuou João.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *