Investigação de fraude no Bolsa Família teve início com auditoria da PMCG

Servidor investigado teve contrato rescindido. Auditoria da Semas identificou 32 situações suspeitas

A Operação Simbiose, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (22) em Campina Grande e que apura a inserção de dados falsos para aumentar os valores pagos a beneficiários do programa Bolsa Família, foi iniciada a partir de uma auditoria realizada pela Secretaria de Assistência Social do município. A apuração identificou pelo menos 32 situações suspeitas de pessoas que recebiam o benefício e com um ‘perfil’ econômico parecido.

“A partir disso nós reunimos informações e encaminhamos aos órgãos competentes para que a investigação fosse feita. Ainda não é possível mensurarmos o montante de recursos, porque isso vai ficar por conta da Caixa Econômica Federal”, explicou o coordenador do programa Bolsa Família em Campina Grande, Rubens Nascimento.

Segundo as investigações, um servidor contratado pela prefeitura e que trabalhava no Cadastro Único seria o responsável pelas fraudes. Ele deverá ser indiciado por inserção de dados falsos e corrupção passiva, já que cobraria dos beneficiários pelo aumento dos recursos pagos pelo programa. A prefeitura de Campina Grande rescindiu o contrato, após descobrir as supostas fraudes.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *