Com ‘corte’ de R$ 44 milhões, UFPB faz campanha para reduzir conta de energia

Reitoria teme que aperto financeiro inviabilize funcionamento da instituição depois de setembro

Foto: Gabriel Costa/Arquivo Pessoal

A situação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no que se refere ao orçamento disponível para a instituição em 2019, não está nada boa. Com um corte (ou contingenciamento, como o Governo Federal prefere) de R$ 44 milhões em recursos, a universidade está tendo que fazer uma campanha para reduzir os gastos até mesmo com energia elétrica.

A determinação da Reitoria é de que todos os setores ‘apertem os cintos’. “Estamos fazendo campanhas para redução do gasto com energia. Nossa energia é mais de um milhão de reais por mês. Mas a preocupação é enorme, porque estamos apertando o cinto onde é possível fazer”, explicou a reitora da UFPB, professora Margareth Diniz, acrescentando que a universidade já teve que fazer cortes na terceirização de serviços.

Risco de colapso gera protesto

Com o orçamento disponível, após o contingenciamento, tanto a UFPB como a UFCG só terão recursos suficientes para manter o pleno funcionamento das atividades até o fim do próximo mês. No caso da Universidade Federal de Campina Grande, o bloqueio de recursos chegou a um patamar de R$ 27 milhões. Nesta terça-feira (13) estudantes e professores das duas instituições realizaram protestos, em João Pessoa e Campina Grande, contra as medidas do Governo Federal e os cortes na Educação.

O Ministério da Educação (MEC) bloqueou, no final de abril, uma parte do orçamento das 63 universidades e dos 38 institutos federais de ensino. O corte, segundo o governo, foi aplicado sobre gastos não obrigatórios, como água, luz, terceirizados, obras, equipamentos e realização de pesquisas. No total, considerando todas as universidades, o corte é de R$ 1,7 bilhão, o que representa 24,84% dos gastos não obrigatórios (chamados de discricionários) e 3,43% do orçamento total das federais.

3 Comente Com ‘corte’ de R$ 44 milhões, UFPB faz campanha para reduzir conta de energia

  1. Ângelo Rodrigues Disse:

    Talvez assim aprenda-se a administrar corretamente. O problema da UFPB nunca foi de falta de recurso, sempre foi de uma péssima gestão; dinheiro sempre teve, e muito, mas não souberam administrar e o resultado da má gestão está nas obras paradas há muitos anos e que se tornaram grandes elefantes brancos espalhados pelo campus. Só pra citar uma, em frente à própria reitoria há uma obra de um ginásio parada há mais de 5 anos e que está caindo aos pedaços, dificilmente vai dar pra ser continuada sem ter que refazer quase do zero novamente; um outro ginásio ao lado da quadra de Educação física também, fora as demais obras paradas e destruídas pelo descaso, basta andar pelo campus para comprovar. Dinheiro público muito mal administrado. Aí isso os estudantes e professores que estão fazendo protesto não veem? É uma cegueira convencional ou deliberada? Aí agora estão chorando o contigenciamento? Sou a favor da universidade pública sendo pública, sim. Mas independente do atual governo (que nem me agrada), prefiro que tenha contigenciamento a ver meu dinheiro jogado no ralo.

  2. edivirgis Disse:

    Bom dia! seu angelo mas é um absurdo cortar verba, porque o presidente não corta verba dos ricos como no caso dele e dos senadores vem cortar dos pobres isso não ta certo era bom que ele cortasse do seu isso se voce trabalha né.

  3. Servidor da UFPB Disse:

    Que campanha? Não tem campanha nenhuma na UFPB para reduzir gastos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *