Vistoria do MPF constata que rachaduras na Transposição não foram provocadas pelo clima

Relatório técnico foi pedido pela procuradora da República Janaína Andrade. Engenheiros identificaram problemas no canal do Eixo Leste

Ao contrário do que afirmou o Ministério do Desenvolvimento Regional, as rachaduras identificadas ao longo do canal da Transposição das Águas do Rio São Francisco podem não ter relação com fatores climáticos. Pelo menos é o que indicam as conclusões de engenheiros do Ministério Público Federal (MPF), que realizaram uma vistoria entre os dias 21 e 22 deste mês na obra. Os problemas encontrados indicam falhas estruturais no projeto do Eixo Leste da Transposição.

“Em conclusão a esta informação técnica, tenho a expor que os canais da Transposição do São Francisco apresentam uma série de patologias que são incompatíveis com o tempo decorrido desde a construção. A meu ver, tais patologias estão associadas a impropriedades quando da concepção e/ou execução da obra e não a fenômenos naturais ou climáticos da região. Entendo que o excesso de fissuras, trincas e mesmo a ruptura do concreto que reveste o canal por si só é um indicativo de que: ou a qualidade do material ficou aquém daquela desejada (elevado fator água/cimento, condição de cura insatisfatória, etc.) ou existe uma deficiência na concepção das juntas de dilatação e controle”, esclarecem os engenheiros ao analisarem os problemas na obra.

Em outro trecho, os engenheiros salientam que “o “Sistema de Drenagem Externa” possui a finalidade de proteger as obras dos canais da transposição dos efeitos das chuvas intensas e da erosão. Durante a inspeção, foi constatado que vários trechos dos canais de drenagem externa estão completamente danificados (Fotos 14 a 17), comprometendo o direcionamento das águas para todo o sistema”. O documento será encaminhado pelo MPF ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

Após denúncias de moradores da cidade de Monteiro, relatando a existência de rachaduras nas paredes do canal e plantas, o Ministério do Desenvolvimento Regional levantou a possibilidade, através de nota, de que os problemas poderiam ser causados pelas altas temperaturas na região do Cariri do Estado.

O caso

As rachaduras e a presença de plantas às margens e dentro do canal foram registradas por moradores de Monteiro, que sofrem com a falta de bombeamento da água da Transposição desde o mês de fevereiro deste ano. Para o MPF, caso obras complementares na Transposição não sejam realizadas, como a revitalização do Rio Paraíba e a recuperação de barragens, o investimento pode não chegar a beneficiar a população do Cariri do Estado.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *