Colapso nas federais: UFPB e UFCG vão parar após setembro por falta de recursos

Universidades sofrem com o contingenciamento feito pelo Governo Federal. Reitores dizem que só há orçamento até o fim de setembro

Foto: Marinilson Braga/Ascom UFCG

A situação das universidades federais aqui na Paraíba é preocupante. Tanto a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) como a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) têm sofrido com o contingenciamento de recursos feito pelo Ministério da Educação. Nesta segunda-feira (8), os reitores das duas instituições fizeram um alerta: só há orçamento para manter as universidades funcionando até o fim de setembro.

Depois disso, as atividades estariam comprometidas por conta da falta de recursos repassados pelo MEC. “Não só a UFPB, mas outras federais. A maioria para em setembro se os recursos não forem repassados”, afirmou em entrevista à TV Cabo Branco a professora Margareth Diniz, reitora da UFPB. Segundo ela, a universidade teve cerca de R$44 milhões contingenciados.

“Se o bloqueio for mantido, o que a gente recebeu e ainda tem a receber, excluindo o valor bloqueado, a gente também só fica até o fim de setembro. A partir de outubro teremos dificuldades orçamentárias”, disse o professor Vicemário Simões, reitor da UFCG.

Bloqueio

O Ministério da Educação (MEC) bloqueou, no final de abril, uma parte do orçamento das 63 universidades e dos 38 institutos federais de ensino. O corte, segundo o governo, foi aplicado sobre gastos não obrigatórios, como água, luz, terceirizados, obras, equipamentos e realização de pesquisas.

O Governo Federal alega que a medida não é um corte nos orçamentos das universidades, mas sim um contingenciamento. Segundo o Governo, os recursos poderão voltar a ser liberados com a melhoria da arrecadação e do cenário econômico.

No total, considerando todas as universidades, o corte é de R$ 1,7 bilhão, o que representa 24,84% dos gastos não obrigatórios (chamados de discricionários) e 3,43% do orçamento total das federais.

57 Comente Colapso nas federais: UFPB e UFCG vão parar após setembro por falta de recursos

  1. Emerson Lima Disse:

    Uma verdadeira vergonha para uma nação que deseja ser desenvolvida ter um governado que retrai a educação e corta orçamentos em todos os níveis. São 06 meses sem nenhum projeto a favor da população, aliás um único projeto até então proposto, acabar com o direito a aposentadoria. Como diria o ministro da economia, “e daí se morrerem antes de se aposentar, quero 1 trilhão!”. Vergonhoso isso, a quantidade de projetos e pesquisa que se perderam e irão se perder é incalculável.

    • Cristiano Disse:

      Infelizmente um governo que diz desejar o desenvolvimento, tem uma política de sucateamento dos órgãos públicos … Principalmente das IES. Além da intervenção direta nessas instituições não respeitando o colegiado das mesmas. Nós resta como cidadão dar as mãos e lutar contra todos esses desmandos .

      • Alonso Disse:

        Triste para os estudantes e professores economia para eles os governos roubarem más hora antes eles sugaram a Petrobrás agora querem suga os pobres tirando seus direitos

      • Samir Disse:

        POIS E. ESSA E A HERANCA DEIXADA PELOS PAO COM MORTADELA E PETRALHAS.

        • Julio S. Disse:

          Já parou pra pensar que as coisas não funcionam de forma tão absoluta e que o contingenciamento em questão foi feito pelo atual governo? Os contingenciamentos passados já passaram Samir. Se liga e para de apontar dedo pro lugar errado.

    • Napoleão Ferreira Lustosa Neto Disse:

      Não entendi. Se o governo cortou 24% da parte não obrigatória, como pode a universidade ficar sem recurso em setembro?

      • Jonas Disse:

        As despesas obrigatórias(lei) são os salários dos servidores e aposentadorias. O corte foi nas discricionárias que equivalem a todas aa demais despesas com a universidade (água, luz, segurança, HUs, limpeza e o q mais possa imaginar)

      • Deb Disse:

        Vamos assistir aula sem luz? Sem agua? Sem segurança? Quem vai abrir as portas mesmo? Quem vai limpar as salas? Ja foram cortadas diversas bolsas da pos graduaçao. Fazer pesquisa pro governo e não receber nada e ainda sem apoio financeiro da familia eh impossivel.

        • Mídias Disse:

          Maria vai com as outras vc

        • Maria Disse:

          Se seu interesse é estudar, dá pra assistir aula sem luz sim. Água para beber traga de casa. Apenas as salas de aula com projetor são trancadas, voltemos à usar o quadro e as salas abertas que tá tudo resolvido. Sejamos organizados e não joguemos lixo no chão e se o coleguinha jogar, apanhe e dê sermão. Você estaria disposta a fazer tudo isso para se formar? Porque eu estou. Não é o Bolsonaro que vai me impedir de te me formar se eu estou interessada a pagar o preço que for pra continuar. Agora esses anos todinhos investindo em pesquisa e não tem um parque eólico nem solar em nenhuma universidade? Não tem um reservatório de captação de água da chuva para utilizar em limpezas gerais?

      • Samuel Disse:

        Você leu a matéria? Não? Então leia. Se já leu, releia. As despesas “não obrigatórias” dizem respeito às contas usuais da universidade, como água, luz, telefone. Agora experimente estudar a noite sem luz e num ambiente sem água pra consumo ou faxina. Boa sorte.

      • Orlando Pereira Disse:

        Estranho, né???

      • Sávio Jefferson Disse:

        Se tu ler dnv, tu vê eles dando exemplo de o que não é obrigatório, segundo o governo: água, luz, pesquisa…

    • Teo Disse:

      Emerson, as Universidades brasileiras não produzem quase nada. São abarrotadas de idiotas que ainda não aprenderam a ler, nem escrever. O nível de maturidade dos alunos das Universidades é deprimente. Excessão se faz aos cursos escolhidos pelos filhos da elite, que estudaram em escolas particulares.

      • Eliercio Disse:

        Garanto que qualquer idiota advindo de uma Universidade Federal possui maior nível de instrução que qualquer pessoa que opina sobre o funcionamento e a realidade das universidades sem nunca ter pisado em uma. A UFPB por exemplo possui o 4° maior número de patentes registradas do país, aí pergunto pra quem diz que as universidades não produzem nada, “você sabe o que é uma patente?”. Provavelmente não sabe, e não procurará saber pois sua arrogância é maior que sua vontade de aprender, e assim contunuara a falar mal do que não conhece por ouvir fulano dizer que é assim.

      • Michelly Queiroz Disse:

        As universidades brasileiras produzem e muito com o pouco recurso que tem. Procure se informar mais. Outras coisa, se o nível de alguns alunos é baixo, mostra que a falta de investimento na educação vem desde o ensino básico. É muito fácil pra um presidente desprovido de intelectualidade, que se aposentou aos 33 anos, mama nos cofre públicos faz uns 30, chegar e fazer o seu público manipulado por fake news acreditar que não há produção no Brasil. O que não há é investimento na educação. Você sabe qual o valor de uma pesquisa? Vc sabe quanto custa um reagente, um equipamento? Eu vi professores meus bancaram a pesquisa com seu próprio salário para a produção no Brasil não parar. Mas vc não deve saber disso, pois deve fazer parte dessa elite imunda.

        • Maria Disse:

          Você sabe quanto um professor ganha A MAIS por aluno inserido em projeto de pesquisa? Vc ganha sua bolsa e ele também!!! Olha que legal que seria se essas bolsas que eles ganhassem realmente fossem pra bancar a sua pesquisa.

      • Danilo Disse:

        Difícil alguém escrever asneira maior do que essa. Impressionante. Algo assim só pode se originar de alguém que nunca sequer passou perto de uma Universidade. Nem merecia uma resposta, mas tamanha ignorância não poderia ser desconsiderada. Sugiro que reveja seus conceitos e que se informe melhor. A falta de informação é um dos maiores males da atualidade. Pior do que isso é fazer parte de um grupo que, além de não ser bem informado, contribui para disseminar a ignorância.

    • Fábio Disse:

      Você deveria perguntar aos reitores para aonde está Indo as verbas que são enviadas para as Instituições?! Antes de escrever o que pensa!
      Pois nos governos anteriores Dilma e Lula houve corte bem maior e ninguém fala em parar a Universidade! O que deve ser feito é uma auditoria em cima destes reitores e começar a colocar pessoas (profissionais da Educação) que queiram trabalhar com clareza e para o Brasil !! E não para seus egos e particulares!

      • Reno Bastos Disse:

        Claro que falaram em parar universidade Fábio. Houve até greve, várias. Estás delirando com tua memória falha. A universidade pública ainda é o maior centro de conhecimento no Brasil.

    • José idagman de Lacerda Neves Disse:

      Mais vergonhoso foi a quantidade de votos que o Bozo teve e ainda tem no meio universitário.

  2. Viviane Disse:

    Acesso ao Ensino Superior pela população mais pobre do país. Isso não é interesse de quem governa atualmente o nosso país. Povo sem educação é mais fácil de manipular. Triste realidade.

    • Samir Disse:

      Pois e. Essa era s tatica do PT que conseguiu deixar esse rombo.

    • Fábio Disse:

      Cara Viviane, penso que você está equivocada na sua fala! Existe sim, faculdade para os mais pobres, que se pode ingressar pelo ENEM e através de COTAS que não necessariamente é só destinado a raça ou cor e sim, também para cidadãos que estudaram nas escolas públicas! Agora, se esses alunos não conseguem notas suficientes para ingressar em uma Universidade é outra história! A escola pode ser fraca, mas cabe ao aluno querer aprender para alcançar seus objetivos! Pergunto: você vê hoje nas escolas públicas os alunos se interessando?? Se você enxergar bem, dá para contar nos dedos os que querem e quando querem são sacramentados pelos que não querem nada!! Lamentável!!

  3. Feuber Disse:

    Só tem MARAJÁs nas universidades públicas! Governo tá certo.

    • Luis Faria Disse:

      Marajás estão no governo, com um presidente aposentado aos 33 anos querendo que as pessoas trabalhem desde cedo até morrer sem direito a se aposentar com dignidade.

    • Teo Disse:

      Concordo parcialmente, Feuber. Não é o que acontece em cursos como as Licenciaturas (formação de professores), teatro, comunicação social, biblioteconomia, filosofia, secretariado…

    • Natalia Disse:

      Coitado. Infeliz da pessoa que pensa assim. Nunca deve ter colocado os pés na universidade ou se quer em alguma sala de aula. Lamentável.

    • Orlando Pereira Disse:

      Exatamente. Universidade no brasil é reduto de debate político, não de desenvolvimento do país e da sociedade.

  4. Antonieta Couto Disse:

    É uma falta de responsabilidade com os alunos e com todo o sistema educacional… cortar os salários deles nem cogitam e a verba moradia e outras verbas q eles tem tb nem pensar… classe desavergonhada essa dos políticos brasileiros

  5. Nágila ritz Disse:

    Quando as cabeças de muitos não pensam….Um país inteiro padesse.Votaram em aventureiro sem experiência,agora tá feita a m…..

  6. Lu granado Disse:

    Os pseudos intelectuais de direita,inimigos dos humildes.Enfiaram essa mafia lá pra governar?¿Agora aguente essa tragédia anunciada.Quando não agimos pela razão,o resultado e esse…

  7. Josuel Disse:

    Para que servem elas? Uns querem, e outros estão a destruí-la, ainda deseja dinheiro público para tal? Está fazendo mais vergonha que o seu papel de origem.

  8. Luiz Gonzaga Disse:

    Se o corte foi apenas nas despesas nao obrigatorias, vai faltar dinheiro para que?

    • Jonas Disse:

      As despesas obrigatórias(lei) são os salários dos servidores e aposentadorias. O corte foi nas discricionárias que equivalem a todas aa demais despesas com a universidade (água, luz, segurança, HUs, limpeza e o q mais possa imaginar)

    • Fernando Disse:

      Luiz Gonzaga
      Concordo!!!

    • Fábio Disse:

      Luiz Gonzaga, vai faltar dinheiro para os bolsos deles e das bandas podres que tem nas públicas! Lá tem cidadãos que querem alguma coisa, gente boa, mais está cheio de vagabundos, idiotas e maconheiros!! Eu vi por 5 anos isso em uma Federal! Lamentável

  9. Samuel E. De Lucena Disse:

    As universidades têm de reduzir o número de funcionários (em cerca de 80%), o número de cursos (extinguir todos para os quais não existe demanda), liquidar 100% da chamada pesquisa (toda ela inútil – jamais produziu qualquer resultado de valor), e acabar com as compras superfaturadas, construções superfaturadas, frotas de automóveis, e tantos outros tumores horrendos que as infectam e as asfixiam.

    • Debora Disse:

      Um comentário deste nível não tem sequer resposta. Quando alguém considera 100% da pesquisa desenvolvida no país inútil deixa claro o nível de ignorância que alimenta situações como a que estamos vivendo hoje. Lastimável!

      • Michelly Disse:

        Este Samuel é tão desprovido de intelectualidade quanto o nosso imbecil presidente. Considerar que nenhuma pesquisa no país se aproveita. Você faz o que dá vida mesmo? Em que planeta você vive? Tenho pena de pessoas como você.

    • Orlando Pereira Disse:

      Exatamente!

  10. Eclesiton Brito Disse:

    Ta na hora dos reitores começarem a pensar em conter os gastos. Farrar com dinheiro publico é muito facil, mas gerenciar os recursos com responsabilidade é dificil de se ver no ambito publico. Dinheiro não é infinito e nem da pra imprimir como pensa o grande economista ciro cangagomes.

  11. Hugo Austen Disse:

    Parece que os reitores faltaram às aulas de gestão financeira.

  12. Theodoro Disse:

    A meu ver, estes cortes e vloqueios só tem uma unica intenção: fazer com que a população engula de guela à baixo a decisão de PRIVATIZAR A EDUCAÇÃO, e minando as Federais, sucateando e forçar um apoio do povo, inclusice de professores e dos próprios discentes 🤦🏿‍♂️

  13. Marcos Vieira Disse:

    O problema das unidades públicas me parece mais de gestão do que do contingenciamento.

  14. Fernando Disse:

    Luiz Gonzaga
    Concordo!!!

  15. Judite Disse:

    Cadê a revolta de pessoas qdo de fato os recursos foram cortados por Lula e Dilma? Qdo houve um aumento gigante de faculdades particulares e Fies adoidado para elas, resultando em milhões de estudantes devedores? Cortar os supersalarios de professores que se acham semi deuses ninguém quer. A hora de mostrar gestão é essa. Acabou a farra. Ninguém fala que o dinheiro recuperado com a Lava Jato está indo p educação. Só observo.

  16. Isaac Santos Disse:

    Universidades federais, abram a “caixa preta” dos seus orçamentos!! Onde é que vcs gastam tanto?? Depois de aberto e apertados os cintos, acredito que tudo se resolverá…

    E tem mais, o MEC já deu nota que qualquer universidade que esteja de fato sem recursos, basta planilhas e ir no MEC que após as análises, por certo liberará recursos… Orientações simples que se seguidas resolve-se o problema!!

  17. ERISVALDO SOUSA Disse:

    Houveram cortes muito maiores no governo do PT, não vi ninguém alardeando, ou batendo panela. Sou a favor da Educação Pública e de qualidade, afinal me graduei no Instituto Federal da Paraíba -IFPB, grande instituição! Agora nos cortes anteriores feito principalmente nos governos LULA E DILMA, NÃO ví toda essa zorra que estão fazendo agora no contingenciamento feito por Jair Bolsonaro.

  18. Copacabana Disse:

    Exatamente isso! Isaac Santos e mais se houver algum indício de desvio de verbas públicas tem que colocar na cadeia e confiscar de acordo com a CF/88 até a 5a geração dos infratores!!

  19. Alessandro Disse:

    Todas as universidades no Brasil têm mais servidores tecnicos administrativos do que professores. As melhores universidades do mundo o número de professores é, no mínimo, o dobro de servidores administrativos. A universidade tem que ser mais eficiente. Parte desse dinheiro poderia ser investido em pesquisa e extensão

  20. EDSON SILVA Disse:

    Reflexão necessária, os recursos das universidades têm que sofrer contingenciamento… Todavia, o governo federal liberou hoje, dia 09 DE julho mais de 1 BILHÃO em emendas para que os deputados votem a reforma da previdência.

  21. Rosane Disse:

    Consigo enxergar os dois lados. E discordo dos dois. Primeiro o corte não foi por motivos de contenção de gastos. Foi estratégia politica de investimento a longo prazo, difícil de perceber agora mesmo. Segundo os custos com itens não obrigatórios, mas de patamares fixo, precisam de uma nova visão acadêmica. Exemplo: Água, pode-se fazer um reservatório e armazenar água da chuva; telefone, pensem em usufruir mais dos canais da internet como meios de comunicação, luz, pode-se pensar em usar a solar ou a eólica e limpeza, está mais que na hora de pensarmos em um mundo mais sustentável e não só publicarmos artigos científicos. Falo isso como acadêmica de uma federal, considerada uma das melhores. E enquanto pensamos em fazer greve, por que não pensarmos em fazer associações para tais soluções. Não gosto de procurar os culpados, ah foi o 13, é o 17, foi a 51 ou é 77. Gosto de encontrar soluções, até por que perdemos muito tempo tentando achar o primeiro que começou a briga do que solucionar o problema. Só uma pequena dúvida agora: Se as federais estão tão falidas, por que mesmo que tem tantas vagas de concursos para mais ou menos umas 56 federais este ano? Obrigada!

  22. Marquinhos Disse:

    A mamata acabou.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *