De olho na política nacional, Ricardo defende afastamento de Moro

Ex-governador assinou ‘manifesto’ com ex-presidenciáveis e lideranças de esquerda

Foto: Francisco França/Secom

Afastado do cotidiano administrativo da Paraíba, depois de oito anos no comando do Governo do Estado, o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) está longe de sair da cena política. Essa semana ele, juntamente com lideranças de esquerda, pediram o afastamento do ministro da Justiça Sérgio Moro. O manifesto foi assinado pelos ex-candidatos à presidência Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL), pelo governador do Maranhão Flávio Dino (PC do B), pelo ex-senador Roberto Requião e pela candidata à vice-presidência pelo PSOL, Sônia Guajajara.

O texto foi publicado pelo Jornal Folha de São Paulo e, já no título, dá o tom escolhido pelos autores: “A corrupção da Lava Jato”. “A operação se ergueu em torno do combate à corrupção, mas a própria corrupção foi o combustível da ação do juiz e procuradores”, comentou Ricardo em suas redes sociais.

O manifesto foi publicado no mesmo dia em que o STF decidiu manter o ex-presidente Lula preso, até que seja concluída a análise sobre uma eventual suspeição do ministro Sérgio Moro – na época em que era juiz e julgou os processos do petista na Operação Lava Jato.

Mais do que a defesa da nulidade do processo que condenou o ex-presidente e a denúncia de possíveis arbitrariedades cometidas por Moro, reveladas com a divulgação de mensagens pelo The Intercep, Ricardo aproveita para ‘marcar terreno’ na política nacional. Afinal, estar ao lado de lideranças nacionais nesse momento de ‘vácuo’ no exercício de cargos públicos pode significar, para o ex-governador, a própria sobrevivência política. Ricardo tenta matar, assim, “dois coelhos numa cajadada só”.

3 Comente De olho na política nacional, Ricardo defende afastamento de Moro

  1. Tiago vilar Disse:

    É digno de pena, verificar que a oposição, continua a depender de um condenado, para poder levar a frente seu projeto político. Não possui quadros qualificados para uma eventual disputa presidencial.

  2. Fragoso Disse:

    A esquerdopatia é uma doença que atinge o sistema cognitivo das pessoas que passam a não saber mais diferenciar o certo do errado.

  3. É um desespero total. A “Esquerda” não aceita o resultado das urnas… E ainda propagam que defendem a “Democracia”. Eles precisam entender que a alternância do poder faz parte do jogo politico e da DEMOCRACIA. Lamentável!!!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *