Desvios financiaram compra de roupas, moto e até fogos de artifício em Itabaiana, diz PC

Justiça determinou sequestro de parte dos bens investigados pela Polícia Civil

Ex-prefeito de Itabaiana, Antônio Carlos, teria se beneficiado das fraudes segundo a PC. Foto: TV Cabo Branco

Depois de meses de investigação, a Polícia Civil acredita ter descoberto o destino de recursos públicos que teriam sido desviados da prefeitura de Itabaiana, na gestão do ex-prefeito Antônio Carlos Rodrigues de Melo Júnior. Para a polícia, os valores foram usados para comprar roupas de marca, gêneros alimentícios, para pagar procedimentos estéticos, na compra de uma motocicleta e até fogos de artifício para campanhas eleitorais.

No total, a Delegacia de Polícia Civil de Itabaiana diz ter rastreado em duas fases da ‘Operação Pote de Ouro’ pelo menos R$ 330 mil que teriam sido desviados pelo esquema, sendo R$ 270 mil nessa segunda fase da operação. De acordo com as investigações, o ex-prefeito Antônio Carlos teria contado com o apoio de André Teixeira Gondim e Rodrigo Henriques Neves, ex-secretário de Turismo da cidade de Santa Rita, para operacionalizar as fraudes.

Os dois, segundo a polícia, mesmo não sendo servidores da prefeitura teriam forjado a existência de contratos de pessoas físicas com o poder público do município para a realização de serviços de digitação, carpintaria, pintura e outras atividades usando documentos de pessoas próximas. Elas, em sua maioria conforme a polícia, não moravam em Itabaiana e não tinham conhecimento das fraudes. Depois disso, os recursos teriam sido depositados em contas movimentadas pelos dois e usados para a compra de produtos e serviços pessoais do ex-gestor Antônio Carlos e familiares.

Em um dos casos, conforme a Polícia Civil, André Gondim teria comprado fogos de artifício que seriam usados em campanhas políticas, com um cheque da prefeitura do município de Itabaiana.

Cópia do cheque que, segundo a polícia, seria da prefeitura e teria sido usado para comprar fogos de artifício

Em outra situação, a esposa e o ex-prefeito fizeram compras de roupas caras, em lojas de padrão elevado de João Pessoa, mas tiveram os produtos pagos por cheques emitidos pelo suposto ‘esquema’. Um dos itens adquiridos, um vestido, foi comprado por R$ 3.960. Em uma outra compra o ex-prefeito gastou R$ 7 mil em roupas.

Nota fiscal e relação das roupas compradas, segundo a PC

Em depoimento à polícia, parte das pessoas que teriam prestado os serviços à prefeitura relatou que nunca trabalhou para o poder público municipal.

Outro Lado

O advogado do ex-prefeito de Itabaiana Antônio Carlos, Iarley Maia, disse que o ex-gestor já prestou todos os esclarecimentos à Justiça na primeira fase da operação ‘Pote de Ouro’. Segundo ele, o ex-prefeito vai provar na Justiça que não teve nenhum envolvimento com qualquer tipo de irregularidade. “Vamos provar a lisura das ações dele durante o processo”, garantiu.

Já o advogado de André Gondim e Rodrigo Neves, José Bezerra, informou que só vai se manifestar nos autos do processo sobre as acusações feitas pela Polícia Civil. Ele adiantou, no entanto, que os dois estão colaborando com as investigações.

Operação Garimpo

Na manhã desta quarta-feira (19) policiais civis cumpriram mandados de busca e apreensão em apartamentos que pertenceriam a André Gondim e Rodrigo Neves, ambos localizados em bairros nobres de João Pessoa. O objetivo foi coletar documentos e provas que possam confirmar o material já rastreado nas investigações em curso.

Na primeira fase da Operação, o ex-prefeito Antônio Carlos e dois ex-secretários da prefeitura foram presos, suspeitos de participação no esquema. Antônio Carlos e um deles estão respondendo o processo em liberdade.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *