Líder do Governo Bolsonaro cobra “digitais” de governadores na Reforma da Previdência

Deputada disse que ainda acredita na inclusão do sistema de Capitalização na Reforma que será votada na Câmara

Deputada visitou ontem o Maior São João do Mundo, ao lado do prefeito Romero Rodrigues. Foto: Codecom

Líder do Governo Bolsonaro no Congresso Nacional, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) conheceu na noite deste sábado (15) o Maior São João do Mundo, em Campina Grande. Ela voltou a falar sobre a Reforma da Previdência e cobrou uma mobilização mais ostensiva dos governadores para viabilizar a aprovação da Reforma no Congresso e garantir que Estados e Municípios não sejam excluídos do processo.

“Eles precisam ajudar a trabalhar para colocar a digital nisso. Se não tiver ajuda, deputados do Centro se negam a votar. Eles criticaram no início e quando viram a possibilidade dos Estados ficarem de fora estão voltando atrás”, comentou Joice.

No início do mês os governadores do Nordeste divulgaram uma carta pró-reforma da Previdência, mas com ressalvas quanto ao endurecimento nas regras das aposentadorias para trabalhadores rurais e para o Benefício de Prestação Continuada (BPC). No caso da Paraíba, o governador da Paraíba João Azevedo defendeu na semana passada a manutenção de Estados e Municípios na Reforma. Segundo ele, retirar esses entes da federação das mudanças provocaria “um caos” nas regras previdenciárias.

“Se não houver a inclusão de Estados e Municípios o Brasil corre o risco de ter dois mil e trezentos municípios, que têm previdência própria, cada um com uma legislação diferente. Isso vai ser um caos total. Não é possível isso”, comentou o governador durante a abertura do Salão do Artesanato, em Campina Grande.

Relatório

Na última quinta-feira (13) o relator da Reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), apresentou um parecer na comissão especial da Câmara que discute as mudanças. O documento modifica alguns pontos propostos pelo Governo Federal. Foram retirados pontos que tornavam mais rígidos os procedimentos exigidos para aposentadoria rural, a criação de um sistema de capitalização e modificações na concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Para que seja aprovado o Governo precisa de 308 votos no Plenário da ‘Casa’, por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Somente depois disso a Reforma seguirá para o Senado, onde precisará receber pelo menos 49 votos favoráveis.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *