‘Não quero a paternidade da obra’, diz Temer sobre a transposição

Jhonathan Oliveira

O presidente Michel Temer (PMDB) negou nesta sexta-feira (10) que tenha interesse em se ‘apropriar’ da obra da transposição do rio São Francisco. Em discurso, durante passagem por Campina Grande, ele disse que não quer a “paternidade” dela.

“Eu não quero a paternidade desta obra. Ninguém pode tê-la. A paternidade é do povo brasileiro e do povo nordestino. Vocês é que pagaram impostos ao longo do tempo, vocês é que permitiram que pudéssemos fazer grandes investimentos nessa obra, que cada vez mais está sendo festejada”, afirmou Temer.

Temer assina ordem de serviço junto com Cartaxo e Leto Viana (Foto: Divulgação/Presidência)

A transposição começou a ser executada em 2007, no segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lideranças do PT criticam o fato de Temer e os aliados do governo federal fazerem propaganda da obra deixando de lado o papel dos governos do partido. Em vídeo divulgado nas redes sociais, nesta manhã, o presidente usou um tom diferente e afirmou que a transposição é “fruto de vários governos”, mas sem citar nomes.

Durante o rápido discurso que fez em Campina Grande, Temer disse que o governo fez “muitos esforços” para viabilizar a inauguração do primeiro eixo da obra. O Palácio do Planalto divulgou que desde que o peemedebista assumiu a presidência, em maio de 2016, foram investidos R$ 378,2 milhões para a conclusão da transposição.

Ordem de serviço para obras na BR-230

Durante a visita, o presidente Michel Temer também assinou ordem de serviço autorizando a adequação do trecho da BR-230 entre Cabedelo e João Pessoa.

A obra, que vai triplicar a via entre a estrada de Cabedelo e o viaduto de Oitizeiro, contará com investimento de mais de R$ 255 milhões. De acordo com o DNIT, vão ser construidos 13 novos viadutos para desafogar o trânsito na área. Os prefeitos de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), e de Cabedelo, Leto Viana (PRP), participaram da solenidade.

PT confirma visita de Lula às obras da transposição na Paraíba

Jhonathan Oliveira

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva vai mesmo visitar as obras da transposição do Rio São Francisco no interior da Paraíba. O presidente do PT estadual, Charliton Machado, confirmou nesta quinta-feira (9) que isso deve acontecer provavelmente no dia 19 de março, mas a data ainda precisa ser oficializada pelo Instituto Lula.

Lula durante visita as obras da transposição do São Francisco em 2009 (Foto: Ricardo Stuckert/Presidência da República)

O objetivo de Lula é claro: ‘recuperar’ a transposição como um dos maiores legados do seu governo. Haja vista que o governo de Michel Temer tem feito propaganda da obra, como se fosse o grande responsável por ela, deixando de lado o papel dos governos petistas na sua execução.

Além da Paraíba, o ex-presidente também vai passar por território pernambucano durante a visita. Se confirmada a data de 19 de março, a visita vai acontecer um dia antes do previsto para o lançamento da pré-candidatura de Lula à Presidência da República. Apesar disso, a tendência que já se comporte com postulante ao Planalto durante a passagem pela região Nordeste.

De acordo com o PT paraibano, a agenda de Lula só vai ser fechada após a confirmação da data. Além da visita às obras da transposição, a passagem pela Paraíba também pode servir para o ex-presidente receber o título de cidadão pessoense. A homenagem foi aprovada na Câmara de João Pessoa na década de 90, mas nunca foi entregue. Agora o vereador Marcos Henriques, único petista da Casa, está fazendo fazendo uma articulação para garantir que Lula receba o diploma.

Deputado quer Lula e Dilma na inauguração da Transposição na PB

Jhonathan Oliveira

Para o deputado, sem Lula e Dilma a obra não existiria Foto Michel Filho/Agência O Globo

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) protocolou um requerimento na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) solicitando que o órgão convide os ex-presidentes da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) para participarem de visitas técnicas, audiências públicas e entrega das obras de transposição de águas do Rio São Francisco na Paraíba. O parlamentar argumenta que a presença dos dois é uma questão de justiça, por eles serem os principais responsáveis pela obra

“Este empreendimento, que é a maior obra hídrica de infraestrutura do Brasil, que beneficiará mais de doze milhões de pessoas, nos Estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, só foi iniciada pela determinação do ex-presidente Lula e teve grande avanço nas gestões de Dilma, de forma que não seria justo que eles não participassem do momento mais importante da ação que é a chegada das águas na Paraíba”, defende Jeová.

O parlamentar, que já foi filiado ao PT, criticou a atuação do governo de Michel Temer e de seus aliados em relação à obra, classificando-os, inclusive, de oportunistas. “Quem de fato foi o responsável por concretrizar esse sonho, acalentado desde o Império, não tem o devido espaça para ser reconhecido. Acho isso injusto, por isso resolvi fazer essa solicitação”.

“Se não fossem eles [Lula e Dilma], essa obra não existiria esta verdade precisa ser dita em qualquer lugar e a todo tempo”, completou Jeová.

O Ministério da Integração Nacional confirmou que as águas do São Francisco vão chegar à cidade de Monteiro no próximo sábado (11). O presidente Michel Temer vai participar da solenidade que vai comemorar o momento.

 

 

Governo lança edital para licitar obra da Transposição abandonada por empresa alvo da Lava Jato

O Ministério da Integração Nacional confirmou que, a partir de hoje (8), está aberto o edital de licitação para escolha de empresa que vai realizar obras da primeira etapa do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco que não foram executadas pela Mendes Júnior, empresa alvo de investigação na Lava Jato.

O edital contempla a realização de serviços nesta etapa de 140 quilômetros de extensão, que atravessa os municípios pernambucanos de Cabrobó, Salgueiro e Verdejante e pela cidade cearense de Penaforte. Na Paraíba, passa por São José de Piranhas.

Com a conclusão das estruturas necessárias para a passagem de água, a expectativa do Ministério é beneficiar o reservatório Jati, localizado em Jati (CE), em agosto próximo e, em setembro, a população da Região Metropolitana de Fortaleza.

O estado do Rio Grande do Norte será atendido em dezembro de 2017. Com 91,2% de avanço no Eixo Norte, os outros dois trechos (2N e 3N) estão em fase final de construção.

O processo de licitação da etapa que estava sob a responsabilidade da Mendes Júnior foi iniciado, em novembro, pelo Ministério com o lançamento da Consulta Pública da minuta do edital e seus anexos. O procedimento foi encerrado no último dia 29 e teve o objetivo de coletar contribuições na versão final do documento pelas construtoras interessadas.

Água em Campina 

Segundo o Ministério, com 90,8% de avanço nos dois eixos (Norte e Leste), a água Projeto São Francisco deverá chegar a Monteiro (PB) em fevereiro de 2017 e em Campina Grande em abril do próximo ano, por meio do Eixo Leste. As obras físicas desse eixo serão finalizadas em dezembro deste ano.

Com informações do MI