Na reta final, a ideia é criar os cenários mais otimistas e manter militância viva

caratxo-campanha

Luciano Cartaxo

Nas últimas horas, no início da semana decisiva antes da votação do primeiro turno das eleições, ouve-se afirmações de todas as cores.

Quando o tom é azul, sorrisos de vitória certa. De empolgação e de definição em poucos dias. O combustível da onda azul estaria em supostas pesquisas internas que mantêm o cenário de favoritismo do candidato à reeleição Luciano Cartaxo (PSD).

Não haveria aproximação intensa da adversária, nem queda brusca do atual prefeito, então, a parada estaria batida e o momento seria de manutenção.

cida-campanha

Cida Ramos

Sem recuo da militância, para evitar qualquer susto e o avanço dos girassóis na consciência de quem espera definir quando estiver a caminho da urna.

Otimismo solar

Do outro lado, o otimismo é solar. Pesquisas internas do grupo girassol revelariam que Cida Ramos (PSB) está a alguns pontos do adversário.

charlinton.jpg

Professor Charliton

Tão perto que nem precisaria mais da subida dos candidatos que correm por fora, Professor Charliton (PT), que tem feito um campanha surpreendente; e Victor Hugo (Psol), que deixou um pouco do radicalismo do Psol de lado.

Os dois, se crescerem mais pontos do que revelam as pesquisas, podem dar uma forcinha à socialista. Aliás, a profecia é de que esse é o único obstáculo que deve ser vencido: garantir uma segunda etapa.

São as verdades dos grupos. De tons azul e laranja. Maneira de estimular a militância, evitar o salto alto ou a rendição. Na reta final, é “sangue no olho, faca nos dentes”.

victo-hugo-cmapanha

Victor Hugo

Ações às vésperas da eleição

O governador Ricardo Coutinho (PSB) aposta tudo. Em João Pessoa, inaugurou ampliação da Avenida Cruz das Armas, liberou nova via no Viaduto do Geisel, convocou beneficiários do “Minha Casa, Minha Vida”, às vésperas da eleição.  No interior, tem ordem de serviço em Guarabira; e Nova Barragem de Camará, em outra parte do Brejo.

Espera convencer seus seguidores transferir um pouco mais de sua popularidade para os candidatos, principalmente aqui na capital.

Cartaxo quer lembrar que não existe apenas um modelo socialista de governar. Vai listar benefícios e dizer que não há motivos para mudar. Também acelerou obras: entregou o Centro de Apoio ao Turista, na orla; apresentou a UPA de Cruz das Armas sem tapumes, para dizer que falta pouco.

LEIA MAIS

Cida precisa de Wilson para sonhar com um segundo turno

wilson

As pesquisas que podem ser divulgadas ainda não estão “na praça”, mas as consultas internas já estão deixando muita gente de cabelo em pé.  Aqui em João Pessoa, todas as análises revelam o favoritismo do candidato à reeleição, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD). Com possibilidade real de ele ganhar no primeiro turno. Tem três vezes mais que o segundo colocado. Mas muitos acreditam que está quase no teto.

Cida Ramos, candidata do PSB, precisaria crescer muito, muito, para alcançar Cartaxo, caso a polarização seja efetivada. Ninguém diria que é impossível. Principalmente quando chegar a hora do vale tudo.

É bom lembra, ainda, que com uma máquina poderosa e obstinação, o governador Ricardo Coutinho (PSB) fará de tudo para não perder no seu reduto.

Nesse cenário, o deputado federa Wilson Filho (PTB), que resiste ao assédio e mantém a candidatura própria, pode ser o fiel da balança.

Na vice ou na terceira via?

LEIA MAIS

O desenho de um movimento para isolar Manoel Jr.

Manoel

Um movimento dentro do PMDB se desenha para isolar Manoel Júnior (PMDB) e sua decisão de apoiar o prefeito Luciano Cartaxo (PSD). Os defensores da tese vão até criar uma nova candidatura própria para ir, aos poucos, desmontando argumentos do parlamentar.

Maranhão até está “blefando” nessa linha quando diz que a candidatura própria do PMDB está de pé. Só não diz quem será o nome. Não tem nome. Há alguns que até defendem que ele faça o sacrifício. Mas, não parece que vai precisar.

Manoel Júnior alegou que a Executiva Municipal deliberou, por unanimidade, pelo apoio a Cartaxo depois da sua desistência. Falou como se o documento assinado por todos tivesse valor de lei.

Até teria, se quem fizesse a lei no PMDB não fosse o senador Maranhão. Ou alguém lembra de alguma última decisão, fruto de uma norma interna, mas que contrariou a vontade do senador?

LEIA MAIS

Saiba como está a disputa eleitoral em João Pessoa e Campina

João Pessoa tem seis pré-candidatos a prefeito e a ameaça de implosão de uma candidatura. Em Campina, são sete na disputa, com uma pré-candidata “assediada” por três nomes fortes.

Veja o resumo do cenário político eleitoral nas duas principais cidades do Estado no Bom Dia Paraíba, da TV Cabo Branco.

jp 2001

cg 2cg 1

 

 

 

 

 

 

Cenário fictício não engana eleitor

O cenário fictício não vai enganar o eleitor de JP.  A constatação já está nas ruas. Um exemplo: socialistas e opositores do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), precisam tomar cuidado com o grau de críticas que vão fazer à gestão. Explico. É que, se exagerarem na “tinta”, como já fazem, podem criar uma realidade que não existe na rotina de quem vive a cidade. O eleitor, então, vai desconfiar que é muita ficção. Ficção eleitoral.

Tudo bem que tem a história do “vale tudo” na eleição, da frase de efeito, pronta e forte, mas dizer que a administração atual é um “caos total”, “desastrosa”, que a população está abandonada, entregue à incompetência, que estamos chegando ao apocalipse e vivemos “numa terra arrasada” é exagero eleitoreiro que não vai colar.

Principalmente naqueles que veem a gestão pública sem paixões partidárias. Afinal, sem a cegueira dos “amores” ( ou a perspectiva de um bom cabide de emprego) fica mais fácil olhar de maneira racional.

LEIA MAIS

AGU lança cartilha com condutas proibidas para agentes públicos

AGU

A Advocacia-Geral da União (AGU) elaborou a cartilha “Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais em Eleições”, atualizada para a eleição municipal deste ano. A publicação reúne informações básicas sobre os direitos políticos e as normas éticas e legais que devem orientar a atuação dos agentes públicos durante as eleições municipais de 2016. Lançada a cada dois anos desde as eleições de 2008, a quinta edição foi atualizada de acordo com a nova legislação.

 

LEIA MAIS