Parlamentares defendem recesso em setembro, antes da eleição

A data do recesso parlamentar, previsto na Constituição, de 17 a 31 de julho entrará na discussão da reunião de líderes da Câmara Federal, na próxima terça-feira (5). Alguns deputados querem mudar o recesso de julho para o final de setembro, mais próximo das eleições municipais. Opção que tem ganhado força e defendida por governistas.

LEIA MAIS

Com aumento do Bolsa Família e pagamento antecipado de 13º, Temer evita “negatividade”

Em busca de uma agenda positiva, tentando agradar vários seguimentos sociais e o Congresso, o presidente interino Michel Temer (PMDB) se esquiva das pautas negativas: delações premiadas, gravações, Lava Jato sobre caciques peemedebistas, reunião “clandestina” com Cunha no Palácio do Jaburu.

Joga para evitar qualquer surpresa parlamentar na votação do impeachment, em agosto, e para melhorar sua imagem. Segundo pesquisa da consultoria Ipsos, 70% reprovam Temer.

No meio da repercussão de um encontro suspeito, sem explicação, extraoficial, com o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), prometeu pagar parte do 13º salário dos aposentados em agosto. Também anunciou hoje aumento no valor da do Programa Bolsa Família, 12%. Cerca de 3% a mais do que o valor proposto pela presidente  Dilma Rousseff, antes de ser afastada. Os 9% foi vetado pelo governo provisório, assim que assumiu.

Na lista de bondades, ainda teve a negociação com os governadores, com acordo para não pagamento das dívidas dos Estados nos próximos seis meses e, ainda, com o aumento dos servidores dos Três Poderes.

Como manda o figurino, vai evitando rebeliões e instabilidade num período provisório e instável por natureza. No qual, “bancos de problemas” se movem ao sabor das investigações da Lava Jato, das tentativas de interromper os investigadores e do envolvimento de peemedebistas nos esquemas de corrupção.

Ao mercado financeiro e ao empresariado sinalizações com a redução do teto da inflação, promessa do presidente do Banco Central; tem ainda as tentativas de conter as centrais sindicais, evitando falar, neste momento, da Reforma Previdenciária. Um trabalho de apaga-fogo feito em várias frentes.

Foto: Agencia Brasil

 

PR se rendeu aos afagos do governo socialista?

caio robertoO deputado estadual Caio Roberto (PR) estava reclamando da falta de prestígio com o governador RC, mesmo sendo da base; da falta de diálogo dos socialistas com o Partido da República, na candidatura majoritária em João Pessoa. Recebeu um aceno do governo.

A nomeação do irmão Bruno Roberto (PR) para a Secretaria de Esporte deve acalmar os ânimos. Caio nega que a atitude do governador seja uma maneira de fechar um acordo de aliança entre o PR e o PSB em João Pessoa e Campina. Mas vai ter que provar que não é verdade.

Até onde a vista alcança, o que PSB quer é dizer que espera apoio do PR. O deputado estadual andou ensaiando encontros e conversas com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), que também quer apoio dos republicanos.

Foto: AL/PB

 

Ricardo espera PMDB com a corda esticada, prestes a se romper

(José Cruz/Agência Brasil)

Entalado com o PMDB, o governador Ricardo Coutinho (PSB) deu sinais de que vai esperar mais uma pouco para “chutar o pau da barraca”. Isso se o partido do senador José Maranhão (PMDB) continuar com a ideia de manter a candidatura do deputado federal Manoel Júnior (PMDB) a prefeito de João Pessoa. E isso parece que vai acontecer.

A “transferência” de Laplace Guedes da “parada” Secretaria de Turismo para outra pasta em “estado de inanição”, a Secretaria Executiva do PAC – Programa de Aceleração de Crescimento, sob a tutela de João Azevedo, é uma prova de que Coutinho ainda está disposto a esticar a corda, sem cortá-la. Laplace foi uma indicação pessoal de José Maranhão.

Manoel já declarou que não abre e, a preço de hoje, se JM ceder, vai dar um atestado de fraqueza impressionante. Admitirá que está nas mãos de Coutinho.  Afinal, vamos ser sincero, esta história de mão dupla no primeiro turno só beneficia o PSB. Aqui em JP, os socialistas precisam do PMDB. Mas em Campina, o PMDB não precisa tanto assim dos socialistas.

Maranhão _

(Moreira Mariz/ Agência Senado)

Ricardo sabe disso. E já prepara o cenário para o rompimento. Vai para o enfrentamento  com discurso de que o PSB fez de tudo para estar junto com os peemedebistas: entregando cargos no governo, participando da gestão. De certa forma, isso aconteceu. Até espaço na AL o PMDB conseguiu com uma articulação do socialista. Olenka Maranhão que o diga.

Mas verdade seja dita, Manoel Júnior é um calo duro, obstinado (pelo menos até agora), que acabou com os planos girassóis de fazer casadinha com PMDB em várias cidades. Faz isso por convicção de que pode ir além. Maranhão parece que está disposto a pagar o preço do futuro rompimento. Manoel, disposto a provar que valeu a pena, se tiver todos os peemedebistas unidos em torno do nome dele.

Operação Desumanidade: empresários são considerados foragidos; fotos são divulgadas

image_preview

José Aloysio da Costa Machado Júnior, José Aloysio da Costa Machado Neto e Cláudio Roberto Medeiros Silva

O Ministério Público Federal (MPF) pediu e o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) autorizou a publicação das imagens de três envolvidos na segunda fase da Operação Desumanidade, deflagrada na manhã desta terça-feira, 28 de junho, no Sertão paraibano.

São dos empresários foragidos: José Aloysio da Costa Machado Júnior (ver foto), José Aloysio da Costa Machado Neto (ver foto) e Cláudio Roberto Medeiros Silva (ver foto), investigados por organização criminosa, fraude à licitação, desvio de recursos federais e lavagem de dinheiro.

Foram expedidos 3 mandados de prisão preventiva contra os três – ainda não cumpridos, até às 16h – além de 14 conduções coercitivas e 2 mandados de busca e apreensão – cumpridos.

Os mandados estão incluídos no banco nacional de mandados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o MPF orienta que as pessoas devem comunicar a qualquer órgão de segurança pública o paradeiro dos foragidos.

A ação

A segunda fase da Operação Desumanidade foi deflagrada na manhã desta terça-feira, 28 de junho, pelo Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria Regional da República da 5ª Região (PRR5), em Recife, da unidade do MPF em Patos (PB) e com apoio de agentes da Polícia Federal, auditores da Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. A primeira fase foi deflagrada em 4 de dezembro de 2015.

Fonte: MPF

Cotidiano, Vídeos

“Precisamos de uma depuração da classe política”, diz presidente da OAB Nacional

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cláudio Lamachia, está na Paraíba para lançar o Comitê contra o Caixa 2 nas eleições municipais deste ano no Estado. A campanha contra o Caixa 2 foi deflagrada pela OAB, com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Cláudio Lamachia falou ao Blog LC sobre a importância dos Comitês e da mobilização da sociedade. Segundo ele, vivemos uma crise moral e ética sem precedentes e é preciso fazer uma depuração da classe política. Assista o vídeo:

O presidente da OAB daParaíba, Paulo Maia, também falou sobre a instalação de comitês nos municípios do Estado. Segundo ele, “a corrupção é uma assassina serial”. Veja o vídeo:

O lançamento do Comitê será nesta quarta-feira (29), no auditório da OAB-PB, localizado na rua Rodrigues de Aquino, 37, Centro da Capital, às 10h00.

 

 

Picados pelo mosquito junino

dengue

Os deputados federais devem votar nesta terça-feira (28), às 10 horas, várias medidas provisórias, entre elas a que destina R$ 420 milhões para ações de combate à microcefalia e ao mosquito Aedes aegypti. Nos outros dias da semana não haverá sessões deliberativas. De acordo com assessoria de imprensa da Presidência da Câmara, a decisão foi motivada pelos festejos juninos, que possuem grande mobilização popular, especialmente no Nordeste. O mosquito junino está solto.

Conversas para escolha de vices de JP se intensificam e “blefes” fazem parte do jogo

Não é por acaso que nas últimas horas se intensificaram os boatos sobre as negociações para escolha dos vices de JP.

Tem notícia plantada, tem conversa florescendo e muito blefe. A semana começou com a informação que o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, é cogitado para assumir a Sudene. Sem cargo e sem mandato, Ruy mantém-se vivo articulando para as eleições. Tem conseguido espaço para dizer o que pensa. Além de margem para articulação.

A sua saída desse circuito deixa o caminho livre para Marcos Vinícius,  vereador tucano, ex-secretário de Comunicação de Cartaxo. É o preferido de Cícero, mas teria resistência do senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Teria. Sem muitas opções, com vereadores da base cobrando um definição, pode ser a solução. CCL sabe que tem obrigação maior em Campina.

A paquera do PSDB com o PMDB parece que esfriou. Pode ser impressão. Mas até que um novo sinal renasça, já era. Manoel Júnior resiste. Mesmo com PSC do lado, perdeu Leonardo Gadelha para o INSS. Vai para o duelo com a força do partido.

LEIA MAIS

Cotidiano, Vídeos

Perícia é um “golpe fatal”, diz Cássio sobre laudo feito nos decretos do impeachment

Posições do senador paraibano e do pernambucano Humberto Costa (PT) foram destacadas pela Agência Senado.

Eles (um a favor e outro contra o impeachment da presidente Dilma) deram interpretações opostas ao laudo pericial, elaborado por consultores do Senado, sobre os decretos que originaram o processo.

Para o líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima (PB), a perícia é um “golpe fatal” e será mais útil à acusação que à defesa. Para o líder do PT, Humberto Costa (PE), o laudo mostra que não há qualquer participação da presidente em supostas “pedaladas”.

Fonte: Agência Senado