Depois da pirotecnia feita com as águas do Velho Chico, será a hora de “cair na real”

Felizmente, a água do Rio São Francisco vai chegar ao açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão. Vai evitar que Campina Grande, a segunda maior cidade do Estado, entre em colapso no abastecimento.

O açude está com 3% da capacidade e técnicos, diariamente, observam se a água tem boa qualidade. O reservatório é fonte de abastecimento para mais 18 cidades, totalizando 700 mil habitantes.

Felizmente, a água vai chegar no seu destino para acabar com a pirotecnia política que se fez em torno dessa chegada. O oba-oba chega ao fim para que população, gestores, autoridades caiam na real.

Afinal, o racionamento nas cidades não acaba agora e será preciso muito planejamento para não vermos um bem tão precioso se perder por causa da nossa conhecida incompetência de gestão.

A população de Monteiro, por exemplo, continua com racionamento. Mesmo a água passando por lá. Fizeram tanta festa e esqueceram de avisar a população que o sofrimento não acabaria de imediato.

Na zona rural, agricultores passam sede a alguns metros do canal. O Ministério da Integração alega que a obra foi entregue e não tem nada a ver mais com isso. Cabe, segundo órgão, ao Estado e aos municípios providenciarem o sistemas de abastecimento. Paga ou não, os agricultores esperam por solução.

Leito do Rio PB

Aos trancos e barrancos, a preciosa água do São Francisco passa pelo leito do Rio Paraíba. O governo do Estado diz que fez a limpeza e desobstruiu tudo. Não foi o que vimos em quilômetros de caminhada.

Entulho, cercas, poços e amontoados de areia, queimadas foram obstáculos que a água encontrou. O São Francisco desceu rio Paraíba abaixo e está sendo maltratado pela “emenda” que foi feita para isso. Mas tudo bem, a prioridade é colocar água no Boqueirão, seja como for e, felizmente, isso vai acontecer.

Atenção. Não tem nada de pessimismo e gosto ruim. É apenas realismo.

Nossas autoridades terão que ser muito eficientes. Precisam proteger o rio PB, que está com suas margens devastadas e seu leito, em muitas partes, assoreado. Precisa cuidar dos açudes, que também não têm suas margens protegidas por mata nativa e ainda recebem esgotos. Cadê o plano de proteção ? Enfim, a pirotecnia vai acabar. Felizmente.

Meirelles diz que reforma da Previdência não é questão de opinião, é necessidade

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (10), que a proposta de reforma da Previdência deverá seguir para votação no plenário da Câmara dos Deputados nas próximas semanas.

Em entrevista após palestra sobre o tema na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, no seminário Previdência Social no Brasil: Aonde Queremos Chegar?, Meirelles informou que a expectativa é que o relator da reforma, deputado Arthur Maia (PPS-BA), deve encaminhar na próxima semana à Comissão Especial da Previdência o relatório final da proposta para ser discutido e finalizado antes do encaminhamento para a votação.

Para o ministro, se for adiada, a votação da reforma pode impactar nas projeções feitas pelo governo sobre a reforma e, por isso, a aprovação do texto final deve ocorrer “o mais rápido possível”.

LEIA MAIS

“Eu tô me sentindo ninguém”, diz Nairon Barreto sobre morte do amigo

 

O humorista Nairon Barreto, o Zé Lezin, está na cidade de Ji-Paraná, em Rondônia, e vai dedicar o show deste sábado ao amigo Cristovam Tadeu. Bastante emocionado, ele lembrou que Cristovam era uma pessoa que vivia na casa dele e que quando se encontravam “eu dava cada abraço nele, só faltava matar”.

Nairon disse que era difícil acreditar. “Eu tô me sentindo ninguém. Não estou acreditando que perdi meu amigo, meu irmão, mas que papai do céu conduza ele para um lugar bacana e eu sei que ele com aquele jeitão bacana vai fazer muita confusão por lá”.

Que Deus o proteja. Desde de manhã cedo que eu tenho orado e pedido a Deus para confortar a família dele. Tô aqui em Ji-Paraná, vou fazer hoje um show e vou dedicar a ele. Com toda a minha alegria porque ele era desse jeito”, finalizou, com voz embargada.

 

 

Políticos lamentam morte de Cristovam Tadeu

Dezenas de políticos lamentaram a morte do ator e humorista paraibano Cristovam Tadeu. Ele foi encontrado morto na manhã deste sábado (08), em casa, e a suspeita é que ele tenha sofrido uma parada cardíaca.

Assim que a morte foi confirmada, amigos, conhecidos e admiradores externaram pelas redes sociais a tristeza da perda. Eram relatos emocionados de lembranças e histórias que paraibano de Cajazeiras, muito querido, deixou pelo na sua caminhada.

Dezenas de políticos de todo o Estado também externaram o pesar, por meio de notas ou nas redes sociais. Além de humorista, ator, Cristovam também era chargista e durante um bom tempo sua obra era semanalmente exibida na TV Cabo Branco, no quadro Charge PB. Era sempre uma crítica bem humorada de nossa política, dos nossos políticos e de suas ações.

Hoje, não provocou risos. Apenas uma profunda tristeza. Mas sua existência estará sempre guardada na memória daqueles que conviveram com ele e que, mesmo sem desfrutar de sua relação pessoal, tiveram a alegria de vê-lo em ação.  Nota do governo do Estado

Artista brilhante, se destacou pelo humor, criatividade e irreverência, ganhando destaque em todo o País, estrelando programas de humor em rede nacional e imortalizando imitações de celebridades como Caetano Veloso e o Arcebispo da Paraíba Dom Marcelo Carvalheira. Luciano Cartaxo

Um ser humano maravilhoso, um talento cativante. Romero Rodrigues 

Manifesto meus sentimentos de pesar pelo morte do humorista Cristovam Tadeu, que tando alegrou os paraibanos e brasileiros com sua inteligencia e bom-humor. Que deus conforte a família e amigos. Lígia Feliciano 

O riso que tanto nos fartou, hoje não veio. Lamentável a morte de Cristovam Tadeu, um talentoso artista que sempre teve um olhar crítico e bem-humorado sobre tudo. Nossa Paraíba hoje fica mais triste, porém o legado de Cristovam permanecerá sempre presente. Gervásio Maia 

Cristovam Tadeu nos levava alegria com as suas piadas e imitações perfeitas. Quem nunca riu com ele imitando Caetano Veloso, Dom Marcelo Carvalheira ou Ariano Suassuna? Ele era talentoso, tinha o humor correndo na sua veia. A Paraíba fica mais triste com a morte desse paraibano. Tovar Correia Lima 

O dia ficou sem graça. Tive o privilégio de conviver com Cristovam Tadeu, talentoso como ele só. Cajazeiras que ensinou a Paraíba a ler nos deu Cristovam para nos fazer sorrir. Cássio Cunha Lima 

O humor paraibano perde um pouco do seu brilho com a partida repentina do talentoso Cristovam Tadeu. Aos familiares, minha mais profunda solidariedade. Daniela Ribeiro 

Lamentar que uma pessoa tão bacana e tão importante para a cultura do Estado, que alegra mentes e corações, vai embora tão cedo. Que Deus o guarde e que a alegria de forma espontânea que trazia aqui, agora traga no céu. Ruy Carneiro 

Atualizado até às 15h40

CCJ da Câmara aprova projetos voltados à inclusão de surdos nas escolas

 

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, nesta semana,  propostas que buscam a inclusão de alunos surdos nas escolas.

O parecer do relator das propostas foi o deputado Luiz Couto (PT-PB)  que recomendou a aprovação de propostas como a que determina que a formação inicial a dos profissionais do magistério, assim como a formação continuada dos profissionais já em atividade, incluirá obrigatoriamente o ensino de Língua Brasileira de Sinais (Libras), para surdos-mudos.

Ainda, escolas públicas e privadas da educação básica deverão manter junto aos seus quadros ao menos um profissional intérprete de Libras, para viabilizar a comunicação com pais ou responsáveis surdos a respeito do desempenho escolar dos seus filhos.

Uma outra propostas assegura a capacitação de profissionais para alfabetização em Libras e em Braille em todas as etapas e modalidades da educação básica; e, por fim, uma que inclui conhecimentos básicos sobre Braille (para cegos) e Libras na formação de docentes da educação básica.

LEIA MAIS

Produtos químicos e destruição de mata estão “acabando” com bacia que abastece Grande JP, diz especialista

O engenheiro agrônomo e especialista em Ciências Ambientais, Saulo Marinho, concluiu um estudo, recentemente, e alerta que o abastecimento de água na Grande João Pessoa está ficando cada vez mais comprometido por causa degradação da bacia hidrográfica responsável pela água consumida por mais de 900 mil pessoas: a do rio Gramame.

Em contato com o blog, Saulo lembrou que a área de drenagem da bacia é de 589,1 km². O principal curso d’água é o rio Gramame, com extensão de 54,3 km, e seus principais afluentes são os rios Mumbaba, Mamuaba e Água Boa.  Ela atende aos municípios  João Pessoa, Bayeux, Cabedelo, Pedras de Fogo, Conde e ao distrito de Várzea Nova pertence ao município de Santa Rita.

De acordo com Saulo, a bacia do Gramame sofre com ações antrópicas durante anos e se não houver uma mudança de comportamento e ações do poder público ela ficará comprometida.

Agricultura , pecuária , industria , mineralização etc, vem contribuindo de forma significativa para a degradação e contaminação de toda bacia do rio Gramame e seus afluentes, com consequências as mais adversas seja para a vegetação e demais tipos de vidas existentes na região, onde até o próprio homem está sendo contaminado, sem que as autoridades competentes venham controlando , ou mesmo fiscalizando adequadamente as normas legais do uso ambiental e ate mesmo o emprego de agrotóxicos na área”, relatou.

Abaixo, um resumo do estudo concluído recentemente. Um alerta importante para quem acha que a água é um bem sem fim e que não devemos forçar às autoridades a proteger nossas fontes.

Atualmente a demanda de João Pessoa é de 2.165,10 l/s atendidas através dos mananciais Gramame-Mamuaba, Marés (não está inserido na bacia do Gramame e sim na bacia do rio Paraíba) e poços.

a) A Area de captação dágua conhecida por bacia do rio gramame está totalmente degradada por ações antropicas, tendo como consequencias desaparecimento da vegetação nativa, dos pequenos corregos, riachos e assoreamento dos afluentes , gramame, mamuaba e agua boa.

b) O manejo errôneo do solo e ocupação indevida nas áreas de mata ciliar (plantações e criação de animais), geram por si só um fortíssimo impacto no rio e em toda bacia. A exploração agrícola (com o desenvolvimento da agricultura irrigada), a atividade industrial e a mineração se fazem presentes no espaço geográfico da bacia.

c) O desenvolvimento da agricultura e da pecuária local, tem contribuído para a poluição do solo e das águas. Fertilizantes sintéticos e agrotóxicos (inseticidas, fungicidas e herbicidas) usados em quantidades inadequadas ou indiscriminadamente nas lavouras poluem o solo e as águas dos rios e lagos, onde intoxicam e matam diversos seres vivos desses ecossistemas.

LEIA MAIS

Chega ao Senado projeto que impõe restrições à atuação de aplicativos como o Uber

Começou a tramitar no Senado o projeto de lei que restringe a atividade das empresas de transporte por aplicativo de celular no Brasil. O PLC 28/2017, aprovado pela Câmara dos Deputados na última terça-feira (4), estabelece que essas empresas (como o Uber e o 99Taxis) são prestadoras de serviço público, dependente de regulamentação, e que os motoristas precisam de permissão para trabalhar.

O projeto enquadra o transporte oferecido via aplicativos como uma atividade de natureza pública, a ser regulamentada pelo poder público municipal, nos municípios, ou distrital, no Distrito Federal. Todos os motoristas que trabalhem com os aplicativos precisarão obter uma permissão individual do poder público local. O documento deverá especificar, inclusive, o local de prestação do serviço dentro da cidade.

LEIA MAIS

O que Galdino tem a dizer depois da quarentena?

Os ex-presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB), foi à tribuna da Casa ontem (05) para “chorar”. Reclamar de algo que só ele sabe e que só ele viu.

Disse que tem muito a dizer, muito a desabafar, mas não disse nada. O seu máximo foi registrar que antes de deixar a presidência foi estimulado por muitos a dar uma “golpe” e quebrar o acordo que levaria seu sucessor, Gervásio Maia (PSB), ao comando da casa.

Só confirmou a especulação que surgiu à época, negada por ele.

Mas Galdino disse que iria abrir o jogo depois de uma suposta quarentena. O que ele tem a dizer? Precisa ter coragem de fazê-lo.

Se o ex-presidente não falar algo relevante, ficará e se cristalizará o que todos falam nos bastidores: Galdino perdeu cargo, prestígio; perdeu poder e agora está choramingando.

Talvez tenha feito um acordo para  manter os seus; talvez tenha esperado uma Secretaria do governo.

Não conseguiu e agora quer falar.

No fim das contas, ele não vai fazer nada? Só ameaça? Só recado? Um preposto do governo deve intervir e evitar esse moído na base. Principalmente para proteger o seu virtual candidato ao governo, Gervásio Maia. Aliás, Gervásio precisa melhorar sua relação dentro de Casa. Estão esperando que alguém puxe o coro. Mas isso é assunto pra outro post.

 

Câmara adia para esta quinta votação do projeto de recuperação fiscal de estados

O moído continua. Depois de mais de sete horas de discussão, a Câmara dos Deputados decidiu adiar para esta quinta-feira (6), a partir das 9h, a votação do Projeto de Lei Complementar que cria o Regime de Recuperação Fiscal dos Estados e do Distrito Federal.

A decisão do adiamento foi tomada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), por volta das 23h40 depois de muitos embates entre governo e oposição, que obstruía os trabalhos.

Por se tratar de um Projeto de Lei Complementar, o texto precisa ser aprovado por, no mínimo, 257 deputados, o chamado quorum qualificado. Antes de encerrar a sessão, a votação de um requerimento encerrando a fase de discussão foi aprovada por 257 votos, o que colocou em dúvida a possibilidade de manutenção do quorum.

Para tentar viabilizar a votação nesta quinta-feira, Maia só contará o quorum no final da tarde. “Amanhã só haverá, para efeito administrativo, a presença às 18h”, disse.

O peso para os devedores 

A medida prevê a suspensão temporária das dívidas e das restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), por até seis anos, a partir da adesão do estado a um plano de contrapartidas, entre as quais a elevação da alíquota de contribuição previdenciária de servidores de 11% para 14%, o congelamento de reajuste salariais e a restrição à realização de concursos públicos.

Em troca, a União deixará de receber por três anos, prorrogáveis por igual período, os pagamentos das dívidas junto ao Tesouro Nacional e as das restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) dos estados.

A recuperação valerá para os estados que estão em grave situação fiscal, que atendam aos seguintes requisitos: mais de 70% da receita corrente líquida comprometida com gasto de pessoal e amortização da dívida; dívida maior do que a receita e caixa disponível menor que as despesas. Estão nessa situação, especialmente, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

Os estados também terão que reduzir isenções tributárias para 10% ao ano, privatizar empresas estatais que prestam serviços financeiros de energia e saneamento. Além destas, caberá aos estados definirem outras empresas que deseja privatizar para arrecadar recursos para o pagamento de passivos.

Adesão

Para os estados aderirem, as assembleias legislativas devem aprovar leis que aumentem as receitas e diminuam as despesas, entre as quais estão a elevação da alíquota de contribuição previdenciária de servidores estaduais de 11% para 14%; a possibilidade de criação de previdência complementar; a revisão do regime jurídico dos servidores estaduais para suprimir benefícios não previstos no regime jurídico único da União; o congelamento de reajuste salariais e a restrição à realização de concursos públicos.

Apesar de congelar as despesas dos estados, o projeto permite a ampliação de despesas com publicidade “de forma a permitir a educação no trânsito e outras ações de natureza estritamente educativa e de notada utilidade pública”, diz o parecer elaborado pelo deputado da base aliada.

As críticas 

A oposição criticou o projeto de lei. O líder da minoria, José Guimarães (PT-CE), argumentou que as contrapartidas feriam a autonomia dos estados. “O governo, sem antes aprovar a PEC da Previdência, está determinando que a alíquota [de contribuição previdenciária de servidores estaduais] vai ser aumentada de 11% para 14%. Onde está a autonomia dos estados?”, disse.

Para o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), o projeto ainda permite que essa contribuição seja maior. “Para fazer a tal da recuperação, o governo coloca no projeto questões que não têm a ver com a recuperação – elevação da contribuição previdenciária de 11% para 14%, além de uma alíquota extraordinária e temporária”, disse.

Como alternativa, a oposição apresentou um texto que os estados deixem de pagar a dívida, mas que não tenham que responder com contrapartidas “pesadas”. O texto foi apresentado pelo deputado Afonso Florence (PT-BA). “Com esse projeto do governo, os deputados terão que votar o arrocho do professor e da professora, dos policiais e ainda têm que privatizar tudo”, disse.

Senado aprova MP do Cartão Reforma para famílias de baixa renda

O Senado aprovou nesta terça-feira (4) a medida provisória que criou o Cartão Reforma, uma linha de crédito para que famílias de baixa renda comprem materiais de construção destinados para reforma, ampliação, promoção da acessibilidade ou à conclusão de imóveis. O valor do benefício pode chegar a R$ 5 mil por família. A MPV 751/2016 foi aprovada na forma do Projeto de Lei de Conversão (PLV) 2/2017, com modificações do Congresso, segue para a sanção presidencial.

Segundo o texto, têm direito ao Cartão Reforma as famílias com renda mensal de até R$ 2,8 mil. Nesse valor devem ser incluídos benefícios de programas de transferência de renda, como o Bolsa-Família, mas excluídos os créditos de outros programas habitacionais.

O valor destinado a cada família pode variar entre R$ 2 mil e R$ 5 mil, a depender de critérios que serão elaborados em regulamentação posterior do Ministério das Cidades. A distribuição será operacionalizada pela Caixa Econômica Federal. Os beneficiários receberão o valor na forma de crédito para usar na compra dos produtos.

Serão atendidas com prioridade as famílias com menor renda, com idosos, com portadores de necessidade especiais ou aquelas onde a responsável pela subsistência for uma mulher.

LEIA MAIS