Vários desafios, agradecimentos e um até breve

Em junho de 2014, assumi uma coluna política na versão impressa do Jornal da Paraíba. Recebi com muita surpresa e entusiasmo o convite da direção da Rede Paraíba de Comunicação.

Era uma aposta, um desafio, um passo importante na minha carreira de repórter e apresentador da TV Cabo Branco. Acompanhar os fatos políticos diários, os bastidores, as entrelinhas dessa seara, interpretar movimentos e consolidar fontes eram os desafios.

Passear entre opinião, informação e interpretação exigiu fôlego e força que só fazendo, praticando, percebi que possuía.  Claro que não faltaram amigos, críticas, alertas e diálogos para buscar o melhor todos os dias. Nem sempre ele vinha, mas a certeza de que era preciso seguir em frente acertando e errando.

Em 2016, outro desafio, também enriquecedor: trocar a coluna diária do impresso, com notas e análise, por um blog na rede. Não havia mais deadline, fechamento de página. A facilidade para escrever, postar e ver a repercussão foi, nesse meio, muito surpreendente. Mas também um trabalho incrivelmente desafiador.

Somos escravos da rapidez, do desejo de escrever e postar a qualquer hora, de opinar e interpretar para o agora. Cabeça e coração não se contentam com um “post frio”. A internet nos exige algo da hora. O leitor nos exige capacidade de ser o melhor em um espaço de tempo cada vez menor.

Apesar da vontade de continuar, é hora de dar uma parada.

A partir desta segunda-feira (24),  as postagens no blog ficarão suspensas temporariamente. Por enquanto, o prazo é indeterminado. Vou precisar me afastar para fazer uma parte do doutorado em Comunicação da UFPE no exterior (6 meses) e não terei condições de acompanhar com afinco a política paraibana e a nacional e, aqui, noticiar, analisar ou opinar.

É hora de mergulhar num projeto acadêmico e concluir essa fase.

Agradeço aos leitores assíduos, àqueles que davam uma passadinha, os que concordavam e discordavam com meu olhar. Que bom que pude ser respeitado e respeitei opiniões nesse processo de escrita e de interpretação do mundo da política.

Agradeço ao diretor-presidente da Rede Paraíba de Comunicação, Eduardo Carlos, e a Guilherme Lima, meu único superintendente em nove anos de casa,  pela confiança e várias oportunidades. Pude fazer o melhor, com a liberdade editorial que todo jornalista/colunista luta e deseja, com a possibilidade de ser plural, justo, crítico e responsável.

Agradeço ainda aos vários editores e colegas com quem compartilhei a angústia e a alegria da escrita.  Muito obrigado.

Um novo desafio está posto, depois de outros tantos que enfrentamos juntos. Eu aqui, escrevendo, e vocês aí, exigindo-me sempre o melhor. Deixo meu obrigado e um até breve.

Vital negociou “caixa 2” no gabinete do Senado, diz delator

O ex-executivo da Odebrecht, José Carlos Filho, um dos delatores que têm ajudado a provocar uma “tempestade” no meio político, afirmou aos procuradores da Lava Jato que negociou “Caixa 2”, no gabinete do então senador peemedebista Vital do Rêgo Filho.

Vital, que hoje é Ministro do Tribunal de Contas da União, teria recebido, segundo ele, R$ 350 mil  para a campanha ao governo do Estado, em 2014.

No gabinete dele (Vital do Rêgo). Ele me apresentou uma pessoa do gabinete. Essa pessoa, tratei com ele, pedi o endereço, coloquei lá o endereço e eu passei a sena pra ele”, disse  José Carlos Filho.

Vejem vídeo da reportagem do BOM DIA BRASIL em: Motoboys entregavam propina em casa, revelam delatores da Odebrecht

Ministro está à disposição.

O ministro Vital do Rêgo disse que está à disposição das autoridades e que confia que qualquer dúvida sobre a sua conduta será devidamente esclarecida.

 

Leitura de relatório da PEC do foro privilegiado deve ocorrer quarta-feira

Apesar de resistências, a leitura do relatório do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) à proposta de emenda à Constituição que extingue o foro especial por prerrogativa de função, o foro privilegiado, para autoridades brasileiras será na próxima quarta-feira (19).

A PEC do senador Alvaro Dias (PV-PR) retira todos os trechos da Constituição que concedem foro especial de julgamento em casos de crimes comuns para políticos, ministros, desembargadores, juízes, procuradores, promotores e comandantes militares. 

A PEC não modifica a situação dos crimes de responsabilidade (aqueles que levam ao impeachment de autoridades), que, por possuírem teor político, permanecem nas instâncias superiores.

Além disso, o restabelecimento do foro privilegiado passa a ser vedado pelo texto constitucional.

O senador Randolfe Rodrigues defende a aprovação do texto sob o argumento de que o foro, que foi concebido pela Constituição como uma garantia de estabilidade institucional e contra arbitrariedades tem sido distorcido por aqueles privilegiados por ele.

Muitas pessoas buscam o mandato eletivo justamente para fugir das instâncias ordinárias da Justiça, conduta francamente reprovável. O foro tornou-se, sob o pretexto de assegurar a independência das autoridades, sinônimo de impunidade”, argumenta o senador em seu relatório.

Favoráveis ao projeto argumentam ainda que os tribunais superiores sofrem com sobrecarga de processos por serem obrigados a lidar com denúncias criminais enquanto, ao mesmo tempo, cumprem suas demais atribuições jurídicas.

O relatório traz a estimativa de que o Brasil tem 34 mil autoridades com algum privilégio de foro garantido pela Constituição. Elas estão espalhadas por todos os três poderes e o Ministério Público, e se distribuem entre STF, Superior Tribunal de Justiça (STJ), Tribunais Regionais Federais (TRFs) e tribunais estaduais de Justiça.

Caso seja aprovada a proposta, todas as autoridades públicas do país, incluindo parlamentares, ministros e o presidente da República, teriam seus processos judiciais comuns iniciados na primeira instância e poderiam ser presos a partir de uma condenação na segunda instância.

 

 

“Causa repulsa”, diz Temer sobre delação de executivo da Odebrecht: veja vídeo

O presidente Michel Temer saiu da defensiva para tentar evitar a sangria no governo. Tratou logo de defender-se. Uma tarefa que por si só não basta. Afinal, ele é só a cabeça de um corpo com sinais de contaminação, de acordo com decisão do STF que decidiu autorizar a investigação de 98 políticos, toda cúpula do governo.

O presidente gravou um vídeo hoje (13) negando qualquer participação no acerto de pagamento de propina da Odebrecht ao PMDB. Temer disse que a mentira “causa repulsa” e que “jamais colocaria em risco” sua biografia. O vídeo foi divulgado pela assessoria do Palácio do Planalto na tarde de hoje e publicado na conta de Temer no Twitter.

A manifestação ocorre após a divulgação da delação premiada do ex-executivo da empreiteira Márcio Faria. Ele afirmou que em uma reunião com Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves e Michel Temer, no escritório particular do presidente, foi acertado o pagamento de R$ 40 milhões ao PMDB para garantir a vitória da Odebrecht em um processo licitatório da Petrobras.

“A mentira é que nessa reunião eu teria ouvido referência a valores financeiros ou a negócios escusos da empresa com políticos. Isso jamais aconteceu, nessa reunião, nem em qualquer outra que eu tenha feito ao longo de minha carreira pública, com qualquer pessoa física ou jurídica”, disse o presidente no vídeo.

Na noite de ontem (12), o presidente já havia divulgado uma nota comentando as denúncias. “Jamais colocaria a minha biografia em risco. O verdadeiro homem público tem de estar à altura dos seus desafios que envolvem bons momentos e momentos de profundo desconforto. A minha maior aliada é a verdade, matéria prima do Judiciário, que revelará toda a verdade dos fatos”, defendeu-se.

Delação

A reunião citada por Faria na delação ocorreu em 2010. Na época, Temer era deputado federal e candidato a vice-presidente na chapa com Dilma Rousseff. Cunha e Alves tentavam a  reeleição para a Câmara dos Deputados. Márcio Faria disse que a Odebrecht negociou um valor de R$ 40 milhões para o “projeto voar”, ou seja, sacramentar a participação da empreiteira em empreendimentos da Petrobras.

Segundo Faria, a Odebrecht já oferecia o melhor preço no processo licitatório e os R$ 40 milhões eram para garantir a entrada da empresa no projeto da estatal. A participação do então executivo era para confirmar que a Odebrecht pagaria ao PMDB a quantia informada. “Eu fui lá para abençoar esse compromisso. Eu simplesmente confirmei que honraria os compromissos”.

Além de Temer, seis ministros, incluindo Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência da República, foram citados em delações da Odebrecht e serão investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Por ser presidente da República, Michel Temer não pode ser investigado por atos anteriores ao mandato em exercício.

Inquéritos abertos por Fachin atingem cerca de 30% do Senado; principais partidos estão na mira

Os inquéritos abertos ontem (11) pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), contra políticos citados em depoimentos de delação premiada de ex-diretores da empreiteira Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato, atingem cerca de 30% do Senado, entre eles, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Com sete nomes na lista, o PMDB é o partido com maior número de parlamentares que serão investigados, seguido do PSDB, com seis, e PT, com quatro. O PP tem dois senadores na lista de investigados e PCdoB, PTC e PSD um cada.

Os senadores peemedebistas na lista são: Eunício Oliveira (CE); o presidente do partido Romero Jucá (RR); Renan Calheiros (AL), ex-presidente da Casa e atual líder do PMDB no Senado; Edison Lobão (MA); Eduardo Braga (AM); Valdir Raupp (RO) e Kátia Abreu (TO).

No PSDB, Fachin autorizou investigações contra o presidente do partido Aécio Neves (MG); Cássio Cunha Lima (PB); Dalírio Beber (SC); José Serra (SP); Ricardo Ferraço (ES) e Antonio Anastasia (MG).

No PT serão investigados Jorge Viana (AC), Lindbergh Farias (RJ), Humberto Costa (PE) e Paulo Rocha (PA).

Foram abertos inquéritos contra os senadores do PSB Fernando Bezerra Coelho (PE) e Lídice da Mata (BA). Os senadores do PP são Ciro Nogueira (PI), presidente do partido, e Ivo Cassol (RO).

O ex-presidente Fernando Collor de Mello (PCT-AL) também será investigado, assim como Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Omar Aziz (PSD-AM).

Com a abertura da investigação, os processos devem seguir para a Procuradoria-Geral da República (PGR) e para a Polícia Federal (PF) para que sejam cumpridas as primeiras diligências contra os citados. Ao longo da investigação, podem ser solicitadas quebras de sigilo telefônico e fiscal, além da oitiva dos próprios acusados.

Veja: Cássio fala sobre investigação 

Com AB

 

“Eu tô me sentindo ninguém”, diz Nairon Barreto sobre morte do amigo

 

O humorista Nairon Barreto, o Zé Lezin, está na cidade de Ji-Paraná, em Rondônia, e vai dedicar o show deste sábado ao amigo Cristovam Tadeu. Bastante emocionado, ele lembrou que Cristovam era uma pessoa que vivia na casa dele e que quando se encontravam “eu dava cada abraço nele, só faltava matar”.

Nairon disse que era difícil acreditar. “Eu tô me sentindo ninguém. Não estou acreditando que perdi meu amigo, meu irmão, mas que papai do céu conduza ele para um lugar bacana e eu sei que ele com aquele jeitão bacana vai fazer muita confusão por lá”.

Que Deus o proteja. Desde de manhã cedo que eu tenho orado e pedido a Deus para confortar a família dele. Tô aqui em Ji-Paraná, vou fazer hoje um show e vou dedicar a ele. Com toda a minha alegria porque ele era desse jeito”, finalizou, com voz embargada.

 

 

Políticos lamentam morte de Cristovam Tadeu

Dezenas de políticos lamentaram a morte do ator e humorista paraibano Cristovam Tadeu. Ele foi encontrado morto na manhã deste sábado (08), em casa, e a suspeita é que ele tenha sofrido uma parada cardíaca.

Assim que a morte foi confirmada, amigos, conhecidos e admiradores externaram pelas redes sociais a tristeza da perda. Eram relatos emocionados de lembranças e histórias que paraibano de Cajazeiras, muito querido, deixou pelo na sua caminhada.

Dezenas de políticos de todo o Estado também externaram o pesar, por meio de notas ou nas redes sociais. Além de humorista, ator, Cristovam também era chargista e durante um bom tempo sua obra era semanalmente exibida na TV Cabo Branco, no quadro Charge PB. Era sempre uma crítica bem humorada de nossa política, dos nossos políticos e de suas ações.

Hoje, não provocou risos. Apenas uma profunda tristeza. Mas sua existência estará sempre guardada na memória daqueles que conviveram com ele e que, mesmo sem desfrutar de sua relação pessoal, tiveram a alegria de vê-lo em ação.  Nota do governo do Estado

Artista brilhante, se destacou pelo humor, criatividade e irreverência, ganhando destaque em todo o País, estrelando programas de humor em rede nacional e imortalizando imitações de celebridades como Caetano Veloso e o Arcebispo da Paraíba Dom Marcelo Carvalheira. Luciano Cartaxo

Um ser humano maravilhoso, um talento cativante. Romero Rodrigues 

Manifesto meus sentimentos de pesar pelo morte do humorista Cristovam Tadeu, que tando alegrou os paraibanos e brasileiros com sua inteligencia e bom-humor. Que deus conforte a família e amigos. Lígia Feliciano 

O riso que tanto nos fartou, hoje não veio. Lamentável a morte de Cristovam Tadeu, um talentoso artista que sempre teve um olhar crítico e bem-humorado sobre tudo. Nossa Paraíba hoje fica mais triste, porém o legado de Cristovam permanecerá sempre presente. Gervásio Maia 

Cristovam Tadeu nos levava alegria com as suas piadas e imitações perfeitas. Quem nunca riu com ele imitando Caetano Veloso, Dom Marcelo Carvalheira ou Ariano Suassuna? Ele era talentoso, tinha o humor correndo na sua veia. A Paraíba fica mais triste com a morte desse paraibano. Tovar Correia Lima 

O dia ficou sem graça. Tive o privilégio de conviver com Cristovam Tadeu, talentoso como ele só. Cajazeiras que ensinou a Paraíba a ler nos deu Cristovam para nos fazer sorrir. Cássio Cunha Lima 

O humor paraibano perde um pouco do seu brilho com a partida repentina do talentoso Cristovam Tadeu. Aos familiares, minha mais profunda solidariedade. Daniela Ribeiro 

Lamentar que uma pessoa tão bacana e tão importante para a cultura do Estado, que alegra mentes e corações, vai embora tão cedo. Que Deus o guarde e que a alegria de forma espontânea que trazia aqui, agora traga no céu. Ruy Carneiro 

Atualizado até às 15h40

CCJ da Câmara aprova projetos voltados à inclusão de surdos nas escolas

 

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, nesta semana,  propostas que buscam a inclusão de alunos surdos nas escolas.

O parecer do relator das propostas foi o deputado Luiz Couto (PT-PB)  que recomendou a aprovação de propostas como a que determina que a formação inicial a dos profissionais do magistério, assim como a formação continuada dos profissionais já em atividade, incluirá obrigatoriamente o ensino de Língua Brasileira de Sinais (Libras), para surdos-mudos.

Ainda, escolas públicas e privadas da educação básica deverão manter junto aos seus quadros ao menos um profissional intérprete de Libras, para viabilizar a comunicação com pais ou responsáveis surdos a respeito do desempenho escolar dos seus filhos.

Uma outra propostas assegura a capacitação de profissionais para alfabetização em Libras e em Braille em todas as etapas e modalidades da educação básica; e, por fim, uma que inclui conhecimentos básicos sobre Braille (para cegos) e Libras na formação de docentes da educação básica.

LEIA MAIS

Produtos químicos e destruição de mata estão “acabando” com bacia que abastece Grande JP, diz especialista

O engenheiro agrônomo e especialista em Ciências Ambientais, Saulo Marinho, concluiu um estudo, recentemente, e alerta que o abastecimento de água na Grande João Pessoa está ficando cada vez mais comprometido por causa degradação da bacia hidrográfica responsável pela água consumida por mais de 900 mil pessoas: a do rio Gramame.

Em contato com o blog, Saulo lembrou que a área de drenagem da bacia é de 589,1 km². O principal curso d’água é o rio Gramame, com extensão de 54,3 km, e seus principais afluentes são os rios Mumbaba, Mamuaba e Água Boa.  Ela atende aos municípios  João Pessoa, Bayeux, Cabedelo, Pedras de Fogo, Conde e ao distrito de Várzea Nova pertence ao município de Santa Rita.

De acordo com Saulo, a bacia do Gramame sofre com ações antrópicas durante anos e se não houver uma mudança de comportamento e ações do poder público ela ficará comprometida.

Agricultura , pecuária , industria , mineralização etc, vem contribuindo de forma significativa para a degradação e contaminação de toda bacia do rio Gramame e seus afluentes, com consequências as mais adversas seja para a vegetação e demais tipos de vidas existentes na região, onde até o próprio homem está sendo contaminado, sem que as autoridades competentes venham controlando , ou mesmo fiscalizando adequadamente as normas legais do uso ambiental e ate mesmo o emprego de agrotóxicos na área”, relatou.

Abaixo, um resumo do estudo concluído recentemente. Um alerta importante para quem acha que a água é um bem sem fim e que não devemos forçar às autoridades a proteger nossas fontes.

Atualmente a demanda de João Pessoa é de 2.165,10 l/s atendidas através dos mananciais Gramame-Mamuaba, Marés (não está inserido na bacia do Gramame e sim na bacia do rio Paraíba) e poços.

a) A Area de captação dágua conhecida por bacia do rio gramame está totalmente degradada por ações antropicas, tendo como consequencias desaparecimento da vegetação nativa, dos pequenos corregos, riachos e assoreamento dos afluentes , gramame, mamuaba e agua boa.

b) O manejo errôneo do solo e ocupação indevida nas áreas de mata ciliar (plantações e criação de animais), geram por si só um fortíssimo impacto no rio e em toda bacia. A exploração agrícola (com o desenvolvimento da agricultura irrigada), a atividade industrial e a mineração se fazem presentes no espaço geográfico da bacia.

c) O desenvolvimento da agricultura e da pecuária local, tem contribuído para a poluição do solo e das águas. Fertilizantes sintéticos e agrotóxicos (inseticidas, fungicidas e herbicidas) usados em quantidades inadequadas ou indiscriminadamente nas lavouras poluem o solo e as águas dos rios e lagos, onde intoxicam e matam diversos seres vivos desses ecossistemas.

LEIA MAIS

Reforma política: relatório prevê voto em lista fechada e fundo público para campanhas

Com foco no financiamento público de campanhas eleitorais e voto em lista fechada, o deputado Vicente Cândido (PT-SP) apresentou ontem(4) seu relatório parcial na Comissão Especial da Reforma Política.

O documento propõe uma ampla reformulação nas leis eleitorais que, claro, beneficia quem já está com mandato e propõe que a população pague a conta na gastança eleitoral.

Pela proposta, o financiamento público de campanhas será combinado com doações de pessoas físicas, permanecendo proibida a doação por parte de empresas. Mas ainda não há definições de limites de gastos. O mais importante.

O relator também defende a votação pelo sistema de listas partidárias fechadas preordenadas para as eleições proporcionais (deputados e vereadores). A ideia é aplicar as mudanças no pleito do próximo ano, com prazo de implantação até a eleição de 2022. Na lista preordenada, o eleitor vota em uma relação fechada de candidatos, definida por partido. A partir de 2026, metade dos candidatos seria definida por lista e metade, pelo voto distrital.

A lista fechada é um aberração e foi alvo de muita discussão e recebeu críticas. Para muitos parlamentares, sua adoção favorecerá quem já tem mandato, que teriam a prerrogativa de definir os nomes apresentados ao eleitor, favorecendo os chamados caciques.

Na prática, partidos deteriorados como o nosso, com lideranças nada confiáveis, vão fazer um arrumadinho e impor em quem os eleitores devem votar. O pior, com liberdade total, muitas vezes não se tem uma opção viável, imagine com  os grupelhos.

“Estamos mudando a Lei Orgânica dos Partidos para que eles adotem algum mecanismo democrático, como prévias, primárias ou convenções e que apresentem algum programa para a distribuição dos recursos”, acrescentou.

Financiamento eleitoral

LEIA MAIS