Ciente da resistência, Temer diz que está aberto a negociar reforma da Previdência

Com muitas resistências, inclusive de deputados de uma base fiel, a reforma da Previdência do jeito que está não vai passar.

Aqui na PB, por exemplo, a maior parte da bancada quer modificações.

Deputados e senadores já dizem abertamente que o governo vai ter que “abrir” para negociar. Consideram os “termos” perversos, apesar de seguirem a cartilha na hora de dizer que é preciso “mudar”.

Ciente dessa resistência, o presidente Temer já disse hoje (17) que, “apesar de achar a proposta ideal para colocar o país nos trilhos”,  se houver necessidade de conversações, não vai negar.

Vai abrir mão da “gordura”, que especialistas do próprio governo dizem ter. A velha margem de negociação.

Temer disse isso numa palestra para executivos de cerca de 100 empresas reunidos na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em São Paulo.

“Haverá propostas de modificação em um ou outro ponto? É muito provável. Nós temos um déficit de R$ 149 bilhões na Previdência Social. Nós temos estados que estão quebrando por causa da Previdência”, enfatizou. Para Temer, os movimentos são de natureza política, sem contra argumentos sólidos.

Por enquanto, a impressão pode ser até essa, mas se o movimento das ruas continuar, veremos cada vez mais parlamentares “amedrontados”.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *