Lira tenta avisar que o PMDB da PB não tem dono

Sempre que se fala em escolhas para eleição,  o PMDB escancara suas rachaduras. Pode ser perto ou longe das disputas. O que muda é o tamanho e o estrago que elas provocam.

Nos últimos dias, uma fissura tem ficado evidente, entre o que quer o senador Raimundo Lira e seu grupo e para onde está indo o grupo do senador José Maranhão.

De maneira bem simples: Lira está e quer ficar com o governador Ricardo Coutinho (PSB) e Zé está e quer ficar com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), afinal, mantendo-se onde está, tem perspectiva de assumir o governo municipal em 2018, com o vice-prefeito, Manoel Júnior.

O cenário ainda é confuso e opaco, mas há quem já veja que será preciso duelar, ou que já temos o início de uma disputa.

Apesar das mensagens serem sempre subliminares, com recados que passam distante de frases com alvos certos, eles sempre passam de raspão em declarações divergentes.

Nos últimos dias, por exemplo, ouvimos o senador Raimundo Lira dizer que decisões estaduais passam pela Executiva Nacional, que é preciso dialogar com os seus membros. Uma lembrança que o PMDB da Paraíba não tem dono e que precisa respeitar os mais “graduados”.

Hoje (10),  Antônio Sousa, membro da Executiva Municipal e sempre afinado com Maranhão, deu uma declaração com endereço certo, avisando a Lira que as decisões locais são tomadas por aqui, sem passar por ninguém em Brasília.

“Venhamos e convenhamos” todo mundo acha que o partido tem dono, sim, e é o senador José Maranhão, que, nos últimos anos, tem determinado para onde o PMDB vai, com quem se alia e quais são as diretrizes.

No encontro com jornalistas, nesta terça-feira (10), Lira registrou, sem titubear, que não tem interesse de deixar a legenda, que suas posições serão respeitadas e não levarão a isso. Lira deixou bem claro e fez questão de ressaltar que é respeitado na legenda, é da Executiva Nacional, tem direito de voto e é ouvido por lá. Também manda recado.

Lira ganhou projeção, respeito e espaço como representante do PMDB Nacional e vai querer que isso se reverta em respeito às suas decisões e posições aqui na Paraíba.

Percebe que vai ter que brigar dentro de seu própria legenda para não perder todo o know-how que já conquistou e não esquece, claro, que isso passa por boas alianças, que revertam em votos, para uma possível disputa à reeleição e fortalecimento no cenário político do futuro próximo.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *