Lira acredita que empréstimos da PB serão liberados após nova análise do Tesouro

lira

O senador Raimundo Lira (PMDB), em entrevista à CBN hoje (16) de manhã, afirmou que não tem dúvida que os empréstimos que a Paraíba já contratou com os bancos do Brasil e Mundial, mais de R$ 400 milhões, serão liberados após uma nova análise feita pelo Tesouro Nacional nas consta do Estado. O dinheiro á para obras de infraestrutura, estradas e para ações no campo.

A situação fiscal da PB e a capacidade de endividamento do Estado  devem ser temas da conversa do governador Ricardo Coutinho (PSB) com o presidente Michel Temer no início da tarde de hoje.  O encontro vai ter a participação do senador que,  de acordo com ele, foi convidado para a audiência.

Segundo Lira, os empréstimos com o Banco do Brasil, por exemplo, estavam rigorosamente acertados, com definições de taxa de juros, prazo, vencimento e valores, cerca de R$ 142 milhões, mas por causa da greve dos servidores do Tesouro, a liberação atrasou. Quando o processo iria ser retomado, a Paraíba teve a nota rebaixada, sendo impedida de pegar os recursos.

Lira lembrou que a questão do rebaixamento foi esclarecida com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, numa última reunião com governador com a bancada.

Como Ricardo, o senador diz que o problema do rebaixamento da nota está diminuição do repasses do Fundo de Participação dos Estados e não a gestão fiscal do governo.

Na defesa do governador, Lira diz que a PB tem uma boa gestão e que dos 27 estados, apenas sete vão fechar com superavit. “É um Estado que está fazendo um dever de casa”, elogiou.

Reunião com senadores

Raimundo Lira disse que vai participar na noite desta quarta-feira de reunião dos senadores com o presidente Michel Temer. São cerca de 60 parlamentares da base. “Temer adotou um modelo mais estreito de relacionamento com a base”, elogiou. Segundo ele, é uma reunião social, que não tem tema definido, como a PEC 55 ou Reforma da Previdência.

2018 e presidência do Senado

Lira ainda tratou de dois assuntos: a presidência do Senado e as eleições de 2018. Sobre o primeiro tema, disse que se sente honrado em ter o nome lembrado por jornalistas e partidários, mas já lançou o nome do amigo Eunício de Oliveira, do PMDB. ” Palavra dada, é palavra cumprida. Não tenho pretensão, não tenho nenhuma disponibilidade, por agora.

Sobre 2018, disse que, se tiver o reconhecimento da população e se achar que desenvolveu um bom trabalho, estará estimulado para tentar a reeleição ao Senado e não a uma candidatura ao governo. Aguardemos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *