Leonardo Gadelha inicia pente-fino em benefícios do INSS: governo prevê economia de R$ 6 bilhões

leonardo gadelha 2

Esta semana, milhares de segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam a receber as correspondências de convocação. Na lista, estão os que vão precisar passar pela revisão dos benefícios. O governo vai começar a fazer um pente-fino e espera, segundo o paraibano Leonardo Gadelha, presidente do INSS, fazer uma economia de R$ 6 bilhões com a reversão de 25% de auxílios-doença acima de dois anos e de invalidez. E essa estimativa pode estar subestimada.

Trata-se de um esforço que vai trazer segurança para boa parte dos beneficiários que poderá migrar para o regime de aposentadoria por invalidez e na outra ponta dá efetividade para o gasto público . Porque eu tenho convicção que nenhum brasileiro, absolutamente ninguém, quer que o INSS pague benefícios indevidamente. Então, ainda que seja por equivoco, por omissão anterior do INSS, o fato é que  nós devemos buscar essas impropriedades de corrigi-las “, explicou Leonardo Gadelha ao blog, hoje (06) pela manhã.

Segundo o INSS, o primeiro grupo é de 534 mil pessoas que recebem o auxílio-doença, sendo 530 mil decorrentes de decisões judiciais. A estimativa é que a economia com esse primeiro público será de R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos por ano.

Em seguida, no segundo grupo, devem ser convocados 1,1 milhão de aposentados por invalidez com menos de 60 anos. Só depois o governo deve fazer um pente-fino no Benefício da Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social.

Gadelha afirmou que o principal motivo da revisão é dar segurança para um número grande de beneficiários. Segundo ele, se a perícia confirmar a necessidade do benefício, quem recebe auxílio-doença passará a receber a aposentadoria por invalidez, limpando, dessa forma, o cadastro desse tipo de benefício. Já para o grupo que a perícia considerar apto a voltar a trabalhar, o benefício será imediatamente suspenso.

A revisão dos benefícios por incapacidade foi uma das primeiras medidas de economia para os cofres públicos anunciadas pela equipe de Temer. Com base na adesão de 2,5 mil dos 4,2 mil médicos peritos ao programa de revisão, o INSS teria capacidade para fazer 10 mil perícias extraordinárias por dia para queimar o estoque em dois meses e meio.

Com informações do INSS/Estadão

5 Comente Leonardo Gadelha inicia pente-fino em benefícios do INSS: governo prevê economia de R$ 6 bilhões

  1. DAVID SOUZA Disse:

    COMO FUNCIONARIO PUBLICO DO INSS POREM EU ESTOU APOSENTADO HÁ 18 ANOS CONCORDO COM O PENTE FINO POIS TEM MUITOS BENFICIOS E PEÇÔES INDEVIDAMENTES PREJUDICANDO OS QUE CONTRIBUI

  2. DAVID SOUZA Disse:

    SIM CONCORDO POIS COMO FUNCIONARIO PUBLICO DO INSS APOSENTADO HÁ 18 ANOS MINHA FUNÇÃO ERA SINDICANTE PESQUISADOR PELO SERTÃO DE PERNABUCO QUANDO NA ATIVA PERDI MAIS DE 20,00 MIL DE DIARIAS MESMO APOSENTADO PAGO O IMPOSTO DE RENDA TODO MÊS 800,00 REAIS E 200,00 REAIS NÃO CONCORDO ESSE PESOAL RECDEBER BENEFICIOS E PENÇÕES INDEVIDAEMNTE. OUTROCIM SE OUVECE OPORTUNIDADE EU RETORNAR PRA AJUDAR NESTE PENTE FINO ACEITARIA ESSE PROJETO FIZ CURSO NA POLICIA FEDERAL CURSO DE SIDICANTE ETC ACONCIDERAÇÃO.

  3. augusto mattos Disse:

    Tem muita gente que está sadia sadia e por meio de advogado conseguiu auxílio doença no judiciário. O judiciário é bonzinho dá benefício facil fácil.

  4. carlos augusto Disse:

    Esses benefícios que estão sendo revistos sao auxílios doenças concedidos por decisão do judiciário com advogados. Os advogados conseguem os beneficios pra pesssoas que não estão doentes. Conheço pessoas que conseguiram e tão trabalhando.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *