Entre Linhas

Campinense e Treze pedem volta das torcidas, mas Secretaria de Saúde adota discurso de cautela

Ideia era que público pudesse retornar no Clássico dos Maiorais, pela Série D, marcado para 8 de agosto.

Por Raniery Soares

 

Torcidas de Treze e Campinense no Amigão (Fotos: Leonardo Silva/Jornal da Paraíba)

 

A pandemia ainda não acabou, mas as medidas de flexibilização estão permitindo que os torcedores possam, aos poucos, voltar aos estádios de futebol em todo o mundo. Eurocopa, Copa América, Libertadores… Mas e na Paraíba?

Na semana passada, após a declaração do prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, sobre o planejamento para a volta de torcedores aos estádios da capital paraibana, o assunto também acendeu o debate em Campina Grande.

Cícero Lucena afirmou que a prefeitura de João Pessoa está avaliando a possibilidade de liberar o retorno da presença do público nos estádios de futebol, a partir do próximo decreto, que deve ser publicado no fim deste mês.

Segundo ele, a proposta do comitê que analisa medidas de flexibilização para este período de pandemia é liberar, pelo menos, 20% da capacidade de público nas praças esportivas da capital.

Com suas calorosas torcidas longe das arquibancadas há mais de um ano, Campinense e Treze tentam discutir junto à Secretaria Municipal de Saúde, um retorno gradual do público ao Estádio Amigão.

Inclusive, uma ideia lançada – e abraçada pelos torcedores – era para que essa volta fosse no próximo dia 8 de agosto, data em que os ‘Maiorais’ vão se enfrentar pela Rodada #10 da Série D do Campeonato Brasileiro.

Ao Entre Linhas, o presidente do Campinense, Phelipe Cordeiro, confirmou que a diretoria do clube fez o pedido à Prefeitura de Campina Grande, com um documento encaminhado ao vice-prefeito Lucas Ribeiro. A assessoria de comunicação do Treze também confirmou que tem conversado com o poder público para viabilizar este retorno do público, inclusive reforçou que o clube tem solicitado isso desde o Campeonato Brasileiro do ano passado.

Perguntado sobre esta possibilidade, o secretário de Saúde de Campina Grande, Felipe Reul, preferiu adotar um discurso cauteloso.

Para ele, é preciso acompanhar o cenário epidemiológico e, com a diminuição no número de casos, mortes e internações por Covid-19, avaliar e autorizar – ou não – um retorno gradual dos torcedores aos estádios.

“Em Campina Grande, recebemos alguns pedidos dos clubes para autorizar a presença de público. Não temos previsão e pretensão de autorizar, pois preferimos aguardar mais um pouco, a ver nos próximos dias o desenvolver da doença. Se os casos continuarem caindo, o número de internações também, poderemos avaliar isso e autorizar ou não [a presença de público nas praças esportivas]”.