Executivo 8:57

Sérgio Queiroz diz que redução da burocracia depende de reforma tributária

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

Foto: divulgação

O paraibano Sérgio Queiroz, no cargo de secretário especial de Modernização do Estado desde o final de fevereiro, disse que o crescimento do país passa diretamente por desburocratizações, como as relativas ao pagamento de tributos e abertura de empresas. O problema, segundo ele, é que boa parte dessas mudanças dependem de uma ampla reforma tributária e de alterações em algumas legislações.

Em entrevista exclusiva à TV Cabo Branco, na manhã desta quinta-feira (8), Sérgio Queiroz explicou que, de um ranking de 190 países com critérios estabelecidos pelo Banco Mundial, o Brasil amarga a 186ª posição. Ele atribuiu o resultado ruim, dentre outros fatores, às dificuldades dos contribuintes em compreender às suas obrigações perante o estado.

“A burocracia atrapalha a vida daqueles que querem empreender. (…) Precisamos ter um sistema tributário que seja mais simples, em que as pessoas não se atrapalhem no cumprimento de suas obrigações acessórias”, comentou Queiroz.

Na Secretaria Modernização do Estado, que é vinculada à Secretaria Geral da Presidência da República, Sérgio Queiroz é responsável pela criação de estratégias para implementação de medidas de desburocratização do estado, para trazer mais agilidade aos serviços públicos e, por extensão, ao cidadão brasileiro. “Queremos proporcionar um estado cada vez mais atraente para aqueles que querem fazer negócio”, afirmou.

Auxílio emergencial

Condutor do processo de pagamento do auxílio emergencial no ano passado, período em que esteve no cargo de Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, que integra o Ministério da Cidadania, também falou sobre a nova rodada do auxílio iniciada esta semana.

Em relação à possibilidade de extensão do benefício aos afetados pela pandemia, ele tem opinião ponderada. “Toda transferência de renda depende da receitas tributárias e elas estão atreladas ao desenvolvimento da economia. Estou atento que a equipe econômica estão desenvolvendo novas possibilidades”, comentou.

 

Confira a entrevista na íntegra:

 

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *