Executivo 9:24

Governador da Paraíba diz que flexibilização tem por base previsão de queda da Covid-19 nos próximos quatro dias

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

Foto: reprodução/TV Cabo Branco

Em meio a pressões em relação aos critérios adotados pelo governo da Paraíba para definir o que volta a funcionar nesta segunda-feira (5), o governador João Azevêdo (Cidadania) voltou a dizer que a flexibilização é embasada em dados.

Em entrevista exclusiva ao Bom Dia Paraíba, na TV Cabo Branco, ele assegurou que, “desde o último dia 16 de março, a Paraíba está em patamar de estabilidade com tendência de queda”. 

O governador registrou que, no início de março, o estado estava em uma curva ascendente e preocupante de casos e óbitos, mas que os três últimos decretos surtiram efeito a ponto de permitir a flexibilização de alguns setores, bem como a abertura de novos leitos, que teria contribuído para reduzir a pressão no sistema.

“Temos agora um patamar de estabilidade com tendência de queda nos próximos quatro a cinco dias”, antecipou João Azevêdo.

Apesar da flexibilização, o governador do estado pontuou que isso não significa que a pandemia acabou, mas apenas que o estado agora tem condições de retomar algumas atividades econômicas.

Aulas presenciais

Em relação à proibição do funcionamento das aulas de modo presencial, em todos os níveis escolares, João Azevêdo ponderou que nesta terça-feira (6) já deve ter uma reunião com as categorias para definir uma retomada responsável a partir da próxima segunda-feira (12).

O questionamento foi feito após críticas nas redes sociais que registravam uma suposta contradição como fechamento total de escolas e abertura, com restrições, de bares e restaurantes, bem como o retorno de fiéis em celebrações religiosas, também com limitações.

O novo decreto estadual decidiu manter suspensas todas as aulas presenciais, inclusive para os alunos do ensino infantil e fundamental, como havia sido liberado no decreto estadual anterior ao do feriadão.

Algumas escolas em João Pessoa estão se valendo da ausência do decreto municipal para abrir nesta segunda-feira. Neste sentido, João foi bem claro: enquanto não sai o decreto da prefeitura vale o decreto estadual.

Flexibilização

A decisão de flexibilizar as atividades após o feriadão já havia sido sinalizada pelo governador ao lançar as medidas mais duras na última semana, com o fechamento total de comercio e serviços. O decreto estadual em vigor a partir desta segunda-feira até o dia 18 de abril é bem mais flexível em várias áreas, mesmo o estado em situação crítica, com todos os municípios em bandeira laranja ou vermelha.

>Veja AQUI que pode e não pode funcionar na Paraíba a partir desta segunda-feira

 

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *